VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

30 de abr de 2015

NOSSO TRISTE MUNDO

Em Atos 17, lemos sobre dois homens trabalhando para o Senhor na conversão de muitas pessoas a Cristo. Existiram outros que afirmaram que tal pregação era destruidora e perturbadora. Estas pessoas indispuseram as autoridades contra Paulo e Silas até que eles tiveram que fugir para continuarem vivos.
Nunca houve um tempo em que não houvessem povos lutando contra o Cristianismo, punindo e aprisionando por causa da fé. Deus diz a seu povo que eles devem obedecer ao Senhor em vez de aos homens quando há um conflito. Se os cristãos esperam até que haja uma maioria de voto permitindo-os proclamar Jesus como o único caminho para o céu, terminarão falando para eles mesmos. A ordem do Senhor para seus filhos ainda é sair e pregar o evangelho à todas as nações batizando-as em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo.

(Walter S. Wendt - Pulpit Helps)

ESTOU FELIZ POIS ESTA IGREJA PRECISA DE DINHEIRO


Estou feliz pois esta igreja precisa de dinheiro! Se não precisasse, significaria que não estava sustentando missionários e pregando o evangelho em outros lugares. Sem zelo missionário.
Estou feliz pois esta igreja precisa de dinheiro! Se não precisasse, significaria que não estava dando algo para sustentar os desabrigados, os desamparados e os necessitados. Sem compaixão.
Estou feliz pois esta igreja precisa de dinheiro! Se não precisasse, significaria que tinha feito tudo e não estava interessada  m expandir o trabalho necessário em outros lugares. Sem visão.
Estou feliz pois esta igreja precisa de dinheiro! Se não precisasse, significaria que não estava interessada em fornecer atividades sadias. Sem cuidado.
Estou feliz pois esta igreja precisa de dinheiro! Se não precisasse, significaria que não estava expandindo seus limites. Sem evangelismo.
Estou feliz pois esta igreja precisa de dinheiro! Se não precisasse, significaria que não estava interessada em ensinar as crianças influenciando-as em sua fase de formação. Sem futuro.
Sim, Senhor, estou feliz pois esta igreja precisa de dinheiro! Este fato significa que ela não tem perdido seu zelo, sua compaixão, expansão, visão, seu cuidado, evangelismo e futuro. Esta igreja precisa da minha doação e estou alegre por isso. Não queria ser membro de outro tipo de igreja.

Joe R. Barnett
(The Edifier - Pulpit Helps)

Plano de Leitura Bíblica em um Ano (Mês 3, dia 30)

I Samuel 28-31

I Samuel 28

 (1) E SUCEDEU naqueles dias que, juntando os filisteus os seus exércitos à peleja, para fazer guerra contra Israel, disse Aquis a Davi: Sabe de certo que comigo sairás ao arraial, tu e os teus homens. (2) Então disse Davi a Aquis: Assim saberás o que fará o teu servo. E disse Aquis a Davi: Por isso te terei por guarda da minha pessoa para sempre. (3) E Samuel já estava morto, e todo o Israel o tinha chorado, e o tinha sepultado em Ramá, que era a sua cidade; e Saul tinha desterrado os adivinhos e os encantadores. (4) E ajuntaram-se os filisteus, e vieram, e acamparam-se em Suném; e ajuntou Saul a todo o Israel, e se acamparam em Gilboa. (5) E, vendo Saul o arraial dos filisteus, temeu, e estremeceu muito o seu coração. (6) E perguntou Saul ao SENHOR, porém o SENHOR não lhe respondeu, nem por sonhos, nem por Urim, nem por profetas. (7) Então disse Saul aos seus criados: Buscai-me uma mulher que tenha o espírito de feiticeira, para que vá a ela, e consulte por ela. E os seus criados lhe disseram: Eis que em En-Dor há uma mulher que tem o espírito de adivinhar. (8) E Saul se disfarçou, e vestiu outras roupas, e foi ele com dois homens, e de noite chegaram à mulher; e disse: Peço-te que me adivinhes pelo espírito de feiticeira, e me faças subir a quem eu te disser. (9) Então a mulher lhe disse: Eis aqui tu sabes o que Saul fez, como tem destruído da terra os adivinhos e os encantadores; por que, pois, me armas um laço à minha vida, para me fazeres morrer? (10) Então Saul lhe jurou pelo SENHOR, dizendo: Vive o SENHOR, que nenhum mal te sobrevirá por isso. (11) A mulher então lhe disse: A quem te farei subir? E disse ele: Faze-me subir a Samuel. (12) Vendo, pois, a mulher a Samuel, gritou com alta voz, e falou a Saul, dizendo: Por que me tens enganado? Pois tu mesmo és Saul. (13) E o rei lhe disse: Não temas; que é que vês? Então a mulher disse a Saul: Vejo deuses que sobem da terra. (14) E lhe disse: Como é a sua figura? E disse ela: Vem subindo um homem ancião, e está envolto numa capa. Entendendo Saul que era Samuel, inclinou-se com o rosto em terra, e se prostrou. (15) Samuel disse a Saul: Por que me inquietaste, fazendo-me subir? Então disse Saul: Mui angustiado estou, porque os filisteus guerreiam contra mim, e Deus se tem desviado de mim, e não me responde mais, nem pelo ministério dos profetas, nem por sonhos; por isso te chamei a ti, para que me faças saber o que hei de fazer. (16) Então disse Samuel: Por que, pois, me perguntas a mim, visto que o SENHOR te tem desamparado, e se tem feito teu inimigo? (17) Porque o SENHOR tem feito para contigo como pela minha boca te disse, e o SENHOR tem rasgado o reino da tua mão, e o tem dado ao teu próximo, a Davi. (18) Como tu não deste ouvidos à voz do SENHOR, e não executaste o fervor da sua ira contra Amaleque, por isso o SENHOR te fez hoje isto. (19) E o SENHOR entregará também a Israel contigo na mão dos filisteus, e amanhã tu e teus filhos estareis comigo; e o arraial de Israel o SENHOR entregará na mão dos filisteus. (20) E imediatamente Saul caiu estendido por terra, e grandemente temeu por causa daquelas palavras de Samuel; e não houve força nele; porque não tinha comido pão todo aquele dia e toda aquela noite. (21) Então veio a mulher a Saul e, vendo que estava tão perturbado, disse-lhe: Eis que a tua criada deu ouvidos à tua voz, e pus a minha vida na minha mão, e ouvi as palavras que disseste. (22) Agora, pois, ouve também tu as palavras da tua serva, e porei um bocado de pão diante de ti, e come, para que tenhas forças para te pores a caminho. (23) Porém ele o recusou, e disse: Não comerei. Porém os seus criados e a mulher o constrangeram; e deu ouvidos à sua voz; e levantou-se do chão, e se assentou sobre uma cama. (24) E tinha a mulher em casa um bezerro cevado, e se apressou, e o matou, e tomou farinha, e a amassou, e a cozeu em bolos ázimos. (25) E os trouxe diante de Saul e de seus criados, e comeram; depois levantaram-se e partiram naquela mesma noite.

I Samuel 29

 (1) E AJUNTARAM os filisteus todos os seus exércitos em Afeque; e acamparam-se os israelitas junto à fonte que está em Jizreel. (2) E os príncipes dos filisteus se foram para lá com centenas e com milhares; porém Davi e os seus homens iam com Aquis na retaguarda. (3) Disseram então os príncipes dos filisteus: Que fazem aqui estes hebreus? E disse Aquis aos príncipes dos filisteus: Não é este Davi, o servo de Saul, rei de Israel, que esteve comigo há alguns dias ou anos? Coisa nenhuma achei nele desde o dia em que se revoltou, até ao dia de hoje. (4) Porém os príncipes dos filisteus muito se indignaram contra ele; e disseram-lhe os príncipes dos filisteus: Faze voltar este homem, para que torne ao lugar em que tu o puseste, e não desça conosco à batalha, para que não se torne nosso adversário na batalha; pois, com que poderia este agradar a seu senhor? Porventura não seria com as cabeças destes homens? (5) Não é este aquele Davi, de quem uns aos outros cantaram nas danças, dizendo: Saul feriu os seus milhares, porém Davi os seus dez milhares? (6) Então Aquis chamou a Davi e disse-lhe: Vive o SENHOR, que tu és reto, e que a tua entrada e a tua saída comigo no arraial é boa aos meus olhos; porque nenhum mal em ti achei, desde o dia em que a mim vieste, até ao dia de hoje; porém aos olhos dos príncipes não agradas. (7) Volta, pois, agora, e vai em paz; para que não faças mal aos olhos dos príncipes dos filisteus. (8) Então Davi disse a Aquis: Por quê? Que fiz? Ou que achaste no teu servo, desde o dia em que estive diante de ti, até ao dia de hoje, para que não vá e peleje contra os inimigos do rei, meu senhor? (9) Respondeu, porém, Aquis, e disse a Davi: Bem o sei; e que na verdade aos meus olhos és bom como um anjo de Deus; porém disseram os príncipes dos filisteus: Não suba este conosco à batalha. (10) Agora, pois, amanhã de madrugada levanta-te com os servos de teu senhor, que têm vindo contigo; e, levantando-vos pela manhã, de madrugada, e havendo luz, parti. (11) Então Davi de madrugada se levantou, ele e os seus homens, para partirem pela manhã, e voltarem à terra dos filisteus; e os filisteus subiram a Jizreel.

I Samuel 30

 (1) SUCEDEU, pois, que, chegando Davi e os seus homens ao terceiro dia a Ziclague, já os amalequitas tinham invadido o sul, e Ziclague, e tinham ferido a Ziclague e a tinham queimado a fogo. (2) E tinham levado cativas as mulheres, e todos os que estavam nela, tanto pequenos como grandes; a ninguém, porém, mataram, tão-somente os levaram consigo, e foram o seu caminho. (3) E Davi e os seus homens chegaram à cidade e eis que estava queimada a fogo, e suas mulheres, seus filhos e suas filhas tinham sido levados cativos. (4) Então Davi e o povo que se achava com ele alçaram a sua voz, e choraram, até que neles não houve mais forças para chorar. (5) Também as duas mulheres de Davi foram levadas cativas; Ainoã, a jizreelita, e Abigail, a mulher de Nabal, o carmelita. (6) E Davi muito se angustiou, porque o povo falava de apedrejá-lo, porque a alma de todo o povo estava em amargura, cada um por causa dos seus filhos e das suas filhas; todavia Davi se fortaleceu no SENHOR seu Deus. (7) E disse Davi a Abiatar, o sacerdote, filho de Aimeleque: Traze-me, peço-te, aqui o éfode. E Abiatar trouxe o éfode a Davi. (8) Então consultou Davi ao SENHOR, dizendo: Perseguirei eu a esta tropa? Alcançá-la-ei? E lhe disse: Persegue-a, porque decerto a alcançarás e tudo libertarás. (9) Partiu, pois, Davi, ele e os seiscentos homens que com ele se achavam, e chegaram ao ribeiro de Besor, onde pararam os que ficaram atrás. (10) E perseguiu-os Davi, ele e os quatrocentos homens, pois que duzentos homens ficaram, por não poderem, de cansados que estavam, passar o ribeiro de Besor. (11) E acharam no campo um homem egípcio, e o trouxeram a Davi; deram-lhe pão, e comeu, e deram-lhe a beber água. (12) Deram-lhe também um pedaço de massa de figos secos e dois cachos de passas, e comeu, e voltou-lhe o seu espírito, porque havia três dias e três noites que não tinha comido pão nem bebido água. (13) Então Davi lhe disse: De quem és tu, e de onde és? E disse o moço egípcio: Sou servo de um homem amalequita, e meu senhor me deixou, porque adoeci há três dias. (14) Nós invadimos o lado do sul dos queretitas, e o lado de Judá, e o lado do sul de Calebe, e pusemos fogo a Ziclague. (15) E disse-lhe Davi: Poderias, descendo, guiar-me a essa tropa? E disse-lhe: Por Deus jura-me que não me matarás, nem me entregarás na mão de meu senhor, e, descendo, te guiarei a essa tropa. (16) E, descendo, o guiou e eis que estavam espalhados sobre a face de toda a terra, comendo, e bebendo, e dançando, por todo aquele grande despojo que tomaram da terra dos filisteus e da terra de Judá. (17) E feriu-os Davi, desde o crepúsculo até à tarde do dia seguinte; nenhum deles escapou, senão só quatrocentos moços que, montados sobre camelos, fugiram. (18) Assim salvou Davi tudo quanto tomaram os amalequitas; também as suas duas mulheres salvou Davi. (19) E ninguém lhes faltou, desde o menor até ao maior, e até os filhos e as filhas; e também desde o despojo até tudo quanto lhes tinham tomado, tudo Davi tornou a trazer. (20) Também tomou Davi todas as ovelhas e vacas, e levavam-nas adiante do outro gado, e diziam: Este é o despojo de Davi. (21) E, chegando Davi aos duzentos homens que, de cansados que estavam, não puderam seguir a Davi, e que deixaram ficar no ribeiro de Besor, estes saíram ao encontro de Davi e do povo que com ele vinha; e, chegando-se Davi com o povo, os saudou em paz. (22) Então todos os maus e perversos, dentre os homens que tinham ido com Davi, responderam, e disseram: Visto que não foram conosco, não lhes daremos do despojo que libertamos; mas que leve cada um sua mulher e seus filhos, e se vá. (23) Porém Davi disse: Não fareis assim, irmãos meus, com o que nos deu o SENHOR, que nos guardou, e entregou a tropa que contra nós vinha, nas nossas mãos. (24) E quem vos daria ouvidos nisso? Porque qual é a parte dos que desceram à peleja, tal também será a parte dos que ficaram com a bagagem; igualmente repartirão. (25) O que assim foi desde aquele dia em diante, porquanto o pôs por estatuto e direito em Israel até ao dia de hoje. (26) E, chegando Davi a Ziclague, enviou do despojo aos anciãos de Judá, seus amigos, dizendo: Eis aí para vós uma bênção do despojo dos inimigos do SENHOR; (27) Aos de Betel, e aos de Ramote do sul, e aos de Jater, (28) E aos de Aroer, e aos de Sifmote, e aos de Estemoa, (29) E aos de Racal, e aos que estavam nas cidades jerameelitas e nas cidades dos queneus, (30) E aos de Hormá, e aos de Corasã, e aos de Ataca, (31) E aos de Hebrom, e a todos os lugares em que andara Davi, ele e os seus homens.

I Samuel 31

 (1) OS filisteus, pois, pelejaram contra Israel; e os homens de Israel fugiram de diante dos filisteus, e caíram mortos na montanha de Gilboa. (2) E os filisteus perseguiram a Saul e a seus filhos; e mataram a Jônatas, e a Abinadabe, e a Malquisua, filhos de Saul. (3) E a peleja se agravou contra Saul, e os flecheiros o alcançaram; e muito temeu por causa dos flecheiros. (4) Então disse Saul ao seu pajem de armas: Arranca a tua espada, e atravessa-me com ela, para que porventura não venham estes incircuncisos, e me atravessem e escarneçam de mim. Porém o seu pajem de armas não quis, porque temia muito; então Saul tomou a espada, e se lançou sobre ela. (5) Vendo, pois, o seu pajem de armas que Saul já era morto, também ele se lançou sobre a sua espada, e morreu com ele. (6) Assim faleceu Saul, e seus três filhos, e o seu pajem de armas, e também todos os seus homens morreram juntamente naquele dia. (7) E, vendo os homens de Israel, que estavam deste lado do vale e deste lado do Jordão, que os homens de Israel fugiram, e que Saul e seus filhos estavam mortos, abandonaram as cidades, e fugiram; e vieram os filisteus, e habitaram nelas. (8) Sucedeu, pois, que, vindo os filisteus no outro dia para despojar os mortos, acharam a Saul e a seus três filhos estirados na montanha de Gilboa. (9) E cortaram-lhe a cabeça, e o despojaram das suas armas, e enviaram pela terra dos filisteus, em redor, a anunciá-lo no templo dos seus ídolos e entre o povo. (10) E puseram as suas armas no templo de Astarote, e o seu corpo o afixaram no muro de Bete-Sã. (11) Ouvindo então os moradores de Jabes-Gileade, o que os filisteus fizeram a Saul, (12) Todo o homem valoroso se levantou, e caminharam toda a noite, e tiraram o corpo de Saul e os corpos de seus filhos do muro, de Bete-Sã, e, vindo a Jabes, os queimaram. (13) E tomaram os seus ossos, e os sepultaram debaixo de um arvoredo, em Jabes, e jejuaram sete dias.

Devocional Boa Semente 30/04/2015

Por que dizes… O meu caminho está encoberto ao Senhor, e o meu juízo passa despercebido ao meu Deus? Torna-te para mim, porque eu te remi. Aquele que nem mesmo a seu próprio Filho poupou, antes o entregou por todos nós, como nos não dará também com ele todas as coisas? (Isaías 40:27 e 44:22; Romanos 8:32).

MINHA HISTÓRIA

“Há doze anos eu era ateu. Pensava que Deus não existia. Estava disposto a trabalhar muito para alcançar todas as metas que estabeleci para minha vida. Queria ter um bom nível social. Aos 30 anos de idade atingi meu objetivo. Mas não me senti satisfeito. A vida me entediava.
“Nessa época encontrei uns amigos diferentes dos demais. Tinham uma paz interior e uma alegria que eu não tinha. Isso me incomodava. Quando me disseram que isso vinha de Deus, me aborreci ainda mais. Sempre rejeitei o fato de crer em Deus porque isso me parecia loucura. Porém a diferença entre o que percebia nos meus amigos e na minha própria vida era grande demais para ignorar.
“De repente meus pensamentos me pareceram vãos e falsos. Todo o meu sistema de pensamento e de valores, tão bem cultivado ao longo da minha vida, já não me trazia o resultado que eu esperei. Mas ainda assim foi muito difícil abrir mão deles. Lutei comigo mesmo por semanas.
“Por fim, me rendi ao óbvio: continuar pensando como eu pensara até então só me levaria para um buraco ainda pior. Entreguei minha vida a Jesus Cristo. A Bíblia, que rejeitei tanto, passou a ser minha regra de fé. Agora sei que existe um Deus, e um Deus que muda de fato a vida das pessoas.”

29 de abr de 2015

MISSIONÁRIO CHAMADO PARA IMPLANTAR IGREJAS

Herbert Behrens, um missionário chamado para pregar a tribos específicas do Sul da África, viajou para a África Central, Malawi nos anos 80 para pastorear a tribo Yao, conforme a DAWN FridayFax.
“Qual é o seu nome e o que quer de nós?” perguntou a Behrens no primeiro encontro, o cacique Chauke, um líder regional Yao. “Meu nome é Herbert e venho pregar-lhes o evangelho de Jesus Cristo”, respondeu Behrens. Ele contou que começou um tumulto quando os anciãos da tribo começaram a falar todos juntos. Finalmente, o cacique tranquilizou-os e deu ao missionário a permissão para pregar.
Anos mais tarde, ele descobriu porque eles reagiram tão estranhamente. Nos anos 60, outro missionário chamado Herbert tinha vindo para a aldeia e feito seis conversões, mas os aldeões mataram todos eles. Quando eles ouviram o nome de Behrens e o seu propósito, acreditaram que o primeiro Herbert tinha voltado para vingar-se. O segundo Herbert e seu grupo fundaram 12 igrejas entre os Yao.
(Religiontoday.crosswalk.com - Pulpit Helps)

BENEFÍCIOS DAS PROVAÇÕES

Texto Bíblico: Tiago 1:2-8
Texto Bíblico de Destaque: I Pedro 4:13
Pensamento Chave: Através das provações somos conscientizados das nossas limitações e também da necessidade de dependermos inteiramente de Deus.

INTRODUÇÃO:
Apesar de positiva no seu ensino, não há duvida de que a Epístola de Tiago é pouco enfatizada junto aos cristãos. Ao contrário da maioria dos livros da Bíblia, a Epístola de Tiago começa como que persuadindo os crentes a viverem alegres em meio a uma situação na qual nenhum deles gostariam de encontrar-se; as provações e tentações da vida. Mas, uma vez que, segundo as palavras do Senhor Jesus, é inevitável que o crente viva sem aflições (João 16:33), como devemos encarar as provações e como devemos nos portar diante delas? Procuremos resposta a esta indagação seguindo o ensino de Tiago, irmão e apostolo do Senhor Jesus Cristo.

I. O QUE A BÍBLIA ENSINA SOBRE AS PROVAÇÕES.
Antes de nos aprofundarmos no que Tiago ensinou quanto ao comportamento cristão face às provações, procuremos descobrir o que a Bíblia, de maneira mais abrangente, ensina sobre este assunto.
1. As Provações, Um Tema Abrangente Nas Escrituras.
O conceito de “provação” aparece expresso na Bíblia através dos mais diferentes termos, tais como: tentação, angústia, tempos trabalhosos, etc... A Bíblia registra que Deus provou Abraão pedindo-lhe seu filho Isaque (Gn.22:1e 2). Jesus foi tentado pelo diabo no deserto (Mt.4:1). Escrevendo à Timóteo , o apóstolo Paulo fala de tempos trabalhosos, referindo-se às provações dos dias futuros (II Tm.3:1).
2. As Provações Uma Constante Na Vida Do Crente Piedoso. 
Diz a Bíblia que “todos os que piamente querem viver em Cristo Jesus padecerão perseguições” (II Tm.3:12). Neste caso as perseguições sofridas por causa de Jesus, se constituem numa forma de provação. Jesus mesmo chamou de bem-aventurado os que sofrem perseguições por sua causa (Mt.5:11). Sofrer perseguições pelo nome de Cristo faz parte da decisão do crente, pois ele tem de negar-se a si mesmo, tomar a sua cruz e seguí-Lo (Mt.10:38).
3. As provações, Fator De Bênçãos Para O Crente Piedoso. 
Escrevendo aos “eleitos segundo a presciência de Deus Pai” (I Pd.1:2). O apóstolo Pedro exorta: “Que nenhum de vós padeça como homicida, ou ladrão, ou malfeitor, ou como o que se entremete em negócios alheios; mas, se padece como cristão, não se envergonhe, antes glorifique a Deus nesta parte” (I Pd.4:15-16). Existe muitos cristãos que padecem por teimosia, capricho e intransigência, “se intrometendo em negócios alheios” e depois dizem que estão padecendo por seguir a Jesus. Tal sofrimento, neste caso, é de nenhum valor perante o Senhor.

II. O COMPORTAMENTO DO CRISTÃO FACE ÀS PROVAÇÕES
O apóstolo Tiago introduz a sua epístola, estabelecendo o tipo de comportamento que o cristão deve ter face às provações ou tentações da vida, bem como definindo os efeitos práticos das provações para a vida cristã. De acordo com a sábia doutrina desse apóstolo do Senhor, destacamos os seguintes fatos:
1. O Crente Deve Encarar Com Gozo As Tentações (Tg.1:2)
De modo enfático Tiago começa a sua epístola exortando a comunidade cristã para que considere as provações como ocasião de regozijo. O imperativo tende, significa considerai ou entendei que assim é. A expressão grande gozo, significa nada menos do que alegria ou suprema alegria.
2. Através Das Tentações O Crente É Provado Na Fé (Tiago 1:3)
Sobre isto escreveu o apóstolo Pedro: “Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo” (I Pd.1:7). Só quando provada em meio às tentações e adversidades da vida é que a fé se transforma em testemunhos de fidelidade diante de Deus.
3. A Fé Provada Obra A Paciência (Tg.1:3)
Muitos crentes oram pedindo paciência, como se esta fosse uma virtude comunicada direta e exclusivamente de Deus. Com o fato de que a paciência é uma virtude aprendida, resultante das provações da vida, concorda o apóstolo Paulo quando escreve: “...a tribulação produz a a paciência” (Rm.5:3). Portanto, que o crente não se assuste ao ver multiplicadas as suas tribulações enquanto ora pedindo paciência; pois como já aprendemos, é pela tribulação que vem a paciência.
4. A Paciência Conduz O Crente À Perfeição (Tg.1:4)
Provado e aprovado por Deus. Davi pôde testemunhar da sua capacidade de esperar em paciência no Senhor, em meio às circunstâncias e adversidades da vida (Sl.40:1-3). Mas, ao contrario do doce salmista de Israel, muitos crentes tem perdido excelentes oportunidades de crescer espiritualmente e de desenvolver o seu caráter em meio às provações pelas quais passam. De acordo com o ensino de Paulo “a tribulação produz a paciência, e a paciência a experiência, e a experiência a esperança” (Rm.5:3-4).

III. SABEDORIA FACE ÀS PROVAÇÕES
Se nos falta sabedoria para enfrentar as provações, angústias e tentações do tempo presente, devemos pedi-la em oração à Deus.
1. Falta-nos Às Vezes, Sabedoria Para Agir (Tg.1:5)
Quem em várias ocasiões, não se via diante de situações embaraçosas, das quais não sabia como sair? Quem; em algum momento, não se viu preso por correntes de angustia, ou frente com alguma tentação humana invencível? Todos nós sem dúvida. É nesta hora que descobrimos a inutilidade do tempo e das horas que deixamos passar sem estreitarmos os laços que nos unem a Deus – a fonte de toda ciência.
2. Deus Está Pronto A Nos Comunicar A Sua Sabedoria (Tg.1:5)
Uma vez que em Deus está a fonte de toda a ciência e a sabedoria, só Ele é capaz de concedê-la “liberalmente” sem restrições, à todos quantos a buscarem sinceramente e submissamente. Só a sabedoria que emana do alto, de Deus, é capaz de dar ao crente a inteligência necessária em meio a todas as circunstâncias da vida. “Porque o Senhor dá a sabedoria; da sua boca é que vem o conhecimento e o entendimento. Ele reserva a verdadeira sabedoria para os retos. Escudo é para os que caminham na sinceridade” (Pv.2:6-7). 
A fé é moeda do cristão nas suas transações com o bem; qualquer outra moeda é falsa e de nenhum valor nos negócios do reino celestial.
3. Deus Atende O Apelo Da Fé (Tg.1:6)
A verdadeira ciência da vida é comunicada por Deus ao crente em atenção à sua atitude de fé. A vida de fé é serena como uma piscina. Mas, “o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento, e lançada de uma para outra parte” (Tg.1:6). O homem incrédulo é, aqui, assemelhado ao mar de ondas enfurecidas, e Tiago afirma que o mesmo não receberá do Senhor coisa alguma (Tg.1:7).
4. Só O Crente Sincero Tem A Vitória Assegurada (Tg.1:8)
O homem de coração vacilante, dividido entre viver por fé e viver pelo que viu os seus olhos, é inconstante, inseguro em todos os seus caminhos. Ele anda como se estivesse andando sobre areia movediça ou sobre um colchão d’água. O modo é o seu aqui e agora, e a incerteza o seu horizonte e futuro. Enquanto isso “Os que confiam no Senhor serão como o monte de Sião, que não se abala, mas permanece para sempre” (Sl.125:1). De acordo com as palavras do sábio Salomão, só “o justo tem perpetuo fundamento” (Pv.10:25).

CONCLUSÃO
O que até aqui temos estudado com base na Epístola de Tiago 1:2-8, pode ser sintetizado da seguinte forma:
1. As Provações São Inevitáveis. Mesmo assim o crente deve encará-las com otimismo e gozo no Senhor.
2.As Provações Têm Recompensas.
O resultado das provações será a paciência e o progresso na conquista da perfeição cristã.
3.Deus Está Pronto A Nos Dar Sabedoria A Fim De Que Apresentemos O Caminho Da Paciência Nas Provações. 
Uma vez que Deus nos prova com o propósito de nos aprovar, só Ele conhece os melhores meios para tornar isso possível.
4. Deus Honra a Vida de Fé.
Os céus e todos os seus tesouros estão a mercê do homem e da mulher, de fé. A vitória que vence o mundo é a nossa fé (I João 5:4).

TESTE SEU APRENDIZADO
1.Como Tiago inicia sua epístola?
2.Cite alguns termos que aparecem nas Escrituras com o mesmo sentido de provação.
3.O que ensina a Bíblia sobre provação?
4.Através de que meio o crente adquire a paciência? Cite um versículo que confirme

Pr. Joselito Jesus de Assis

SOU UM PREGADOR


Visto como na sabedoria de Deus o mundo não conheceu a Deus pela sua sabedoria, aprouve a Deus salvar os crentes pela loucura da pregação.” (I Cor. 1:21).
“Para o que fui constituído pregador...” (I Tim. 2:7).
Sou um pregador. Sou um mensageiro de notícias alegres, um editor da sã doutrina. Proclamo a verdade que Jesus salva, examina o interior e cumpre Suas promessas. Sou um pregador.
Como vivo e respiro, sou um pregador. É meu modo de viver. De uma forma ou de outra, esta identidade, este propósito percorre meus pensamentos quando acordo. Eu pondero isso entre os primeiros pensamentos de manhã e os últimos antes de dormir. Pensar que a causa de nosso Senhor Jesus Cristo teve êxito em algum cantinho deste mundo por meu intermédio, literalmente me assusta! Certamente, alguma outra pessoa, muitas outras, poderiam servir melhor. Mas não estou só... abandonado, mesmo nos vales mais baixos ou nas montanhas mais altas.
Sou um pregador, falho talvez, um fraco; mas escolhido por Deus como um daqueles fracos e comuns que ele usará para confundir os fortes e poderosos. A mensagem que eu trago é loucura para os que perecem... mas eu não devo parar de trazer a mensagem, tornando-a conhecida por eles. A força de Deus se manifesta em minha fraqueza... Seu jeito adequado é que se evidencia em meu jeito inadequado.
Através do desafio do grande Charles H. Spurgeon, eu me despertei. “Acabem com isso” ele pregou. “Lá no alto onde todo o olho pode vê-lo, deixe-o ser pregado. Se algum homem está prestes a guerrear com Jesus, está prestes a guerrear comigo. Deixe toda terra e inferno saberem disso de uma vez por todas.”
Como o poderoso Josué, já velho, escolheu a quem servir, no melhor ou no pior, em qualquer circunstância, na saúde e na doença, eu aqui e agora, declaro que não posso participar deste pão, nem usar este uniforme, nem servir sob sua ordem, enquanto eu negar Sua vontade, Seu cuidado, Sua paz dentro de mim.
Eu não vou morder a mão carinhosa que me alimenta. Eu não vou atacar as mãos que tiram os espinhos para mim. Deus me socorre a todo custo para estar firme, inabalável, sempre preocupado com seu Seu serviço. Tal trabalho não é em vão! Deus permite até que eu possa morrer antes de vir a ter uma “vida podre”. 
Sou um pregador! Não como um hoby... não como um louco! Sem debates, sem frivolidade, sem hesitação; com clareza.
Sou um pregador... e eu agradeço a Deus pela graça, que torna isso possível. Meus amigos acreditam tanto quanto eu... outros, preciso deixá-los e continuar constantemente firme, apesar dos que me cercam e dos atuais costumes, apesar da acusação e da tentação! Sem disfarce, sem segredo, sem velas acesas escondidas, publicamente, abertamente eu preciso continuar... Veja, meu Salvador não fez mistérios sobre isso estando no meu lugar. Ele foi publicamente ultrajado por mim... e por todos.
Como eu vivo e respiro, sou um pregador. Louvado seja o Senhor!

Rev. Marvin J. Frady
(Sword of the Lord)

Plano de Leitura Bíblica em um Ano (Mês 3, dia 29)

I Samuel 25-27

I Samuel 25

 (1) E FALECEU Samuel, e todo o Israel se ajuntou, e o prantearam, e o sepultaram na sua casa, em Ramá. E Davi se levantou e desceu ao deserto de Parã. (2) E havia um homem em Maom, que tinha as suas possessões no Carmelo; e era este homem muito poderoso, e tinha três mil ovelhas e mil cabras; e estava tosquiando as suas ovelhas no Carmelo. (3) E era o nome deste homem Nabal, e o nome de sua mulher Abigail; e era a mulher de bom entendimento e formosa; porém o homem era duro, e maligno nas obras, e era da casa de Calebe. (4) E ouviu Davi no deserto que Nabal tosquiava as suas ovelhas, (5) E enviou Davi dez moços, e disse aos moços: Subi ao Carmelo, e, indo a Nabal, perguntai-lhe, em meu nome, como está. (6) E assim direis àquele próspero: Paz tenhas, e que a tua casa tenha paz, e tudo o que tens tenha paz! (7) Agora, pois, tenho ouvido que tens tosquiadores. Ora, os pastores que tens estiveram conosco; agravo nenhum lhes fizemos, nem coisa alguma lhes faltou todos os dias que estiveram no Carmelo. (8) Pergunta-o aos teus moços, e eles to dirão. Estes moços, pois, achem graça em teus olhos, porque viemos em boa ocasião. Dá, pois, a teus servos e a Davi, teu filho, o que achares à mão. (9) Chegando, pois, os moços de Davi, e falando a Nabal todas aquelas palavras em nome de Davi, se calaram. (10) E Nabal respondeu aos criados de Davi, e disse: Quem é Davi, e quem é o filho de Jessé? Muitos servos há hoje, que fogem ao seu senhor. (11) Tomaria eu, pois, o meu pão, e a minha água, e a carne das minhas reses que degolei para os meus tosquiadores, e o daria a homens que eu não sei donde vêm? (12) Então os moços de Davi puseram-se a caminho e voltaram, e chegando, lhe anunciaram tudo conforme a todas estas palavras. (13) Por isso disse Davi aos seus homens: Cada um cinja a sua espada. E cada um cingiu a sua espada, e cingiu também Davi a sua; e subiram após Davi uns quatrocentos homens, e duzentos ficaram com a bagagem. (14) Porém um dentre os moços o anunciou a Abigail, mulher de Nabal, dizendo: Eis que Davi enviou mensageiros desde o deserto a saudar o nosso amo; porém ele os destratou. (15) Todavia, aqueles homens têm-nos sido muito bons, e nunca fomos agravados por eles, e nada nos faltou em todos os dias que convivemos com eles quando estavam no campo. (16) De muro em redor nos serviram, assim de dia como de noite, todos os dias que andamos com eles apascentando as ovelhas. (17) Considera, pois, agora, e vê o que hás de fazer, porque o mal já está de todo determinado contra o nosso amo e contra toda a sua casa, e ele é um homem vil, que não há quem lhe possa falar. (18) Então Abigail se apressou, e tomou duzentos pães, e dois odres de vinho, e cinco ovelhas guisadas, e cinco medidas de trigo tostado, e cem cachos de passas, e duzentas pastas de figos passados, e os pôs sobre jumentos. (19) E disse aos seus moços: Ide adiante de mim, eis que vos seguirei de perto. O que, porém, não declarou a seu marido Nabal. (20) E sucedeu que, andando ela montada num jumento, desceu pelo encoberto do monte, e eis que Davi e os seus homens lhe vinham ao encontro, e ela encontrou-se com eles. (21) E disse Davi: Na verdade que em vão tenho guardado tudo quanto este tem no deserto, e nada lhe faltou de tudo quanto tem, e ele me pagou mal por bem. (22) Assim faça Deus aos inimigos de Davi, e outro tanto, se eu deixar até amanhã de tudo o que tem, até mesmo um menino. (23) Vendo, pois, Abigail a Davi, apressou-se, e desceu do jumento, e prostrou-se sobre o seu rosto diante de Davi, e se inclinou à terra. (24) E lançou-se a seus pés, e disse: Ah, senhor meu, minha seja a transgressão; deixa, pois, falar a tua serva aos teus ouvidos, e ouve as palavras da tua serva. (25) Meu senhor, agora não faça este homem vil, a saber, Nabal, impressão no seu coração, porque tal é ele qual é o seu nome. Nabal é o seu nome, e a loucura está com ele, e eu, tua serva, não vi os moços de meu senhor, que enviaste. (26) Agora, pois, meu senhor, vive o SENHOR, e vive a tua alma, que o SENHOR te impediu de vires com sangue, e de que a tua mão te salvasse; e, agora, tais quais Nabal sejam os teus inimigos e os que procuram mal contra o meu senhor. (27) E agora este é o presente que trouxe a tua serva a meu senhor; seja dado aos moços que seguem ao meu senhor. (28) Perdoa, pois, à tua serva esta transgressão, porque certamente fará o SENHOR casa firme a meu senhor, porque meu senhor guerreia as guerras do SENHOR, e não se tem achado mal em ti por todos os teus dias, (29) E, levantando-se algum homem para te perseguir, e para procurar a tua morte, contudo a vida de meu senhor será atada no feixe dos que vivem com o SENHOR teu Deus; porém a vida de teus inimigos ele arrojará ao longe, como do meio do côncavo de uma funda. (30) E há de ser que, usando o SENHOR com o meu senhor conforme a todo o bem que já tem falado de ti, e te houver estabelecido príncipe sobre Israel, (31) Então, meu senhor, não te será por tropeço, nem por pesar no coração, o sangue que sem causa derramaste, nem tampouco por ter se vingado o meu senhor a si mesmo; e quando o SENHOR fizer bem a meu senhor, lembra-te então da tua serva. (32) Então Davi disse a Abigail: Bendito o SENHOR Deus de Israel, que hoje te enviou ao meu encontro. (33) E bendito o teu conselho, e bendita tu, que hoje me impediste de derramar sangue, e de vingar-me pela minha própria mão. (34) Porque, na verdade, vive o SENHOR Deus de Israel, que me impediu de que te fizesse mal, que se tu não te apressaras, e não me vieras ao encontro, não ficaria a Nabal até a luz da manhã nem mesmo um menino. (35) Então Davi tomou da sua mão o que tinha trazido, e lhe disse: Sobe em paz à tua casa; vês aqui que tenho dado ouvidos à tua voz, e tenho aceitado a tua face. (36) E, vindo Abigail a Nabal, eis que tinha em sua casa um banquete, como banquete de rei; e o coração de Nabal estava alegre nele, e ele já muito embriagado, pelo que ela não lhe deu a entender coisa alguma, pequena nem grande, até à luz da manhã. (37) Sucedeu, pois, que pela manhã, estando Nabal já livre do vinho, sua mulher lhe deu a entender aquelas coisas; e se amorteceu o seu coração, e ficou ele como pedra. (38) E aconteceu que, passados quase dez dias, feriu o SENHOR a Nabal, e este morreu. (39) E, ouvindo Davi que Nabal morrera, disse: Bendito seja o SENHOR, que julgou a causa de minha afronta recebida da mão de Nabal, e deteve a seu servo do mal, fazendo o SENHOR tornar o mal de Nabal sobre a sua cabeça. E mandou Davi falar a Abigail, para tomá-la por sua mulher. (40) Vindo, pois, os criados de Davi a Abigail, no Carmelo, lhe falaram, dizendo: Davi nos tem mandado a ti, para te tomar por sua mulher. (41) Então ela se levantou, e se inclinou com o rosto em terra, e disse: Eis que a tua serva servirá de criada para lavar os pés dos criados de meu senhor. (42) E Abigail se apressou, e se levantou, e montou num jumento com as suas cinco moças que seguiam as suas pisadas; e ela seguiu os mensageiros de Davi, e foi sua mulher. (43) Também tomou Davi a Ainoã de Jizreel; e ambas foram suas mulheres. (44) Porque Saul tinha dado sua filha Mical, mulher de Davi, a Palti, filho de Laís, o qual era de Galim.

I Samuel 26

 (1) E VIERAM os zifeus a Saul, a Gibeá, dizendo: Não está Davi escondido no outeiro de Haquilá, defronte de Jesimom? (2) Então Saul se levantou e desceu ao deserto de Zife, e com ele três mil homens escolhidos de Israel, a buscar a Davi no deserto de Zife. (3) E acampou-se Saul no outeiro de Haquilá, que está defronte de Jesimom, junto ao caminho; porém Davi ficou no deserto, e viu que Saul vinha seguindo-o no deserto. (4) Pois Davi enviou espias, e soube que Saul tinha vindo. (5) E Davi se levantou, e foi ao lugar onde Saul se tinha acampado; viu Davi o lugar onde se tinha deitado Saul, e Abner, filho de Ner, capitão do seu exército; e Saul estava deitado dentro do lugar dos carros, e o povo estava acampado ao redor dele. (6) E dirigindo-se Davi a Aimeleque, o heteu, e a Abisai, filho de Zeruia, irmão de Joabe, disse: Quem descerá comigo a Saul ao arraial? E respondeu Abisai: Eu descerei contigo. (7) Foram, pois, Davi e Abisai de noite ao povo, e eis que Saul estava deitado dormindo dentro do lugar dos carros, e a sua lança estava fincada na terra à sua cabeceira; e Abner e o povo deitavam-se ao redor dele. (8) Então disse Abisai a Davi: Deus te entregou hoje nas mãos o teu inimigo; deixa-me, pois, agora encravá-lo com a lança de uma vez na terra, e não o ferirei segunda vez. (9) E disse Davi a Abisai: Nenhum dano lhe faças; porque quem estendeu a sua mão contra o ungido do SENHOR, e ficou inocente? (10) Disse mais Davi: Vive o SENHOR que o SENHOR o ferirá, ou o seu dia chegará em que morra, ou descerá para a batalha e perecerá. (11) O SENHOR me guarde, de que eu estenda a mão contra o ungido do SENHOR; agora, porém, toma a lança que está à sua cabeceira e a bilha de água, e vamo-nos. (12) Tomou, pois, Davi a lança e a bilha de água, da cabeceira de Saul, e foram-se; e ninguém houve que o visse, nem que o advertisse, nem que acordasse; porque todos estavam dormindo, porque da parte do SENHOR havia caído sobre eles um profundo sono. (13) E Davi, passando ao outro lado, pôs-se no cume do monte ao longe, de maneira que entre eles havia grande distância. (14) E Davi bradou ao povo, e a Abner, filho de Ner, dizendo: Não responderás, Abner? Então Abner respondeu e disse: Quem és tu, que bradas ao rei? (15) Então disse Davi a Abner: Porventura não és homem? E quem há em Israel como tu? Por que, pois, não guardaste o rei, teu senhor? Porque um do povo veio para destruir o rei, teu senhor. (16) Não é bom isso, que fizeste; vive o SENHOR, que sois dignos de morte, vós que não guardastes a vosso senhor, o ungido do SENHOR; vede, pois, agora onde está a lança do rei, e a bilha de água, que tinha à sua cabeceira. (17) Então conheceu Saul a voz de Davi, e disse: Não é esta a tua voz, meu filho Davi? E disse Davi: É minha voz, ó rei meu senhor. (18) Disse mais: Por que persegue o meu senhor tanto o seu servo? Que fiz eu? E que maldade se acha nas minhas mãos? (19) Ouve, pois, agora, te rogo, rei meu senhor, as palavras de teu servo: Se o SENHOR te incita contra mim, receba ele a oferta de alimentos; se, porém, são os filhos dos homens, malditos sejam perante o SENHOR; pois eles me têm expulsado hoje para que eu não tenha parte na herança do SENHOR, dizendo: Vai, serve a outros deuses. (20) Agora, pois, não se derrame o meu sangue na terra diante do SENHOR; pois saiu o rei de Israel em busca de uma pulga, como quem persegue uma perdiz nos montes. (21) Então disse Saul: Pequei; volta, meu filho Davi, porque não tornarei a fazer-te mal; porque foi hoje preciosa a minha vida aos teus olhos; eis que procedi loucamente, e errei grandissimamente. (22) Davi então respondeu, e disse: Eis aqui a lança do rei; venha cá um dos moços, e leve-a. (23) O SENHOR, porém, pague a cada um a sua justiça e a sua lealdade; pois o SENHOR te entregou hoje na minha mão, porém não quis estender a minha mão contra o ungido do SENHOR. (24) E eis que, assim como foi a tua vida hoje de tanta estima aos meus olhos, assim seja a minha vida de muita estima aos olhos do SENHOR, e ele me livre de toda a tribulação. (25) Então Saul disse a Davi: Bendito sejas tu, meu filho Davi; pois grandes coisas farás e também prevalecerás. Então Davi se foi pelo seu caminho e Saul voltou para o seu lugar.

I Samuel 27

 (1) DISSE, porém, Davi no seu coração: Ora, algum dia ainda perecerei pela mão de Saul; não há coisa melhor para mim do que escapar apressadamente para a terra dos filisteus, para que Saul perca a esperança de mim, e cesse de me buscar por todos os termos de Israel; e assim escaparei da sua mão. (2) Então Davi se levantou, e passou, com os seiscentos homens que com ele estavam, a Aquis, filho de Maoque, rei de Gate. (3) E Davi ficou com Aquis em Gate, ele e os seus homens, cada um com a sua casa; Davi com ambas as suas mulheres, Ainoã, a jizreelita, e Abigail, a mulher de Nabal, o carmelita. (4) E, sendo Saul avisado que Davi tinha fugido para Gate, não cuidou mais de buscá-lo. (5) E disse Davi a Aquis: Se eu tenho achado graça em teus olhos, dá-me lugar numa das cidades da terra, para que ali habite; pois por que razão habitaria o teu servo contigo na cidade real? (6) Então lhe deu Aquis, naquele dia, a cidade de Ziclague (por isso Ziclague pertence aos reis de Judá, até ao dia de hoje). (7) E foi o número dos dias, que Davi habitou na terra dos filisteus, um ano e quatro meses. (8) E subia Davi com os seus homens, e davam sobre os gesuritas, e os gersitas, e os amalequitas; porque antigamente foram estes os moradores da terra que se estende na direção de Sur, até à terra do Egito. (9) E Davi feria aquela terra, e não dava vida nem a homem nem a mulher, e tomava ovelhas, e vacas, e jumentos, e camelos, e vestes; e voltava, e vinha a Aquis. (10) E dizendo Aquis: Onde atacastes hoje? Davi dizia: Sobre o sul de Judá, e sobre o sul dos jerameelitas, e sobre o sul dos queneus. (11) E Davi não deixava com vida nem a homem nem a mulher, para trazê-los a Gate, dizendo: Para que porventura não nos denunciem, dizendo: Assim Davi o fazia. E este era o seu costume por todos os dias que habitou na terra dos filisteus. (12) E Aquis confiava em Davi, dizendo: Fez-se ele por certo aborrecível para com o seu povo em Israel; por isso me será por servo para sempre.

Devocional Boa Semente 29/04/2015

Porém, Jonas se levantou para fugir da presença do Senhor para Társis. E descendo a Jope, achou um navio que ia para Társis; pagou, pois, a sua passagem, e desceu para dentro dele, para ir com eles para Társis, para longe da presença do Senhor (Jonas 1:3).

DUAS LIÇÕES DA EXPERIÊNCIA DE JONAS

A história do profeta Jonas contém importantes ensinos que todo cristão deveria saber de cor. Hoje queremos abordar dois pontos específicos.

Jonas não estava disposto para cumprir a missão que Deus lhe havia confiado. Portanto, tentou fugir da presença de Deus. Ao fazer isso, ele entrou na rota da desobediência, que sempre leva para baixo, como a experiência de Jonas mostra. Desobedecer à Palavra de Deus tem suas consequências. De fato, um caminho diretamente oposto à vontade de Deus revelada na bíblia conduz à destruição certa. Vale a pena notar isso na vida de Jonas.

O segundo ponto é o fato de que é impossível escapar do Senhor, não importa o quanto se tenta. Assim como o Senhor alcançou Jonas, em algum estágio o Senhor também nos alcança. Davi, escritor do Salmo 139, tinha plena consciência de que Deus era onipresente: “Para onde me irei do teu espírito, ou para onde fugirei da tua face? Se subir ao céu, lá tu estás; se fizer no inferno a minha cama, eis que tu ali estás também” (Salmo 139:7-8). A onipresença de Deus também é consoladora. Assim, como ele viu Jonas e foi atrás do profeta, Deus também nos vê onde quer que estejamos. E nos segue para nos fazer voltar da insanidade do caminho da desobediência. E não nos ignora simplesmente. Quando nos desviamos dele, podemos ter certeza de que o Pai irá nos buscar para nos trazer a Si novamente. Como ele é maravilhoso!

28 de abr de 2015

AS SOBRAS

Quando você convida alguém especial para visitar sua casa, você esquenta as sobras do refrigerador e serve em pratos de papel na frente da televisão? Claro que não. Muitos de nós preparamos uma refeição especial, usamos os melhores pratos, e organizamos nosso horário para que possamos passar um tempo agradável com nossas visitas. Em outras palavras, nós oferecemos o nosso melhor.
Quantos de nós convidamos ao Senhor Jesus para a nossa vida e então o servimos com as “sobras” ? Damos a Ele o tempo que “sobra” do nosso trabalho, da nossa família ou do nosso divertimento. Damos a ele as sobras de talento de nossas organizações sociais, nossas atividades esportivas ou nossos hobbies. Damos a Ele o dinheiro que sobra após pagarmos nossas contas e taxas, e algum dinheiro da parte para nossas férias.
De todos os vossos dons ofereceis toda a oferta alçada ao Senhor; do melhor deles, a sua santa parte.” ( Núm. 18: 29 )
Eu tenho dado ao Senhor que morreu por mim a santa parte, ou as “sobras” ?
(The Peni-News - Pulpit Helps)

ORAÇÃO

Todos nós reconhecemos que a oração é uma parte muito vital de um cristão. Entre tanto, essa visão é porque nós temos sido ensinados que a oração é a coisa certa para se fazer, e não porque experimentamos uma verdadeira relação com Deus através da oração. Muitas vezes nós temos orado por obrigação, e não sentimos a presença de Deus, não acreditamos que isto poderia fazer diferença na nossa maneira de viver. Louve a Deus, pois a oração se propõe a ser e pode ser muito mais que um simples ritual vazio. Isso é falar com Deus, em companhia de Deus; é estar constantemente em sua presença; é a segurança de que Ele está próximo e no controle de uma vida. É sabido que quando alguém fala com Deus, isso faz diferença em sua vida. Para os cristãos, a oração é a sua própria vida. As seguintes sugestões ajudam este escritor na oração. Elas são dadas, com oração, para ajudar você.

  1. Converse com Deus do seu próprio jeito. Não tente orar como os outros fazem.
  2. Sempre coloque Deus num lugar de reverência e poder em sua mente.
  3. Pense em “falar com Deus” em lugar de “orar a Deus”. Isso faz Deus real e pessoal , em vez de distante.
  4. Abstenha-se do uso de velhas frases que não têm relação com sua vida secular. 
  5. Abstenha-se do uso da frase: “Ter uma palavra de oração”. Isso implica que a oração é somente um ritual que fazemos ocasionalmente, em vez de fazer parte de nossa vida.
  6. Ore particularmente e especificamente. Use os nomes da pessoas e lugares. Chame os pecados e as bençãos pelos nomes.
  7. Adquira o hábito de falar com Deus em qualquer lugar, em qualquer hora, sobre qualquer coisa. Veja-O como uma companhia constante.
  8. Procure pessoas com quem você possa orar durante o dia.
  9. Ore esperando a resposta de Deus. Fale com Deus acreditando que as coisas serão diferentes por causa da conversa. Observe os resultados de suas orações.
  10. Deixe de lado a ira com seu irmão, desentendimentos com sua esposa e incredulidade. Estas atitudes e situações obstruem o canal com Deus e impedem a comunicação com Ele.

(Gary Taliaferro - The Lamp - Pulpit Helps)

O SALMÃO PODE; NÓS NÃO.

Quando o salmão sobe quilômetros de rios e riachos na época da piracema, está seguindo seu instinto. De certa maneira, ele é guiado por uma força incontrolável. O ser humano, por outro lado, é diferente. Não podemos culpar o instinto pelas nossas atitudes; somos responsáveis pelo que fazemos. Embora possamos ser impulsionados a agir, nós fazemos as escolhas que nos levam a pecar.
Um jovem condenado à morte, e que escapou da execução por meio de uma decisão de última hora do Supremo Tribunal, declarou que o instinto humano e o instinto animal são iguais. Ao referir-se aos assassinatos que cometeu, e a seu próprio destino, o jovem afirmou: “As coisas simplesmente acontecem”. Parece que ele acha que um tipo de força foi responsável por ele ter apertado o gatilho e matado duas pessoas que, por coincidência, estavam na cena do crime.
Há mais de 2.500 anos, alguns israelitas apresentaram o mesmo argumento. Eles citaram um conhecido provérbio que jogava para cima de seus ancestrais a culpa de seus pecados (Ezequiel 18.2). Mas Ezequiel disse-lhes que estavam errados. Que um homem justo não seria castigado pelos pecados de seu filho iníquo ; nem que um filho justo seria castigado pelos pecados de seu pai iníquo.
Não importa qual seja a nossa situação, somos responsáveis pelo que fazemos. Já é hora de pararmos de inventar desculpas pelos nossos pecados e darmos os primeiros passos em direção à responsabilidade individual, reconhecer nossa culpa e, então, confiar em Jesus Cristo.
(H. V. Lugt - Sword of the Lord)

Plano de Leitura Bíblica em um Ano (Mês 3, dia 28)

I Samuel 22-24

I Samuel 22

 (1) ENTÃO Davi se retirou dali, e escapou para a caverna de Adulão; e ouviram-no seus irmãos e toda a casa de seu pai, e desceram ali para ter com ele. (2) E ajuntou-se a ele todo o homem que se achava em aperto, e todo o homem endividado, e todo o homem de espírito desgostoso, e ele se fez capitão deles; e eram com ele uns quatrocentos homens. (3) E foi Davi dali a Mizpá dos moabitas, e disse ao rei dos moabitas: Deixa estar meu pai e minha mãe convosco, até que saiba o que Deus há de fazer de mim. (4) E trouxe-os perante o rei dos moabitas, e ficaram com ele todos os dias que Davi esteve no lugar forte. (5) Porém o profeta Gade disse a Davi: Não fiques naquele lugar forte; vai, e entra na terra de Judá. Então Davi saiu, e foi para o bosque de Herete. (6) E ouviu Saul que já se sabia de Davi e dos homens que estavam com ele; e estava Saul em Gibeá, debaixo de um arvoredo, em Ramá, e tinha na mão a sua lança, e todos os seus criados estavam com ele. (7) Então disse Saul a todos os seus criados que estavam com ele: Ouvi, peço-vos, filhos de Benjamim, dar-vos-á também o filho de Jessé, a todos vós, terras e vinhas, e far-vos-á a todos capitães de milhares e capitães de centenas, (8) Para que todos vós tenhais conspirado contra mim, e ninguém há que me dê aviso de que meu filho tem feito aliança com o filho de Jessé, e nenhum dentre vós há que se doa de mim, e mo participe, pois meu filho tem contra mim sublevado a meu servo, para me armar ciladas, como se vê neste dia? (9) Então respondeu Doegue, o edomeu, que também estava com os criados de Saul, e disse: Vi o filho de Jessé chegar a Nobe, a Aimeleque, filho de Aitube, (10) O qual consultou por ele ao SENHOR, e lhe deu mantimento, e lhe deu também a espada de Golias, o filisteu. (11) Então o rei mandou chamar a Aimeleque, sacerdote, filho de Aitube, e a toda a casa de seu pai, os sacerdotes que estavam em Nobe; e todos eles vieram ao rei. (12) E disse Saul: Ouve, peço-te, filho de Aitube. E ele disse: Eis-me aqui, senhor meu. (13) Então lhe disse Saul: Por que conspirastes contra mim, tu e o filho de Jessé? Pois deste-lhe pão e espada, e consultaste por ele a Deus, para que se levantasse contra mim a armar-me ciladas, como se vê neste dia? (14) E respondeu Aimeleque ao rei e disse: E quem, entre todos os teus criados, há tão fiel como Davi, o genro do rei, pronto na sua obediência, e honrado na tua casa? (15) Comecei, porventura, hoje a consultar por ele a Deus? Longe de mim tal! Não impute o rei coisa nenhuma a seu servo, nem a toda a casa de meu pai, pois o teu servo não soube nada de tudo isso, nem muito nem pouco. (16) Porém o rei disse: Aimeleque, morrerás certamente, tu e toda a casa de teu pai, (17) E disse o rei aos da sua guarda que estavam com ele: Virai-vos, e matai os sacerdotes do SENHOR, porque também a sua mão é com Davi, e porque souberam que fugiu e não mo fizeram saber. Porém os criados do rei não quiseram estender as suas mãos para arremeter contra os sacerdotes do SENHOR. (18) Então disse o rei a Doegue: Vira-te, e arremete contra os sacerdotes. Então se virou Doegue, o edomeu, e arremeteu contra os sacerdotes, e matou naquele dia oitenta e cinco homens que vestiam éfode de linho. (19) Também a Nobe, cidade destes sacerdotes, passou a fio de espada, desde o homem até à mulher, desde os meninos até aos de peito, e até os bois, jumentos e ovelhas passou a fio de espada. (20) Porém escapou um dos filhos de Aimeleque, filho de Aitube, cujo nome era Abiatar, o qual fugiu para Davi. (21) E Abiatar anunciou a Davi que Saul tinha matado os sacerdotes do SENHOR. (22) Então Davi disse a Abiatar: Bem sabia eu naquele dia que, estando ali Doegue, o edomeu, não deixaria de o denunciar a Saul; eu dei ocasião contra todas as almas da casa de teu pai. (23) Fica comigo, não temas, porque quem procurar a minha morte também procurará a tua, pois estarás salvo comigo.

I Samuel 23

 (1) E FOI anunciado a Davi, dizendo: Eis que os filisteus pelejam contra Queila, e saqueiam as eiras. (2) E consultou Davi ao SENHOR, dizendo: Irei eu, e ferirei a estes filisteus? E disse o SENHOR a Davi: Vai, e ferirás aos filisteus, e livrarás a Queila. (3) Porém os homens de Davi lhe disseram: Eis que tememos aqui em Judá, quanto mais indo a Queila contra os esquadrões dos filisteus. (4) Então Davi tornou a consultar ao SENHOR, e o SENHOR lhe respondeu, e disse: Levanta-te, desce a Queila, porque te dou os filisteus na tua mão. (5) Então Davi partiu com os seus homens a Queila, e pelejou contra os filisteus, e levou os gados, e fez grande estrago entre eles; e Davi livrou os moradores de Queila. (6) E sucedeu que, quando Abiatar, filho de Aimeleque, fugiu para Davi, a Queila, desceu com o éfode na mão. (7) E foi anunciado a Saul que Davi tinha ido a Queila, e disse Saul: Deus o entregou nas minhas mãos, pois está encerrado, entrando numa cidade de portas e ferrolhos. (8) Então Saul mandou chamar a todo o povo à peleja, para que descessem a Queila, para cercar a Davi e os seus homens. (9) Sabendo, pois, Davi, que Saul maquinava este mal contra ele, disse a Abiatar, sacerdote: Traze aqui o éfode. (10) E disse Davi: Ó SENHOR, Deus de Israel, teu servo tem ouvido que Saul procura vir a Queila, para destruir a cidade por causa de mim. (11) Entregar-me-ão os cidadãos de Queila na sua mão? Descerá Saul, como o teu servo tem ouvido? Ah! SENHOR Deus de Israel! Faze-o saber ao teu servo. E disse o SENHOR: Descerá. (12) Disse mais Davi: Entregar-me-ão os cidadãos de Queila, a mim e aos meus homens, nas mãos de Saul? E disse o SENHOR: Entregarão. (13) Então Davi se levantou com os seus homens, uns seiscentos, e saíram de Queila, e foram-se aonde puderam; e sendo anunciado a Saul, que Davi escapara de Queila, cessou de sair contra ele. (14) E Davi permaneceu no deserto, nos lugares fortes, e ficou em um monte no deserto de Zife; e Saul o buscava todos os dias, porém Deus não o entregou na sua mão. (15) Vendo, pois, Davi, que Saul saíra à busca da sua vida, permaneceu no deserto de Zife, num bosque. (16) Então se levantou Jônatas, filho de Saul, e foi para Davi no bosque, e confortou a sua mão em Deus; (17) E disse-lhe: Não temas, que não te achará a mão de Saul, meu pai; porém tu reinarás sobre Israel, e eu serei contigo o segundo; o que também Saul, meu pai, bem sabe. (18) E ambos fizeram aliança perante o SENHOR; Davi ficou no bosque, e Jônatas voltou para a sua casa. (19) Então subiram os zifeus a Saul, a Gibeá, dizendo: Não se escondeu Davi entre nós, nos lugares fortes no bosque, no outeiro de Haquilá, que está à mão direita de Jesimom? (20) Agora, pois, ó rei, apressadamente desce conforme a todo o desejo da tua alma; a nós cumpre entregá-lo nas mãos do rei. (21) Então disse Saul: Bendito sejais vós do SENHOR, porque vos compadecestes de mim. (22) Ide, pois, e diligenciai ainda mais, e sabei e notai o lugar que freqüenta, e quem o tenha visto ali; porque me foi dito que é astutíssimo. (23) Por isso atentai bem, e informai-vos acerca de todos os esconderijos, em que ele se esconde; e então voltai para mim com toda a certeza, e ir-me-ei convosco; e há de ser que, se estiver naquela terra, o buscarei entre todos os milhares de Judá. (24) Então se levantaram eles e se foram a Zife, adiante de Saul; Davi, porém, e os seus homens estavam no deserto de Maom, na campina, à direita de Jesimom. (25) E Saul e os seus homens se foram em busca dele; o que anunciaram a Davi, que desceu para aquela penha, e ficou no deserto de Maom; o que ouvindo Saul, seguiu a Davi para o deserto de Maom. (26) E Saul ia deste lado do monte, e Davi e os seus homens do outro lado do monte; e, temeroso, Davi se apressou a escapar de Saul; Saul, porém, e os seus homens cercaram a Davi e aos seus homens, para lançar mão deles. (27) Então veio um mensageiro a Saul, dizendo: Apressa-te, e vem, porque os filisteus com ímpeto entraram na terra. (28) Por isso Saul voltou de perseguir a Davi, e foi ao encontro dos filisteus; por esta razão aquele lugar se chamou Rochedo das Divisões. (29) E subiu Davi dali, e ficou nos lugares fortes de En-Gedi.

I Samuel 24

 (1) E SUCEDEU que, voltando Saul de perseguir os filisteus, anunciaram-lhe, dizendo: Eis que Davi está no deserto de En-Gedi. (2) Então tomou Saul três mil homens, escolhidos dentre todo o Israel, e foi em busca de Davi e dos seus homens, até sobre os cumes das penhas das cabras montesas. (3) E chegou a uns currais de ovelhas no caminho, onde estava uma caverna; e entrou nela Saul, a cobrir seus pés; e Davi e os seus homens estavam nos fundos da caverna. (4) Então os homens de Davi lhe disseram: Eis aqui o dia, do qual o SENHOR te diz: Eis que te dou o teu inimigo nas tuas mãos, e far-lhe-ás como te parecer bem aos teus olhos. E levantou-se Davi, e mansamente cortou a orla do manto de Saul. (5) Sucedeu, porém, que depois o coração doeu a Davi, por ter cortado a orla do manto de Saul. (6) E disse aos seus homens: O SENHOR me guarde de que eu faça tal coisa ao meu senhor, ao ungido do SENHOR, estendendo eu a minha mão contra ele; pois é o ungido do SENHOR. (7) E com estas palavras Davi conteve os seus homens, e não lhes permitiu que se levantassem contra Saul; e Saul se levantou da caverna, e prosseguiu o seu caminho. (8) Depois também Davi se levantou, e saiu da caverna, e gritou por detrás de Saul, dizendo: Rei, meu senhor! E, olhando Saul para trás, Davi se inclinou com o rosto em terra, e se prostrou. (9) E disse Davi a Saul: Por que dás tu ouvidos às palavras dos homens que dizem: Eis que Davi procura o teu mal? (10) Eis que este dia os teus olhos viram, que o SENHOR hoje te pôs em minhas mãos nesta caverna, e alguns disseram que te matasse; porém a minha mão te poupou; porque disse: Não estenderei a minha mão contra o meu senhor, pois é o ungido do SENHOR. (11) Olha, pois, meu pai, vê aqui a orla do teu manto na minha mão; porque cortando-te eu a orla do manto, não te matei. Sabe, pois, e vê que não há na minha mão nem mal nem rebeldia alguma, e não pequei contra ti; porém tu andas à caça da minha vida, para ma tirares. (12) Julgue o SENHOR entre mim e ti, e vingue-me o SENHOR de ti; porém a minha mão não será contra ti. (13) Como diz o provérbio dos antigos: Dos ímpios procede a impiedade; porém a minha mão não será contra ti. (14) Após quem saiu o rei de Israel? A quem persegues? A um cão morto? A uma pulga? (15) O SENHOR, porém, será juiz, e julgará entre mim e ti, e verá, e advogará a minha causa, e me defenderá da tua mão. (16) E sucedeu que, acabando Davi de falar a Saul todas estas palavras, disse Saul: É esta a tua voz, meu filho Davi? Então Saul levantou a sua voz e chorou. (17) E disse a Davi: Mais justo és do que eu; pois tu me recompensaste com bem, e eu te recompensei com mal. (18) E tu mostraste hoje que procedeste bem para comigo, pois o SENHOR me tinha posto em tuas mãos, e tu não me mataste. (19) Porque, quem há que, encontrando o seu inimigo, o deixaria ir por bom caminho? O SENHOR, pois, te pague com bem, por isso que hoje me fizeste. (20) Agora, pois, eis que bem sei que certamente hás de reinar, e que o reino de Israel há de ser firme na tua mão. (21) Portanto agora jura-me pelo SENHOR que não desarraigarás a minha descendência depois de mim, nem desfarás o meu nome da casa de meu pai. (22) Então jurou Davi a Saul. E foi Saul para a sua casa; porém Davi e os seus homens subiram ao lugar forte.

Devocional Boa Semente 28/04/2015

Justificados pela fé, temos paz com Deus, por nosso Senhor Jesus Cristo (Romanos 5:1).

UM TESTEMUNHO DE VIDA

“Se antes de minha vida criminosa tivesse compreendido as palavras do Senhor Jesus: ‘Eu sou o caminho, e a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim’ (João 14:6), evitaria muito sofrimento, tanto para mim quanto para minhas vítimas.
“Aos 20 anos comecei a beber muito. Caí em depressão, e foi um passo para as drogas. Me tornei viciado. Com as drogas pensava que ficaria mais consciente da realidade, porém, ao invés disso, fiquei ainda mais confuso. Aos 28 anos tive de responder na Justiça por venda de drogas, roubo a banco e sequestro.
“Na prisão preventiva, surtei. Enlouqueci e depois de muitas deliberações sobre meu estado mental, fui condenado a 16 anos de cárcere.
“Devido ao meu estado e à sentença, uma profunda angústia tomou conta de mim. Graças às reuniões cristãos que ocorriam aos domingos na prisão, à assistência aos grupos de estudo bíblico, e à ajuda de outros detentos, a mensagem do Senhor Jesus Cristo me alcançou. Depois de cinco anos pude firmar minha fé nEle. compreendi que Deus é amor e que o Senhor Jesus expiou meus pecados na cruz. O que pode libertar mais um ser humano que a segurança de que o Senhor Jesus morreu por nós? Que maravilha! Finalmente minha depressão foi substituída pela esperança e pela felicidade.”

27 de abr de 2015

SOMENTE POR HOJE

Somente por hoje, viverei pelas próximas 12 horas sem enfrentar todos os problemas da minha vida de uma só vez.
Somente por hoje, aperfeiçoarei minha mente. Aprenderei algo útil. Lerei algo que exija esforço, reflexão e concentração.
Somente por hoje, serei agradável. Mostrarei o meu melhor, falarei num tom de voz modulado, serei cortês e atencioso. Somente por hoje, não encontrarei defeito em meu amigo, parente ou colega. Não tentarei mudar ou melhorar alguém, mas a mim mesmo.
Somente por hoje, planejarei meu tempo, mesmo que não consiga segui-lo exatamente. Eu me pouparei de dois inimigos – ansiedade e indecisão.
Somente por hoje, exercitarei meu caráter de três formas. Farei uma boa ação e a guardarei como um segredo.
Se alguém descobrir, não assumirei.
Somente por hoje, farei duas coisas que não quero fazer, só para exercitar.
Somente por hoje, serei corajoso. Especialmente serei destemido para desfrutar do que é belo e acreditar que tudo que eu der ao mundo, o mundo dará para mim.
Somente por hoje, tentarei converter uma alma a Jesus Cristo.
(Pulpit Helps)

“ELE NÃO BUSCOU O SENHOR”

“Assim morreu Saul por causa da sua transgressão com que transgrediu contra o Senhor, por causa da palavra do Senhor, a qual não havia guardado; e também porque buscou a adivinhadora para a consultar. E não buscou ao Senhor; pelo que o matou, e transferiu o reino a Davi, filho de Jessé.” (I crôn. 10:13,14)
A história de Saul é trágica. Ele teve um bom começo. Samuel mostra às pessoas que “... não há nenhum semelhante a ele entre todo o povo...” (I Sam. 10:24). Apesar de intimidar o povo pela sua alta estatura, ele era humilde (I Sam. 10:22-23). Mas, seu poder e popularidade foram sumindo, até que se corromperam completamente.
Somente um curto período de tempo após a sua coroação, ele procedeu bem, até que ofereceu um holocausto desobedecendo a Samuel (I Sam. 13:9, 10). Samuel o repreende: “Porém agora não subsistirá o teu reino; já tem buscado o Senhor para si um homem segundo o seu coração...” (I Sam. 13:14)
O mergulho de Saul no abismo do pecado ganha rapidez após este período. O auge foi sua consulta com a pitonissa de En Dor quando ele pede para esta evocar a Samuel que já havia morrido, para que ele o consultasse sobre uma batalha iminente. Samuel conta a ele que: “amanhã tu e teus filhos estareis comigo...” (I Sam. 28:19). Eles morreram no dia seguinte.
Por que aconteceu esta tragédia? Como um jovem líder promissor pode tornar-se tão radicalmente errado? A história dá a resposta: “...ele não buscou ao Senhor...” (I Crôn. 10:14). Sua deslealdade em oferecer holocaustos, sua falta de fé para seguir o conselho do piedoso profeta Samuel e o não cumprimento da palavra de Deus, foi o resultado de não consultar a Deus. Ele interrompeu sua verdadeira fonte de ajuda e conselhos. Buscou conhecimento onde somente existia loucura. E para incrementar esta tragédia, o inocente, grande e jovem líder Jônatas perdeu sua vida por causa da maldade de seu pai.
Da próxima vez, nós procuraremos por ajuda, para estarmos seguros e lembrarmos de Saul. Sua procura em outros lugares o matou. Nosso espírito está morto quando consultamos a sabedoria mundana nos problemas espirituais. Nós precisamos, sem dúvida, confiar em Deus e seguir Seus conselhos. “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e encontrareis; batei, e abrir-se-vos-á.” (Mat. 7:7) Esteja seguro e busque ao Senhor!
(Tommy Haynes no jornal Pulpit Helps)

DISCIPLINA PREVENTIVA NA IGREJA

“Prevenir é melhor que remediar.” Este
ditado se aplica tanto à igreja como a qualquer
aspecto da vida. O objetivo de Deus
ao disciplinar seus filhos é que eles vivam
corretamente. Deus não deseja nos castigar;
apenas quer nos instruir com sua Palavra
por meio do Espírito Santo, e quer que
sejamos obedientes (Provérbios 32.8-9). Ele
só nos castiga quando nos recusamos a seguir
suas ordens. Assim, disciplina preventiva
é tudo o que a igreja faz na tentativa de
levar seus membros a viver de modo obediente;
e a obediência torna desnecessária a
disciplina corretiva.
1. A disciplina preventiva é mantida por meio de padrões bíblicos para os membros da congregação (Atos 2.41-42). 
Essa é uma parte fundamental e necessária da disciplina da igreja. É impossível manter uma igreja pura sem averiguar se as pessoas que querem se tornar parte dela realmente nasceram de novo e estão comprometidas com a fé neotestamentária.
2. A disciplina preventiva é mantida por meio de padrões bíblicos para líderes e pastores (1 Timóteo 3). 
Uma das maneiras mais eficazes de encorajar um alto padrão moral entre os membros da igreja é manter um alto padrão moral entre os que ensinam e os que estão envolvidos em qualquer tipo de liderança. Essas pessoas estabelecem o tom moral para a congregação. Não podemos exigir que um membro da igreja tenha um padrão de vida cristã mais elevado que o de um líder. Se professores e diáconos vivem com um pé no mundo e outro na igreja, e participam de atividades questionáveis, é natural que os liderados sigam seu péssimo exemplo, e se tornem piores do que eles. É bom que a igreja tenha diretrizes escritas quanto ao comportamento que se espera de qualquer pessoa que exerça um cargo de liderança na igreja.
3. A disciplina preventiva é mantida por meio do ministério pastoral dos líderes (1 Tessalonicenses 2.7-12; Colossenses 1.28). 
O ministério de pregação é vital, no entanto, há também necessidade de um ministério pessoal, individual aos membros da igreja. Amor e atenção pessoal são muito importantes. É esse o significado da palavra “pastor”. Muitos cristãos já chegaram à beira da desistência porque os líderes da igreja não lhes mostraram amor nem lhes prestaram ajuda individualmente. Lembro-me do que aconteceu em uma igreja. O pastor ensinava a Bíblia fiel e detalhadamente, mas não exercia um ministério pessoal em relação à sua congregação. É bem possível que esse fato tenha contribuído para o divórcio de dois casais jovens da igreja. O pastor não visitou os casais nem tentou ajudá-los em particular. O pastor não tinha tempo para as pessoas. Dois dos cônjuges envolvidos nesse triste episódio retornaram para Deus e para a igreja, contudo suas vidas foram para sempre marcadas e atingidas pela dor da separação. Foi o pecado dos indivíduos que arruinou seus lares, mas também é possível que o divórcio pudesse ter sido evitado, caso o pastor tivesse cumprido sua responsabilidade em cuidar das ovelhas. Compare esse fracasso com o testemunho abaixo, dado por um pastor de verdade, que reconheceu a importância de cuidar das ovelhas: 
“Desejo de todo coração lhes ser útil como pastor. Quando aceitei a Cristo, eu pensava que os pastores fossem meio humanos e meio divinos, e que era melhor manter-me longe deles. O resultado foi que não cresci como deveria. Se eu soubesse que poderia ter me aproximado de meu pastor, muitas de minhas perguntas teriam sido respondidas, e ele teria me ajudado tanto com seus conselhos. O relacionamento entre pastor e ovelhas deve ser muito carinhoso, e é isto que Jesus deseja que aconteça entre o pastor e a igreja. Quando vocês estiverem doentes, passando por dificuldades ou qualquer tipo de problema, por favor, me procurem. Sou ocupado, mas não tão ocupado que não possa ajudá-los em seus problemas e dores” (James Crumpton. New Testament Church Discipline). Confiram Salmo 23; Jeremias 23.1-4; João 10.11-10; Atos 20.28-32; 1 Tessalonicenses 2; 1 Pedro 5.1-4.
4. A disciplina preventiva é mantida por meio da comunhão da igreja. 
A pregação e o cuidado pastoral não são suficientes. Os pastores e líderes são limitados em número, e simplesmente não podem fazer tudo que é necessário para o crescimento da congregação. Os membros da igreja devem ministrar uns aos outros diariamente. Cada cristão é vital para a manutenção da disciplina na igreja. Os membros devem se ensinar (Colossenses 3.16), exortar e corrigir uns aos outros (Hebreus 3.12-14; 10.24-25; Romanos 15.14), ministrar uns aos outros (1 Pedro 4.9-10), confortarem-se mutuamente (1 Tessalonicenses 4.18; 5.11), amarem-se e perdoarem-se (Romanos 12.10; Gálatas 5.13; Efésios 4.32; Colossenses 3.13; 1 Pedro 3.8), visitar e ajudar os enfermos e as viúvas (Tiago 1.27) e confessarem seus erros uns aos outros e orarem uns pelos outros (Tiago 5.16).
Pastor David Cloud 
(Extraído do site da Internet Way of Life Literature, do pastor David W. Cloud. Direitos reservados. Usado com permissão.)
O AMIGÃO do Pastor VOL. 12 - Nº 01 JAN/02

Plano de Leitura Bíblica em um Ano (Mês 3, dia 27)

I Samuel 19-21

I Samuel 19

 (1) E FALOU Saul a Jônatas, seu filho, e a todos os seus servos, para que matassem a Davi. Porém Jônatas, filho de Saul, estava mui afeiçoado a Davi. (2) E Jônatas o anunciou a Davi, dizendo: Meu pai, Saul, procura matar-te, pelo que agora guarda-te pela manhã, e fica-te em oculto, e esconde-te. (3) E sairei eu, e estarei à mão de meu pai no campo em que estiverdes, e eu falarei de ti a meu pai, e verei o que há, e to anunciarei. (4) Então Jônatas falou bem de Davi a Saul, seu pai, e disse-lhe: Não peque o rei contra seu servo Davi, porque ele não pecou contra ti, e porque os seus feitos te são muito bons. (5) Porque expôs a sua vida, e feriu aos filisteus, e fez o SENHOR um grande livramento a todo o Israel; tu mesmo o viste, e te alegraste; porque, pois, pecarias contra o sangue inocente, matando a Davi, sem causa? (6) E Saul deu ouvidos à voz de Jônatas, e jurou Saul: Vive o SENHOR, que não morrerá. (7) E Jônatas chamou a Davi, e contou-lhe todas estas palavras; e Jônatas levou Davi a Saul, e esteve perante ele como antes. (8) E tornou a haver guerra; e saiu Davi, e pelejou contra os filisteus, e feriu-os com grande matança, e fugiram diante dele. (9) Porém o espírito mau da parte do SENHOR se tornou sobre Saul, estando ele assentado em sua casa, e tendo na mão a sua lança; e tocava Davi com a mão, a harpa. (10) E procurou Saul encravar a Davi na parede, porém ele se desviou de diante de Saul, o qual feriu com a lança a parede; então fugiu Davi, e escapou naquela mesma noite. (11) Porém Saul mandou mensageiros à casa de Davi, que o guardassem, e o matassem pela manhã; do que Mical, sua mulher, avisou a Davi, dizendo: Se não salvares a tua vida esta noite, amanhã te matarão. (12) Então Mical desceu a Davi por uma janela; e ele se foi, e fugiu, e escapou. (13) E Mical tomou uma estátua e a deitou na cama, e pôs-lhe à cabeceira uma pele de cabra, e a cobriu com uma coberta. (14) E, mandando Saul mensageiros que trouxessem a Davi, ela disse: Está doente. (15) Então Saul tornou a mandar mensageiros que fossem a Davi, dizendo: Trazei-mo na cama, para que o mate. (16) Vindo, pois, os mensageiros, eis que a estátua estava na cama, e a pele de cabra à sua cabeceira. (17) Então disse Saul a Mical: Por que assim me enganaste, e deixaste ir e escapar o meu inimigo? E disse Mical a Saul: Porque ele me disse: Deixa-me ir, por que hei de eu matar-te? (18) Assim Davi fugiu e escapou, e foi a Samuel, em Ramá, e lhe participou tudo quanto Saul lhe fizera; e foram, ele e Samuel, e ficaram em Naiote. (19) E o anunciaram a Saul, dizendo: Eis que Davi está em Naiote, em Ramá. (20) Então enviou Saul mensageiros para trazerem a Davi, os quais viram uma congregação de profetas profetizando, onde estava Samuel que presidia sobre eles; e o Espírito de Deus veio sobre os mensageiros de Saul, e também eles profetizaram. (21) E, avisado disto Saul, enviou outros mensageiros, e também estes profetizaram; então enviou Saul ainda uns terceiros mensageiros, os quais também profetizaram. (22) Então foi também ele mesmo a Ramá, e chegou ao poço grande que estava em Secu; e, perguntando, disse: Onde estão Samuel e Davi? E disseram-lhe: Eis que estão em Naiote, em Ramá. (23) Então foi para Naiote, em Ramá; e o mesmo Espírito de Deus veio sobre ele, e ia profetizando, até chegar a Naiote, em Ramá. (24) E ele também despiu as suas vestes, e profetizou diante de Samuel, e esteve nu por terra todo aquele dia e toda aquela noite; por isso se diz: Está também Saul entre os profetas?

I Samuel 20

 (1) ENTÃO fugiu Davi de Naiote, em Ramá; e veio, e disse a Jônatas: Que fiz eu? Qual é o meu crime? E qual é o meu pecado diante de teu pai, que procura tirar-me a vida? (2) E ele lhe disse: Tal não suceda; não morrerás; eis que meu pai não faz coisa nenhuma grande, nem pequena, sem primeiro me informar; por que, pois, meu pai me encobriria este negócio? Não será assim. (3) Então Davi tornou a jurar, e disse: Teu pai sabe muito bem que achei graça em teus olhos; por isso disse: Não saiba isto Jônatas, para que não se magoe. Mas, na verdade, como vive o SENHOR, e como vive a tua alma, há apenas um passo entre mim e a morte. (4) E disse Jônatas a Davi: O que disser a tua alma, eu te farei. (5) Disse Davi a Jônatas: Eis que amanhã é a lua nova, em que costumo assentar-me com o rei para comer; porém deixa-me ir, e esconder-me-ei no campo, até à tarde do terceiro dia. (6) Se teu pai notar a minha ausência, dirás: Davi me pediu muito que o deixasse ir correndo a Belém, sua cidade; porquanto se faz lá o sacrifício anual para toda a linhagem. (7) Se disser assim: Está bem; então teu servo tem paz; porém se muito se indignar, sabe que já está inteiramente determinado no mal. (8) Usa, pois, de misericórdia com o teu servo, porque o fizeste entrar contigo em aliança do SENHOR; se, porém, há em mim crime, mata-me tu mesmo; por que me levarias a teu pai? (9) Então disse Jônatas: Longe de ti tal coisa; porém se de alguma forma soubesse que já este mal está inteiramente determinado por meu pai, para que viesse sobre ti, não to revelaria eu? (10) E disse Davi a Jônatas: Quem me fará saber, se por acaso teu pai te responder asperamente? (11) Então disse Jônatas a Davi: Vem e saiamos ao campo. E saíram ambos ao campo. (12) E disse Jônatas a Davi: O SENHOR Deus de Israel seja testemunha! Sondando eu a meu pai amanhã a estas horas, ou depois de amanhã, e eis que se houver coisa favorável para Davi, e eu então não enviar a ti, e não to fizer saber; (13) O SENHOR faça assim com Jônatas outro tanto; que se aprouver a meu pai fazer-te mal, também to farei saber, e te deixarei partir, e irás em paz; e o SENHOR seja contigo, assim como foi com meu pai. (14) E, se eu então ainda viver, porventura não usarás comigo da beneficência do SENHOR, para que não morra? (15) Nem tampouco cortarás da minha casa a tua beneficência eternamente; nem ainda quando o SENHOR desarraigar da terra a cada um dos inimigos de Davi. (16) Assim fez Jônatas aliança com a casa de Davi, dizendo: O SENHOR o requeira da mão dos inimigos de Davi. (17) E Jônatas fez jurar a Davi de novo, porquanto o amava; porque o amava com todo o amor da sua alma. (18) E disse-lhe Jônatas: Amanhã é a lua nova, e não te acharão no teu lugar, pois o teu assento se achará vazio. (19) E, ausentando-te tu três dias, desce apressadamente, e vai àquele lugar onde te escondeste no dia do negócio; e fica-te junto à pedra de Ezel. (20) E eu atirarei três flechas para aquele lado, como se atirasse ao alvo. (21) E eis que mandarei o moço dizendo: Anda, busca as flechas. Se eu expressamente disser ao moço: Olha que as flechas estão para cá de ti; toma-o contigo, e vem, porque há paz para ti, e não há nada, vive o SENHOR. (22) Porém se disser ao moço assim: Olha que as flechas estão para lá de ti; vai-te embora, porque o SENHOR te deixa ir. (23) E quanto ao negócio de que eu e tu falamos, eis que o SENHOR está entre mim e ti eternamente. (24) Escondeu-se, pois, Davi no campo; e, sendo a lua nova, assentou-se o rei para comer pão. (25) E, assentando-se o rei, como das outras vezes, no seu assento, no lugar junto à parede, Jônatas se levantou, e assentou-se Abner ao lado de Saul; e o lugar de Davi apareceu vazio. (26) Porém naquele dia não disse Saul nada, porque dizia: Aconteceu-lhe alguma coisa, pela qual não está limpo; certamente não está limpo. (27) Sucedeu também no outro dia, o segundo da lua nova, que o lugar de Davi apareceu vazio; disse, pois, Saul a Jônatas, seu filho: Por que não veio o filho de Jessé nem ontem nem hoje a comer pão? (28) E respondeu Jônatas a Saul: Davi me pediu encarecidamente que o deixasse ir a Belém. (29) Dizendo: Peço-te que me deixes ir, porquanto a nossa linhagem tem um sacrifício na cidade, e meu irmão mesmo me mandou ir; se, pois, agora tenho achado graça em teus olhos, peço-te que me deixes partir, para que veja a meus irmãos; por isso não veio à mesa do rei. (30) Então se acendeu a ira de Saul contra Jônatas, e disse-lhe: Filho da mulher perversa e rebelde; não sei eu que tens escolhido o filho de Jessé, para vergonha tua e para vergonha da nudez de tua mãe? (31) Porque todos os dias que o filho de Jessé viver sobre a terra nem tu estarás seguro, nem o teu reino; pelo que envia, e traze-mo nesta hora; porque é digno de morte. (32) Então respondeu Jônatas a Saul, seu pai, e lhe disse: Por que há de morrer? Que tem feito? (33) Então Saul atirou-lhe com a lança, para o ferir; assim entendeu Jônatas que já seu pai tinha determinado matar a Davi. (34) Por isso Jônatas, todo encolerizado, se levantou da mesa; e no segundo dia da lua nova não comeu pão; porque se magoava por causa de Davi, porque seu pai o tinha humilhado. (35) E aconteceu, pela manhã, que Jônatas saiu ao campo, ao tempo que tinha ajustado com Davi, e um moço pequeno com ele. (36) Então disse ao seu moço: Corre a buscar as flechas que eu atirar. Correu, pois, o moço, e ele atirou uma flecha, que fez passar além dele. (37) E, chegando o moço ao lugar da flecha que Jônatas tinha atirado, gritou Jônatas atrás do moço, e disse: Não está porventura a flecha mais para lá de ti? (38) E tornou Jônatas a gritar atrás do moço: Apressa-te, corre, não te demores. E o moço de Jônatas apanhou as flechas, e veio a seu senhor. (39) E o moço não entendeu coisa alguma; só Jônatas e Davi sabiam deste negócio. (40) Então Jônatas deu as suas armas ao moço que trazia, e disse-lhe: Anda, e leva-as à cidade. (41) E, indo-se o moço, levantou-se Davi do lado do sul, e lançou-se sobre o seu rosto em terra, e inclinou-se três vezes; e beijaram-se um ao outro, e choraram juntos, mas Davi chorou muito mais. (42) E disse Jônatas a Davi: Vai-te em paz; o que nós temos jurado ambos em nome do SENHOR, dizendo: O SENHOR seja entre mim e ti, e entre a minha descendência e a tua descendência, seja perpetuamente. 43 Então se levantou Davi, e partiu; e Jônatas entrou na cidade.

I Samuel 21

 (1) ENTÃO veio Davi a Nobe, ao sacerdote Aimeleque; e Aimeleque, tremendo, saiu ao encontro de Davi, e disse-lhe: Por que vens só, e ninguém contigo? (2) E disse Davi ao sacerdote Aimeleque: O rei me encomendou um negócio, e me disse: Ninguém saiba deste negócio, pelo qual eu te enviei, e o qual te ordenei; quanto aos moços, apontei-lhes tal e tal lugar. (3) Agora, pois, que tens à mão? Dá-me cinco pães na minha mão, ou o que se achar. (4) E, respondendo o sacerdote a Davi, disse: Não tenho pão comum à mão; há, porém, pão sagrado, se ao menos os moços se abstiveram das mulheres. (5) E respondeu Davi ao sacerdote, e lhe disse: As mulheres, na verdade, se nos vedaram desde ontem e anteontem; quando eu saí, os vasos dos moços eram santos; e de algum modo é pão comum, sendo que hoje santifica-se outro no vaso. (6) Então o sacerdote lhe deu o pão sagrado, porquanto não havia ali outro pão senão os pães da proposição, que se tiraram de diante do SENHOR, para se pôr ali pão quente no dia em que aquele se tirasse. (7) Estava, porém, ali naquele dia um dos criados de Saul, detido perante o SENHOR, e era seu nome Doegue, edomeu, o mais poderoso dos pastores de Saul. (8) E disse Davi a Aimeleque: Não tens aqui à mão lança ou espada alguma? Porque não trouxe à mão nem a minha espada nem as minhas armas, porque o negócio do rei era apressado. (9) E disse o sacerdote: A espada de Golias, o filisteu, a quem tu feriste no vale do carvalho, eis que está aqui envolta num pano detrás do éfode. Se tu a queres tomar, toma-a, porque nenhuma outra há aqui, senão aquela. E disse Davi: Não há outra semelhante; dá-ma. (10) E Davi levantou-se, e fugiu aquele dia de diante de Saul, e foi a Aquis, rei de Gate. (11) Porém os criados de Aquis lhe disseram: Não é este Davi, o rei da terra? Não se cantava deste nas danças, dizendo: Saul feriu os seus milhares, porém Davi os seus dez milhares? (12) E Davi considerou estas palavras no seu ânimo, e temeu muito diante de Aquis, rei de Gate. (13) Por isso se contrafez diante dos olhos deles, e fez-se como doido entre as suas mãos, e esgravatava nas portas de entrada, e deixava correr a saliva pela barba. (14) Então disse Aquis aos seus criados: Eis que bem vedes que este homem está louco; por que mo trouxestes a mim? (15) Faltam-me a mim doidos, para que trouxésseis a este para que fizesse doidices diante de mim? Há de entrar este na minha casa?

Devocional Boa Semente 27/04/2015

Ó terra, terra, terra! Ouve a palavra do Senhor (Jeremias 22:29).

ENGANADORAMENTE GENTIS

Em setembro de 2003, muitos chefes de governo representando seus países se encontraram na Assembleia Geral das Nações Unidas, em Nova Iorque. Com extrema cortesia, o presidente da reunião anunciava e recepcionava os palestrantes. E a audiência os aplaudia.

Os discursos versavam sobre problemas recorrentes: armas de destruição em massa, terrorismo, conflitos regionais, epidemias, aquecimento global e pobreza nos países em desenvolvimento. A maioria dos oradores lamentaram que os fatos estavam muito atrás das promessas e dos tratados assinados.

o presidente do pequeno Estado de Andorra acabou sua preleção com este comentário: “Vamos tirar algo útil desses longos debates e discursos, que aplaudimos com cortesia diplomática, mesmo sem sequer ouvi-los. Há muito em jogo para nós”. Como ele estava certo!

Não apenas o futuro do mundo está em jogo, mas o futuro eterno de cada indivíduo. Entre Deus e nós há o abismo do pecado. E ele mostra o caminho da salvação em sua Palavra, a Bíblia.

Muitos são polidos e parecem até se interessar quando o plano da salvação lhes é exposto. Alguns até aplaudem o Senhor Jesus Cristo. Mas não se importam nem um pouco com a verdade que ouvem nem com o Deus que lhes fala! E nem imaginam o que estão arriscando.

26 de abr de 2015

Dois tipos de pessoas

“Há dois tipos de pessoas que nunca chegam a ser alguém na vida: o dos que não conseguem fazer o que lhes ordenam, e o dos que não fazem nada a não ser o que lhes ordenam.”
(Pulpit Helps)

ELE SE ESQUECEU DO QUE IRIA DIZER!

Paulo deu a seguinte instrução a Timóteo: “Persiste em ler, exortar e ensinar, até que eu venha”. – 2 Timóteo 4.13.
A passagem aconselha o pregador a receber antes de entregar; a ler a Bíblia e outros bons livros antes de ensinar e pregar.
Paulo disse: “Timóteo, você é um jovem muito zeloso, tem um coração cheio de amor e está fazendo um ótimo trabalho. Mas Timóteo, você é um pouco superficial. Você precisa estudar mais. Precisa se aplicar mais à leitura. Faça isso constantemente até eu chegar, pois quero observar seu progresso”.
Novamente, em 2 Timóteo 4, ele instrui o jovem. O inverno estava se aproximando. Da prisão escura e fria, Paulo escreve: “Quando vieres traze a capa que deixei em Trôade, em casa de Carpo, e os livros, principalmente os pergaminhos”.
Era de se esperar que ele pedisse um colchão macio ou um prato da culinária judaica; quem sabe um copo de água fresca das límpidas fontes de Tarsus, onde passara a infância, ou algum jogo para preencher seu tempo na solitária prisão.
Mas não foi nada disso que ele quis. Seu único desejo era ter sua capa, para se proteger do frio, e seus LIVROS! “Traga-me os livros, especialmente os pergaminhos”. (Talvez alguns livros fossem escritos em pergaminho e outros em papiro, que não era tão resistente.)
Mais uma vez Paulo serve como exemplo de leitor cristão. Podemos afirmar que ele era um ávido leitor de bons livros. Imaginem como ele se deliciaria com a abundância de livros que temos hoje!
Fico chocado ao constatar que algumas pessoas acham que a ignorância é uma das marcas do cristão verdadeiro.
Fui ouvir um pregador—se é que se pode chamar aquilo de pregação. Depois de falar durante 1h40m, ele advertiu: “Não quero que ninguém saia daqui imaginando que passei o dia pensando no que iria dizer”.
Talvez ele achasse que fosse pecado preparar um sermão. Quem sabe não pensasse que era só abrir a boca e Deus lhe daria as palavras. Certamente Deus a encheu—de vento! Fiquei imaginando: “Se ele pensou no que iria dizer, acabou esquecendo de fazê-lo”.
Literalmente, perdi uma hora e quarenta minutos ouvindo alguém que não tinha respeito bastante por sua igreja nem pelo Evangelho que pregava nem por sua própria inteligência para estudar antes de ir ao púlpito.
É pecado sair a pregar sem dar a Deus o que temos de melhor.
Deus não chama ninguém para pregar e depois o instrui: “Qualquer coisa serve. Se der para se preparar, prepare-se. Não se preocupe com a gramática nem em estudar a Bíblia”. Entregar-se à pregação significa entregar-se ao estudo.
Já visitei um bom número de pastores. Muitas vezes fiquei abismado ao ver que muitos não possuíam mais do que uns 20 livros em suas bibliotecas.
Que pobreza de mente quando a leitura não passa do jornal do dia! Pastores, encorajo-os como Paulo fez com Timóteo: “Persistam na leitura”.
Os modernistas envergonham a nós, os fundamentalistas. Eles lêem mais, estudam mais e preparam-se melhor. É verdade que quando um modernista termina um seminário modernístico, ele não está bem preparado; no entanto, é respeitado pelo mundo porque estudou e preparou-se.
Como as pessoas vão respeitar um pastor que não estuda, e como vão se alimentar com suas mensagens? Se alguém quisesse ser advogado, mas não estudasse, não iríamos procurá–lo para nos defender, iríamos? Se alguém desejasse ser médico, mas não fosse estudar medicina, não iríamos consultá-lo, iríamos? Então, como podemos confiar num pastor que não tem vontade de se preparar para a maior das profissões—ministro da Palavra?
Sei que Deus pode usar pessoas que não têm muito ou nenhum estudo. Ele o tem feito. Mas quero lembrá-los de que Pedro, Tiago e João passaram três anos aprendendo com Jesus antes de começarem seus ministérios. É preciso lembrá-los de que Paulo foi um dos homens mais cultos de seus dias? 
Ninguém serve a Deus quando tem preguiça de ler outra coisa que não seja revistas seculares ou o jornal do dia.
Por que não tomar agora a decisão de ler bons livros? Se na época em que os poucos livros existentes eram escritos a mão Deus já desejava que os homens se instruíssem por meio da leitura, quanto mais agora! Nesta época em que o que há de melhor na literatura cristã está à nossa disposição, chega a ser um crime não ler!
Sou muito agradecido a Deus porque, na meninice, lá no Texas, um pastor dedicado ofereceu-me o livro “How to Pray” (Como Orar), escrito por R.A. Torrey. Li-o numa época em que minha mente era jovem e impressionável. Nem posso dizer como fui abençoado! Dali para frente, tive certeza absoluta de que Deus responde nossas orações. Minha vida de oração e meu livro sobre oração foram resultados das marcas que o livro do doutor Torrey deixaram em mim, quando eu tinha 15 anos.
Alguém me deu George Mueller of Bristol, e devorei-o. Minha biblioteca é formada de uma imensidade de excelentes livros, pois desejo fazer o melhor que puder para Deus.
Pastor, este domingo segue de perto o domingo que vem. Claro que você quer abençoar sua congregação por meio do que vai falar. Que ninguém venha a dizer sobre você: “As ovelhas famintas procuraram alimento, mas não foram saciadas”. Você precisa de estímulo, crescimento, material novo, modos efetivos de apresentar a Verdade. Leia sua Bíblia primeiro, e busque mais ajuda em bons livros.

(Conselhos do dr. John R. Rice a todos os pregadores.)
(Sword of the Lord)