VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

11 de mar de 2014

Adoniram Judson (1788-1850)


Nascido em 9 de agosto de 1788 em Malden, Mass., E.U.A. e falecido em 12 de abril de 1850, no Oceano Índico, em alto mar, filho de um pastor congregacional, aos três anos já aprendeu a ler sozinho e aos 10 já sabia grego e latim.
Aos 16 anos, entrou na Universidade de Brown e graduou-se três anos depois - era o primeiro de sua turma. Quando jovem, tornou-se amigo de um agnóstico. A influência dessa amizade fez Judson afastar-se da fé cristã. Os ensinos de seu pai pareciam agora tolices do passado.
Viajou para Nova Iorque onde esperava trabalhar futuramente, mas isso não se concretizou. Triste e errante, uma noite hospedado em um hotel, despertou-se de madrugada devidos aos gritos vindo de um quarto vizinho ao seu.
Na manhã seguinte, procurou se informar a razão daquele lamento. A resposta foi de que se tratava de um moribundo que havia morrido em desespero. Ao perguntar sobre o nome de tal pessoa, descobriu que era seu amigo agnóstico que lhe influenciara em abandonar sua fé. Isso desencadeou em Judson uma crise que o levaria de volta a Deus.

A leitura de um famoso sermão do dr. Buchanan, A Estrela no Oriente, despertou em seu jovem coração de estudante um ardente desejo por missões. Em 1810, ajudou a criar a Junta Americana de Comissionados para as Missões Estrangeiras. Dois anos mais, ele e sua esposa eram enviados para a Índia. Ao ser proibido pelo governo indiano de entrar naquele país, rumou para a Birmânia, onde, até ver o primeiro convertido, passaram-se seis anos.

Durante esses anos, sofreram de má saúde, solidão e a morte de seu bebê. Judson foi preso e ficou encarcerado por quase seis anos. Durante esse tempo, sua esposa, Ana (Nancy), o visitava fielmente levando, às escondidas do governo birmanês, livros, papéis e notas que ele usou para traduzir a Bíblia para o birmanês.
Adotou costumes locais no evangelismo e abriu seu primeiro ponto de pregação em 1819. Fundou pouco depois uma igreja birmanesa. Também estabeleceu escolas e formou pregadores. De seus esforços, surgiu uma comunidade cristã composta de birmaneses, karens e outras nacionalidades atingindo o número de 500 mil pessoas.
Algum tempo depois de sair do cárcere, sua esposa e sua filha Maria, morreram de meningite. Após isso, Judson retirou-se para o interior a fim de concluir sua tradução da Bíblia. Em 1845, retornou a seu país natal, porém o fogo ardente pela Birmânia fez com que retornasse ao Oriente, onde pouco depois faleceu. Em sua juventude disse: “Não deixarei a Birmânia até que a Cruz esteja plantada aqui para sempre”.
Trinta anos depois de sua morte, a Birmânia contava com sessenta e três igrejas, cento e sessenta e três missionários e mais de sete mil convertidos.
João 1:1-8 em birmanês
(A leitura dos caracteres é da esquerda para a direita.)
P.S.: Ouça a história desse missionário clicando no link: Heróis da Fé, de Orlando Boyer: Adoniram Judson.

http://gramaticateologica.blogspot.com.br/2013/07/adoniram-judson-1788-1850.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário