VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

2 de set de 2014

JÁ CHOREI TANTO QUE NÃO TENHO MAIS LÁGRIMAS

“Como algo tão bonito pode se tornar tão horrível?”, a moça perguntou em angústia. “Já chorei tanto que não tenho mais lágrimas. Fico tentando me convencer que isso não é verdade, mas é.”
Amélia tinha apenas 16 anos, mas era o retrato do sofrimento. Ela veio me procurar para aconselhamento, mas o estrago já estava feito. Agora precisava de ajuda para encarar o futuro. Ela usava um vestido de grávida, e o bebê nasceria dentro de um mês mais ou menos
Amélia conhecera Mac um ano antes, num jogo de basquete. Depois da partida, ele a convidou para tomar uma coca-cola. Disse-lhe que havia acabado de mudar para aquela cidade e que trabalhava numa farmácia; que se sentia muito só em um lugar onde não conhecia ninguém.
Os pais de Amélia não gostaram muito quando ela chegou em casa com um desconhecido. Mac telefonava sempre, tentando marcar um encontro, mas os pais da garota não permitiam que ela saísse. Diziam que ele era muito velho para ela.
Amélia implorou, reclamou, fez birra e, em rebelião total, não fazia mais as tarefas da escola. Os pais acabaram cedendo e permitiram que ela saísse com Mac nos finais de semana.
“Ai! É tão maravilhoso estar apaixonada”, ela suspirou encantada.
Os dois caminhavam de mãos dadas. Logo, era de braços dados e rosto colado. Os beijos de boa-noite se tornaram em beijos cheios de paixão. 
Beijos e carícias aconteciam livremente. E então...tudo parecia muito natural, mas depois vinha o arrependimento.
Com o coração cheio de culpa, Amélia dizia a Mac que não deveriam ter tanta intimidade um com o outro. Brigavam, depois se beijavam e faziam as pazes.
Quando Amélia contou a Mac que estava grávida, ele explodiu de raiva. Chamou-a de idiota por ter deixado que um negócio desses acontecesse, e foi embora — para sempre.
“Ele dizia que me amava”, Amélia contou em prantos, na sala de aconselhamento. Não precisei lhe explicar que ele era um mentiroso; que amava seu próprio prazer, sua liberdade — a si mesmo.
(Henry Brandt, Ph.D. - Sword of the Lord)

Nenhum comentário:

Postar um comentário