VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

2 de ago de 2014

Plano de Leitura Bíblica em um Ano (Mês 1, dia 3)

Gênesis 7-9

Gênesis 7

 (1) DEPOIS disse o SENHOR a Noé: Entra tu e toda a tua casa na arca, porque tenho visto que és justo diante de mim nesta geração. (2) De todos os animais limpos tomarás para ti sete e sete, o macho e sua fêmea; mas dos animais que não são limpos, dois, o macho e sua fêmea. (3) Também das aves dos céus sete e sete, macho e fêmea, para conservar em vida sua espécie sobre a face de toda a terra. (4) Porque, passados ainda sete dias, farei chover sobre a terra quarenta dias e quarenta noites; e desfarei de sobre a face da terra toda a substância que fiz. (5) E fez Noé conforme a tudo o que o SENHOR lhe ordenara. (6) E era Noé da idade de seiscentos anos, quando o dilúvio das águas veio sobre a terra. (7) Noé entrou na arca, e com ele seus filhos, sua mulher e as mulheres de seus filhos, por causa das águas do dilúvio. (8) Dos animais limpos e dos animais que não são limpos, e das aves, e de todo o réptil sobre a terra, (9) Entraram de dois em dois para junto de Noé na arca, macho e fêmea, como Deus ordenara a Noé. (10) E aconteceu que passados sete dias, vieram sobre a terra as águas do dilúvio. (11) No ano seiscentos da vida de Noé, no mês segundo, aos dezessete dias do mês, naquele mesmo dia se romperam todas as fontes do grande abismo, e as janelas dos céus se abriram, (12) E houve chuva sobre a terra quarenta dias e quarenta noites. (13) E no mesmo dia entraram na arca Noé, seus filhos Sem, Cão e Jafé, sua mulher e as mulheres de seus filhos. (14) Eles, e todo o animal conforme a sua espécie, e todo o gado conforme a sua espécie, e todo o réptil que se arrasta sobre a terra conforme a sua espécie, e toda a ave conforme a sua espécie, pássaros de toda qualidade. (15) E de toda a carne, em que havia espírito de vida, entraram de dois em dois para junto de Noé na arca. (16) E os que entraram eram macho e fêmea de toda a carne, como Deus lhe tinha ordenado; e o SENHOR o fechou dentro. (17) E durou o dilúvio quarenta dias sobre a terra, e cresceram as águas e levantaram a arca, e ela se elevou sobre a terra. (18) E prevaleceram as águas e cresceram grandemente sobre a terra; e a arca andava sobre as águas. (19) E as águas prevaleceram excessivamente sobre a terra; e todos os altos montes que havia debaixo de todo o céu, foram cobertos. (20) Quinze côvados acima prevaleceram as águas; e os montes foram cobertos. (21) E expirou toda a carne que se movia sobre a terra, tanto de ave como de gado e de feras, e de todo o réptil que se arrasta sobre a terra, e todo o homem. (22) Tudo o que tinha fôlego de espírito de vida em suas narinas, tudo o que havia em terra seca, morreu. (23) Assim foi destruído todo o ser vivente que havia sobre a face da terra, desde o homem até ao animal, até ao réptil, e até à ave dos céus; e foram extintos da terra; e ficou somente Noé, e os que com ele estavam na arca. (24) E prevaleceram as águas sobre a terra cento e cinqüenta dias.

Gênesis 8

 (1) E LEMBROU-SE Deus de Noé, e de todos os seres viventes, e de todo o gado que estavam com ele na arca; e Deus fez passar um vento sobre a terra, e aquietaram-se as águas. (2) Cerraram-se também as fontes do abismo e as janelas dos céus, e a chuva dos céus deteve-se. (3) E as águas iam-se escoando continuamente de sobre a terra, e ao fim de cento e cinqüenta dias minguaram. (4) E a arca repousou no sétimo mês, no dia dezessete do mês, sobre os montes de Ararate. (5) E foram as águas indo e minguando até ao décimo mês; no décimo mês, no primeiro dia do mês, apareceram os cumes dos montes. (6) E aconteceu que ao cabo de quarenta dias, abriu Noé a janela da arca que tinha feito. (7) E soltou um corvo, que saiu, indo e voltando, até que as águas se secaram de sobre a terra. (8) Depois soltou uma pomba, para ver se as águas tinham minguado de sobre a face da terra. (9) A pomba, porém, não achou repouso para a planta do seu pé, e voltou a ele para a arca; porque as águas estavam sobre a face de toda a terra; e ele estendeu a sua mão, e tomou-a, e recolheu-a consigo na arca. (10) E esperou ainda outros sete dias, e tornou a enviar a pomba fora da arca. (11) E a pomba voltou a ele à tarde; e eis, arrancada, uma folha de oliveira no seu bico; e conheceu Noé que as águas tinham minguado de sobre a terra. (12) Então esperou ainda outros sete dias, e enviou fora a pomba; mas não tornou mais a ele. (13) E aconteceu que no ano seiscentos e um, no mês primeiro, no primeiro dia do mês, as águas se secaram de sobre a terra. Então Noé tirou a cobertura da arca, e olhou, e eis que a face da terra estava enxuta. (14) E no segundo mês, aos vinte e sete dias do mês, a terra estava seca. (15) Então falou Deus a Noé dizendo: (16) Sai da arca, tu com tua mulher, e teus filhos e as mulheres de teus filhos. (17) Todo o animal que está contigo, de toda a carne, de ave, e de gado, e de todo o réptil que se arrasta sobre a terra, traze fora contigo; e povoem abundantemente a terra e frutifiquem, e se multipliquem sobre a terra. (18) Então saiu Noé, e seus filhos, e sua mulher, e as mulheres de seus filhos com ele. (19) Todo o animal, todo o réptil, e toda a ave, e tudo o que se move sobre a terra, conforme as suas famílias, saiu para fora da arca. (20) E edificou Noé um altar ao SENHOR; e tomou de todo o animal limpo e de toda a ave limpa, e ofereceu holocausto sobre o altar. (21) E o SENHOR sentiu o suave cheiro, e o SENHOR disse em seu coração: Não tornarei mais a amaldiçoar a terra por causa do homem; porque a imaginação do coração do homem é má desde a sua meninice, nem tornarei mais a ferir todo o vivente, como fiz. (22) Enquanto a terra durar, sementeira e sega, e frio e calor, e verão e inverno, e dia e noite, não cessarão.

Gênesis 9

 (1) E ABENÇOOU Deus a Noé e a seus filhos, e disse-lhes: Frutificai e multiplicai-vos e enchei a terra. (2) E o temor de vós e o pavor de vós virão sobre todo o animal da terra, e sobre toda a ave dos céus; tudo o que se move sobre a terra, e todos os peixes do mar, nas vossas mãos são entregues. (3) Tudo quanto se move, que é vivente, será para vosso mantimento; tudo vos tenho dado como a erva verde. (4) A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis. (5) Certamente requererei o vosso sangue, o sangue das vossas vidas; da mão de todo o animal o requererei; como também da mão do homem, e da mão do irmão de cada um requererei a vida do homem. (6) Quem derramar o sangue do homem, pelo homem o seu sangue será derramado; porque Deus fez o homem conforme a sua imagem. (7) Mas vós frutificai e multiplicai-vos; povoai abundantemente a terra, e multiplicai-vos nela. (8) E falou Deus a Noé e a seus filhos com ele, dizendo: (9) E eu, eis que estabeleço a minha aliança convosco e com a vossa descendência depois de vós. (10) E com toda a alma vivente, que convosco está, de aves, de gado, e de todo o animal da terra convosco; com todos que saíram da arca, até todo o animal da terra. (11) E eu convosco estabeleço a minha aliança, que não será mais destruída toda a carne pelas águas do dilúvio, e que não haverá mais dilúvio, para destruir a terra. (12) E disse Deus: Este é o sinal da aliança que ponho entre mim e vós, e entre toda a alma vivente, que está convosco, por gerações eternas. (13) O meu arco tenho posto nas nuvens; este será por sinal da aliança entre mim e a terra. (14) E acontecerá que, quando eu trouxer nuvens sobre a terra, aparecerá o arco nas nuvens. (15) Então me lembrarei da minha aliança, que está entre mim e vós, e entre toda a alma vivente de toda a carne; e as águas não se tornarão mais em dilúvio para destruir toda a carne. (16) E estará o arco nas nuvens, e eu o verei, para me lembrar da aliança eterna entre Deus e toda a alma vivente de toda a carne, que está sobre a terra. (17) E disse Deus a Noé: Este é o sinal da aliança que tenho estabelecido entre mim e entre toda a carne, que está sobre a terra. (18) E os filhos de Noé, que da arca saíram, foram Sem, Cão e Jafé; e Cão é o pai de Canaã. (19) Estes três foram os filhos de Noé; e destes se povoou toda a terra. (20) E começou Noé a ser lavrador da terra, e plantou uma vinha. (21) E bebeu do vinho, e embebedou-se; e descobriu-se no meio de sua tenda. (22) E viu Cão, o pai de Canaã, a nudez do seu pai, e fê-lo saber a ambos seus irmãos no lado de fora. (23) Então tomaram Sem e Jafé uma capa, e puseram-na sobre ambos os seus ombros, e indo virados para trás, cobriram a nudez do seu pai, e os seus rostos estavam virados, de maneira que não viram a nudez do seu pai. (24) E despertou Noé do seu vinho, e soube o que seu filho menor lhe fizera. (25) E disse: Maldito seja Canaã; servo dos servos seja aos seus irmãos. (26) E disse: Bendito seja o SENHOR Deus de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. (27) Alargue Deus a Jafé, e habite nas tendas de Sem; e seja-lhe Canaã por servo. (28) E viveu Noé, depois do dilúvio, trezentos e cinqüenta anos. (29) E foram todos os dias de Noé novecentos e cinqüenta anos, e morreu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário