VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

12 de abr de 2013

O POLÍTICO ALEMÃO

Conta-se que um estadista alemão à beira da morte mandou chamar um pastor. “Estou muito doente, meu amigo, e vou morrer. Gostaria de conversar com você sobre religião, mas peço que não mencione o nome de Jesus Cristo.”
“Assim será”, respondeu o pastor. “Começarei falando sobre Deus. Deus é amor”.
Então, com muita eloqüência, o pastor falou sobre essa maravilhosa verdade até se levantar para ir embora. O enfermo segurou-lhe a mão e pediu que voltasse o mais breve possível.
Na segunda visita, o pastor conversou sobre a sabedoria e o poder de Deus. O enfermo ficou ainda mais satisfeito, e disse que os retratos descritos pelo pastor eram lindos e sublimes.
Na terceira visita, o pastor se concentrou na santidade de Deus, afirmando que ele era tão santo que não suportava nem olhar para o pecado com complacência; que embora Deus amasse o pecador, odiava o pecado.
Quando o pastor se levantou, o estadista perguntou: “Como você pode me deixar nesta situação? Se Deus é tão justo e santo como você afirma, estou perdido! Não se vá!”
Mas o pastor saiu rapidamente, orando para que a convicção de estar “perdido”, levasse o enfermo à luz.
Depois de alguns dias o pastor voltou, e foi logo confrontado com a pergunta: “Tudo aquilo é verdade mesmo?”
“Sinto muito, senhor, mas não posso retirar nada do que lhe disse sobre os julgamentos de Deus e a impossibilidade de união entre um Deus santo e o homem rebelde, manchado pelo pecado. Não que não haja algo a ser dito, mas o senhor colocou uma restrição em nossa conversa, negando-me o privilégio de falar sobre Jesus Cristo”.
“Ah, então cometi um erro”, disse o moribundo. “Conte-me se há salvação para uma pessoa igual a mim”.
“Pois não”, respondeu o pastor, e do seu Novo Testamento, ele apresentou as mais preciosas verdades sobre a misericórdia em nome de Jesus.
Ao entender como poderia se reconciliar com Deus por meio de Jesus Cristo, o estadista aceitou a doce verdade e, com a fé de uma criança, entregou sua alma nas mãos de seu Pai celeste.
(W.B.Riley)

Nenhum comentário:

Postar um comentário