VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

24 de jan de 2015

É PRECISO PREPARAR-SE

“E disse-me: Filho do homem, vai, entra na casa de Israel, e dize-lhe as minhas palavras.” — Ezequiel 3.4.
Quase todos os cristãos têm a oportunidade de falar de Deus em uma ocasião ou outra. Mesmo quem não foi chamado para o trabalho específico do ministério é convidado a falar na igreja ou a um grupo de jovens; para ensinar uma classe da EBD ou dirigir um estudo devocional. Todos nós devemos saber como nos preparar para falar em nome de Deus. A Bíblia adverte: “Se alguém falar, fale segundo as palavras de Deus; se alguém ministrar, administre segundo o poder que Deus dá; para que em tudo Deus seja glorificado por Jesus Cristo, a quem pertence a glória e poder para todo o sempre. Amém” (1 Pedro 4.11).
Devemos estar atentos às oportunidades de ministrar em nome de Jesus, especialmente por meio de palavras. Devemos falar como representantes de Deus, e confiar que o Senhor vai agir por nosso intermédio.
A Bíblia relata muitas histórias sobre pessoas a quem Deus chamou para falar a grupos ou a indivíduos. Acredito que a história de Ezequiel é a que mais nos ajuda no preparo do testemunho falado. O relato de sua chamada encontra-se nos capítulo 1-3 de seu livro. Leia-os e descubra os seis passos da preparação para falarmos em nome de Deus.
1. Com a ajuda de Deus, você pode realizar o trabalho!
Leia cuidadosamente as palavras de Ezequiel em 2.1-2: “E disse-me: Filho do homem, põe-te em pé, e falarei contigo. Então entrou em mim o espírito, quando falava comigo, e me pôs em pé, e ouvi o que me falava”.
O capítulo 1 descreve uma surpreendente visão que Deus deu a Ezequiel na Babilônia. No final do capítulo, o profeta está prostrado diante da glória do Senhor. Deus fala com Ezequiel: “Põe-te em pé, e falarei contigo”. Antes que ele pudesse fazer qualquer coisa, o Espírito Santo entrou nele e o colocou em pé, para que ouvisse a Deus. O que Deus ordenou que Ezequiel fizesse, o Espírito Santo o levou a fazer! Na visão, Ezequiel viu “seres vivos”e “rodas”. O significados dessas coisas é assunto para outro estudo, no entanto um aspecto da visão se aplica ao que aconteceu a Ezequiel. A Bíblia esclarece: “Para onde o espírito queria ir, iam” (1.20).
Foi o Espírito de Deus que fez as coisas acontecerem! O mesmo se dará com você. O Espírito o capacitará a cumprir a ordem de Deus. Não recuse uma oportunidade de falar. Não perca a chance de dar um testemunho. Seja lá o que for que Deus o mande fazer, tente obedecer, e confie que o Espírito vai capacitá-lo a realizar a obra. Deposite sua confiança total no Espírito, e não na carne, mesmo que a ordem seja “ponha-se de pé”.
2. Não tema.
Ezequiel foi admoestado a não temer seus ouvintes. “E tu, ó filho do homem, não os tema, nem temas as suas palavras; ainda que sejam sarças e espinhos para contigo, e tu habites com escorpiões, não
temas as suas palavras, nem te assustes com os seus rostos, porque são casa rebelde” (Ezequiel 2.6).
Ezequiel 2.3-8 lida com o medo. A congregação de Ezequiel lhe daria medo, humanamente falando. Eram pessoas “rebeldes” contra Deus, “prevaricadores” e “obstinados de coração” (vs.3 -4). Ezequiel seria atacado por suas “palavras” e “seus rostos” (v.6). Ezequiel iria ter a impressão de estar vivendo entre “sarça e espinhos” e “entre escorpiões”, mas não deveria ter medo (v.6). A Palavra de Deus teria de ser pregada no poder do Espírito Santo, “quer ouçam ou deixem de ouvir” (v.5). “…hão de saber que esteve no meio deles um profeta” (v.5). Com uma missão tão importante assim, o profeta não precisa morrer de medo! Se você sabe que Deus o enviou a dizer alguma coisa, deixe o medo de lado!
3. Alimente-se da Palavra.
O capítulo 2 termina e o 3 começa com Ezequiel comendo o rolo das Escrituras. “Filho do Homem, come o que achares” (Ezequiel 3.1).
É claro que Ezequiel ainda estava vivenciando a visão, mas não podemos deixar passar o significado de se comer o rolo (2.9—3.11). Precisamos nos alimentar da Palavra de Deus se quisermos estar preparados a distribuí-la aos outros.
“Disse-me mais: Filho do homem, mete no teu coração todas as minhas palavras que te hei de dizer, e ouve-as com os teus ouvidos. Eia pois, vai aos do cativeiro, aos filhos do teu povo, e lhes falarás, e lhes dirás: Assim diz o Senhor Jeová, quer ouçam quer deixem de ouvir” (Ezequiel 3.10-11).
Estude a Bíblia diariamente para sua própria nutrição espiritual. “Desejai afetuosamente, como meninos novamente nascidos, o leite racional, não falsificado, para que por ele vades crescendo” (1 Pedro 2.2). É por intermédio do trabalho dele em sua vida, pela Palavra, que Deus lhe dará a capacidade de preencher as necessidades das outras pessoas. Os pastores deveriam estudar a Bíblia pensando mais no benefício das almas do que na preparação de suas mensagens. No estudo devocional, você irá entrever verdades e assuntos que Deus deseja que sejam transmitidos aos outros. Faça anotações ao ler diariamente a Bíblia. Mantenha um arquivo sobre temas bíblicos que poderão ser utilizados futuramente em sermões e estudos devocionais.
4. Fique a sós com Deus até que suas mãos estejam sobre você.
Leia cuidadosamente em Ezequiel 3.12-14 o que aconteceu ao profeta. Ele teve outra experiência impressionante com o Espírito Santo. O profeta relata que o Espírito de Deus “me levantou e me levou”, e “a mão do Senhor era forte sobre mim”. Quando o Espírito o transportou para Tel-Abibe, Ezequiel diz que “eu fui mui triste, no ardor do meu espírito”. Deus havia feito no coração do profeta algo que tem de acontecer a qualquer pessoa antes que ela fale efetivamente por Deus. O Senhor fez com que o coração e a mente de Ezequiel sentissem o mesmo que Ele sobre a mensagem! Deus estava zangado com a rebelião de seu povo. A mensagem deveria ser de advertência, repleta de “lamentações, suspiros e ais”(Ezequiel 2.10). Depois disso, o profeta podia sentir a perversidade da rebeldia do povo e como era justo o castigo de Deus.
Quando alguém se coloca diante de um grupo e tem certeza de que a mensagem veio de Deus, e se sente impulsionado a transmiti-la do jeito que Deus quer, essa pessoa será um mensageiro fiel e bem sucedido. Antes de falar, passe tempo a sós com Deus, em oração, até que a mão do Senhor esteja sobre você no que diz respeito à entrega da mensagem. Prepare suas anotações, todavia prepare também seu coração.
5. Ponha-se na pele deles.
Pelo jeito, parecia que Ezequiel estava pronto para falar ao povo, mas na verdade não estava. O versículo 15 do capítulo 3 nos alerta sobre algo que precisa acontecer antes que estejamos prontos para falar em nome de Deus. “E vim aos do cativeiro, a Tel-Abibe, que moravam junto ao rio Quebar, e eu morava onde eles moravam; e fiquei ali sete dias, pasmado no meio deles”.
A mensagem deveria ser pregada ao povo de Tel-Abibe primeiro. Contudo, antes de pregar, o profeta Ezequiel precisou passar uns dias junto aos seus ouvintes. A compaixão é vital para o sucesso da pregação. Intere-se da situação de seus ouvintes. Imagine o que significa para eles ouvir suas mensagens. Sem dúvida, aquele povo era maldoso, pois Deus o chamou de rebeldes, transgressores, desavergonhados e corações endurecidos. Mas Ezequiel também era humano e estava sujeito, assim como nós, às mesmas tentações e fraquezas que eles. Se o profeta ficasse “sete dias no meio deles” onde o povo estava, seria informado do que precisava saber antes de falar em nome do Senhor. Ezequiel ficou “pasmado” com o que descobriu naqueles dias importantes. A ira de seu espírito foi balanceada pela compaixão de seu coração. 
Sempre que falo a um grupo de crianças, chego mais cedo e caminho ajoelhado pelo salão (não em atitude de oração) mas para ver o local e o púlpito da mesma perspectiva dos pequeninos. Alguns domingos de manhã, antes de as pessoas chegarem à igreja, sento-me no último banco e fico imaginando como é ouvir minhas mensagens daquele lugar. Nunca pregue sem que o zelo esteja imergido em compaixão. Medite na situação de seus ouvintes e ponha-se no lugar deles por alguns instantes.

6. Assuma sua responsabilidade
Ezequiel 3.16-21 não deixa dúvidas de como é tremenda a responsabilidade de se falar em nome de Deus e ser representante dele. Com certeza vocês já leram estes versículos antes, todavia será bom fazê-lo novamente. De acordo com a Bíblia, o homem que fala em nome de Deus é um “atalaia” e tem a grande responsabilidade de proteger o povo. Se o vigia, em cima do muro, avistasse o perigo se aproximando para atacar a cidade, deveria soar o alarme. O aviso é dado ao vigia do Senhor: “...e tu da minha boca ouvirás a palavra, e os avisará da minha parte.”
Ao descobrirmos na Palavra de Deus qualquer coisa que as pessoas devem ouvir, nossa obrigação é falar com elas. Já que os pecadores estão condenados ao inferno, se não se entregarem a Cristo, sabemos que é nossa responsabilidade avisá-los! Quem fala em nome de Deus deve se colocar ante o povo com a forte convicção da responsabilidade que tem sobre os ombros. O destino e o futuro dos seres humanos estão em jogo. O mensageiro não pode se calar por medo de ser ofendido.
O pregador que seguir o exemplo de Ezequiel será bem sucedido. Deus fará de você um transmissor eficiente de sua mensagem, desde que tenha se preparado bem para falar em nome dele.

(Dr. Richard Flanders é pastor batista em Vassar, Michigam - EUA.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário