VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

4 de ago de 2013

Leitura Cronológica Anual da Bíblia (Mês 5, dia 15)

Salmo 103-105


Salmo 103

 (1) Salmo de Davi. BENDIZE, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. (2) Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios. (3) Ele é o que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara todas as tuas enfermidades, (4) Que redime a tua vida da perdição; que te coroa de benignidade e de misericórdia, (5) Que farta a tua boca de bens, de sorte que a tua mocidade se renova como a da águia. (6) O SENHOR faz justiça e juízo a todos os oprimidos. (7) Fez conhecidos os seus caminhos a Moisés, e os seus feitos aos filhos de Israel. (8) Misericordioso e piedoso é o SENHOR; longânimo e grande em benignidade. (9) Não reprovará perpetuamente, nem para sempre reterá a sua ira. (10) Não nos tratou segundo os nossos pecados, nem nos recompensou segundo as nossas iniqüidades. (11) Pois assim como o céu está elevado acima da terra, assim é grande a sua misericórdia para com os que o temem. (12) Assim como está longe o oriente do ocidente, assim afasta de nós as nossas transgressões. (13) Assim como um pai se compadece de seus filhos, assim o SENHOR se compadece daqueles que o temem. (14) Pois ele conhece a nossa estrutura; lembra-se de que somos pó. (15) Quanto ao homem, os seus dias são como a erva, como a flor do campo assim floresce. (16) Passando por ela o vento, logo se vai, e o seu lugar não será mais conhecido. (17) Mas a misericórdia do SENHOR é desde a eternidade e até a eternidade sobre aqueles que o temem, e a sua justiça sobre os filhos dos filhos; (18) Sobre aqueles que guardam a sua aliança, e sobre os que se lembram dos seus mandamentos para os cumprir. (19) O SENHOR tem estabelecido o seu trono nos céus, e o seu reino domina sobre tudo. (20) Bendizei ao SENHOR, todos os seus anjos, vós que excedeis em força, que guardais os seus mandamentos, obedecendo à voz da sua palavra. (21) Bendizei ao SENHOR, todos os seus exércitos, vós ministros seus, que executais o seu beneplácito. (22) Bendizei ao SENHOR, todas as suas obras, em todos os lugares do seu domínio; bendize, ó minha alma, ao SENHOR.

Salmo 104

 (1) BENDIZE, ó minha alma, ao SENHOR! SENHOR Deus meu, tu és magnificentíssimo; estás vestido de glória e de majestade. (2) Ele se cobre de luz como de um vestido, estende os céus como uma cortina. (3) Põe nas águas as vigas das suas câmaras; faz das nuvens o seu carro, anda sobre as asas do vento. (4) Faz dos seus anjos espíritos, dos seus ministros um fogo abrasador. (5) Lançou os fundamentos da terra; ela não vacilará em tempo algum. (6) Tu a cobriste com o abismo, como com um vestido; as águas estavam sobre os montes. (7) À tua repreensão fugiram; à voz do teu trovão se apressaram. (8) Subiram aos montes, desceram aos vales, até ao lugar que para elas fundaste. (9) Termo lhes puseste, que não ultrapassarão, para que não tornem mais a cobrir a terra. (10) Tu, que fazes sair as fontes nos vales, as quais correm entre os montes. (11) Dão de beber a todo o animal do campo; os jumentos monteses matam a sua sede. (12) Junto delas as aves do céu terão a sua habitação, cantando entre os ramos. (13) Ele rega os montes desde as suas câmaras; a terra farta-se do fruto das suas obras. (14) Faz crescer a erva para o gado, e a verdura para o serviço do homem, para fazer sair da terra o pão, (15) E o vinho que alegra o coração do homem, e o azeite que faz reluzir o seu rosto, e o pão que fortalece o coração do homem. (16) As árvores do SENHOR fartam-se de seiva, os cedros do Líbano que ele plantou, (17) Onde as aves se aninham; quanto à cegonha, a sua casa é nas faias. (18) Os altos montes são para as cabras monteses, e os rochedos são refúgio para os coelhos. (19) Designou a lua para as estações; o sol conhece o seu ocaso. (20) Ordenas a escuridão, e faz-se noite, na qual saem todos os animais da selva. (21) Os leõezinhos bramam pela presa, e de Deus buscam o seu sustento. (22) Nasce o sol e logo se acolhem, e se deitam nos seus covis. (23) Então sai o homem à sua obra e ao seu trabalho, até à tarde. (24) Ó SENHOR, quão variadas são as tuas obras! Todas as coisas fizeste com sabedoria; cheia está a terra das tuas riquezas. (25) Assim é este mar grande e muito espaçoso, onde há seres sem número, animais pequenos e grandes. (26) Ali andam os navios; e o leviatã que formaste para nele folgar. (27) Todos esperam de ti, que lhes dês o seu sustento em tempo oportuno. (28) Dando-lho tu, eles o recolhem; abres a tua mão, e se enchem de bens. (29) Escondes o teu rosto, e ficam perturbados; se lhes tiras o fôlego, morrem, e voltam para o seu pó. (30) Envias o teu Espírito, e são criados, e assim renovas a face da terra. (31) A glória do SENHOR durará para sempre; o SENHOR se alegrará nas suas obras. (32) Olhando ele para a terra, ela treme; tocando nos montes, logo fumegam. (33) Cantarei ao SENHOR enquanto eu viver; cantarei louvores ao meu Deus, enquanto eu tiver existência. (34) A minha meditação acerca dele será suave; eu me alegrarei no SENHOR. (35) Desapareçam da terra os pecadores, e os ímpios não sejam mais. Bendize, ó minha alma, ao SENHOR. Louvai ao SENHOR.

Salmo 105

 (1) LOUVAI ao SENHOR, e invocai o seu nome; fazei conhecidas as suas obras entre os povos. (2) Cantai-lhe, cantai-lhe salmos; falai de todas as suas maravilhas. (3) Gloriai-vos no seu santo nome; alegre-se o coração daqueles que buscam ao SENHOR. (4) Buscai ao SENHOR e a sua força; buscai a sua face continuamente. (5) Lembrai-vos das maravilhas que fez, dos seus prodígios e dos juízos da sua boca; (6) Vós, semente de Abraão, seu servo, vós, filhos de Jacó, seus escolhidos. (7) Ele é o SENHOR nosso Deus; os seus juízos estão em toda a terra. (8) Lembrou-se da sua aliança para sempre, da palavra que mandou a milhares de gerações. (9) A qual aliança fez com Abraão, e o seu juramento a Isaque. (10) E confirmou o mesmo a Jacó por lei, e a Israel por aliança eterna, (11) Dizendo: A ti darei a terra de Canaã, a região da vossa herança. (12) Quando eram poucos homens em número, sim, mui poucos, e estrangeiros nela; (13) Quando andavam de nação em nação e dum reino para outro povo; (14) Não permitiu a ninguém que os oprimisse, e por amor deles repreendeu a reis, dizendo: (15) Não toqueis os meus ungidos, e não maltrateis os meus profetas. (16) Chamou a fome sobre a terra, quebrantou todo o sustento do pão. (17) Mandou perante eles um homem, José, que foi vendido por escravo; (18) Cujos pés apertaram com grilhões; foi posto em ferros; (19) Até ao tempo em que chegou a sua palavra; a palavra do SENHOR o provou. (20) Mandou o rei, e o fez soltar; o governador dos povos, e o soltou. (21) Fê-lo senhor da sua casa, e governador de toda a sua fazenda; (22) Para sujeitar os seus príncipes a seu gosto, e instruir os seus anciãos. (23) Então Israel entrou no Egito, e Jacó peregrinou na terra de Cão. (24) E aumentou o seu povo em grande maneira, e o fez mais poderoso do que os seus inimigos. (25) Virou o coração deles para que odiassem o seu povo, para que tratassem astutamente aos seus servos. (26) Enviou Moisés, seu servo, e Arão, a quem escolhera. (27) Mostraram entre eles os seus sinais e prodígios, na terra de Cão. (28) Mandou trevas, e a fez escurecer; e não foram rebeldes à sua palavra. (29) Converteu as suas águas em sangue, e matou os seus peixes. (30) A sua terra produziu rãs em abundância, até nas câmaras dos seus reis. (31) Falou ele, e vieram enxames de moscas e piolhos em todo o seu termo. (32) Converteu as suas chuvas em saraiva, e fogo abrasador na sua terra. (33) Feriu as suas vinhas e os seus figueirais, e quebrou as árvores dos seus termos. (34) Falou ele e vieram gafanhotos e pulgão sem número. (35) E comeram toda a erva da sua terra, e devoraram o fruto dos seus campos. (36) Feriu também a todos os primogênitos da sua terra, as primícias de todas as suas forças. (37) E tirou-os para fora com prata e ouro, e entre as suas tribos não houve um só fraco. (38) O Egito se alegrou quando eles saíram, porque o seu temor caíra sobre eles. (39) Estendeu uma nuvem por coberta, e um fogo para iluminar de noite. (40) Oraram, e ele fez vir codornizes, e os fartou de pão do céu. (41) Abriu a penha, e dela correram águas; correram pelos lugares secos, como um rio. (42) Porque se lembrou da sua santa palavra, e de Abraão, seu servo. (43) E tirou dali o seu povo com alegria, e os seus escolhidos com regozijo. (44) E deu-lhes as terras dos gentios; e herdaram o trabalho dos povos; (45) Para que guardassem os seus preceitos, e observassem as suas leis. Louvai ao SENHOR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário