VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

18 de jan de 2013

História do hino 327 – O piloto


O major D. W. Whittle conta o seguinte incidente em relação a este hino:
  “Fui com o general O. O. Howard para dirigir reuniões e os soldados em Tampa, Flórida, e um dia, ao passar pelo acampamento, encontrei um jovem soldado com febre e moribundo. Ajoelhei-me ao seu lado e perguntei-lhe se era cristão. Respondeu-me que não, mas que seus pais o eram e pediu-me que orasse por ele. Orei, mas, não notei qualquer impressão profunda em seu coração. Saí com meu coração entristecido, mas prometi voltar outro dia. Dois dias depois, visitei-o outra vez e ao orar com ele, o Senhor pôs em minha mente o hino ‘o Piloto’, que cantei. O soldado moribundo disse: – ‘Ó, isto me fez bem; fez-me lembrar de minha querida irmã em Michigan, que costumava cantar este hino antes de eu entrar para o exercito’. Pediu-me que o repetisse várias vezes, e finalmente perguntou: ‘Será que Jesus seria o meu Piloto para entrar no porto de descanso? ‘Disse-lhe que certamente Jesus o seria’. Respondeu: ‘Confiarei nEle de todo o coração’. Procurei vê-lo outra vez no dia seguinte, mas seu colega me comunicou que falecera na noite anterior”.
  Este hino foi publicado anonimamente, pela primeira vez no The Sailor’s Magazine (Revista do Marinheiro), em 1871 e somente depois de ter sido publicado no “Spiritual Songs” (Hinos Espirituais), em 1878, é que o modesto Edward Hopper deu-se a conhecer como seu autor. A igreja do dr. Hopper, bem cognominada “Igreja de Mar e Terra”, situava-se na cidade de Nova York, onde ele trabalhou por muitos anos.
  Apesar de ser escrito especialmente para sua congregação de marinheiros na cidade de N. York, este maravilhoso hino tem sido fonte de conforto e benção a todo o cristão. Seus majestosos acordes são um ótimo acompanhamento para os seus magníficos pensamentos. A melodia foi escrita por John E. Gould, proprietário de uma loja de musicas na cidade de N. York.
  Ele musicou-o após havê-lo visto no The Sailor’s Magazine, na noite anterior à sua partida para a África, onde esperava que sua saúde melhorasse. Soube-se mais tarde que morreu na Algéria. A morte de Gould foi muito pranteada na igreja de Hopper, mas ninguém da congregação suspeitava que o próprio Hopper era o autor da letra deste hino. O Piloto é uma homenagem a um homem que verdadeiramente depositou sua vida nas mãos do Mestre – e que, mesmo vivendo num tempo que já não era seu, aos setenta e dois anos, pode meditar com deleite sobre o Céu. 

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_358.htm, que cita Histórias de Hinos e Autores – CMA – Conservatório Musical Adventista

Nenhum comentário:

Postar um comentário