VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

20 de out de 2013

O ÚNICO CAMINHO


Um banqueiro e um homem de negócios sentaram-se em frente um do outro no escritório do chefe. O homem de negócios, reclinado para a frente, estava conversando ardentemente, quando de repente o outro interrompeu-o — “Ridículo! Absurdo! Tolice”. E o orgulhoso banqueiro torceu seus lábios com desdém. “Mas por que?” perguntou aquele para quem ele havia falado. “Por que? você, um ser pensante, pergunta por que? Não tem cabimento!” 
E ele riu com zombaria. “Sim, senhor,” respondeu o outro. Eu lhe perguntei por que? A face do banqueiro virou uma carranca, e havia raiva em sua voz quando ele perguntou, “por que? Você quer dizer que a morte de Cristo na cruz em meu lugar vai satisfazer Deus? Fora com tais teorias! Se eu tiver de ser salvo, será pelos meus próprios esforços.” E ele bateu seu pé com raiva.
“Ah! eu entendo”, replicou o outro. “Agora eu sei qual é o problema. Você acha que tem o direito de fabricar seu próprio caminho, e por isso rejeita e despreza o plano providenciado por Deus.”
“O que você quer dizer com isto?” perguntou o banqueiro, com uma expressão atordoada em seu rosto. Agora, ouça! Suponha que um homem viesse até  você e lhe dissesse, “Sr.Banqueiro, eu estou em grande necessidade e eu quero que o senhor me empreste algum dinheiro! Diga-me, quem teria o direito de exigir os termos e condições sobre os quais o dinheiro seria emprestado, você como banqueiro e proprietário ou o homem necessitado?” “Ora, eu teria, é claro”, replicou o banqueiro. “Exatamente. Você é o pobre necessitado pecador, perdido e arruinado e Deus é o Banqueiro. Você deve vir a Ele e aceitar os termos dEle e não os seus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário