VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

31 de out de 2012

Halloween. Inofensiva Brincadeira Americana?


Jáder Borges Filho é pastor da Igreja Presbiteriana do Jardim Satélite, em São José dos Campos (SP), e foi secretário geral do Trabalho com a Infância da IPB (2006-2010). Estudou no Seminário do Recife e na Theologisches Seminar Ewersbach, na Alemanha. Promove o Congresso Infantil Primeiros Passos, voltado para quem trabalha com crianças, EBD e departamentos infantis.
Chegamos na cidade de Minneapolis no mês de outubro e o final do outono anunciava que um rigoroso inverno viria pela frente, com possibilidades de tempestades de neve. À medida que o mês ia passando, casas e lojas iam intensificando as decorações do "Halloween", o tradicional "dia das bruxas", quando pregar peças nos outros em forma de sustos e festinhas embaladas com vampiros dançando com múmias, fica liberado. Crianças percorrem casas perguntando algo como "travessuras ou doces?", e assim, todos esperam a noite cair, para que monstros e abóboras desfiguradas comandem a festa, ao som de muito agito, "Halloween". O que esta palavra significa? A Funk and Wagnalls New Encyclopedia informa que este termo é aplicado à noite que precede o "dia de todos os santos", uma espécie de abreviação-referência de "Allhallows Evening" (uma tradução mais literal de "Allhallows Evening" seria: "Noite de todos os consagrados"...).
Estão brincando com coisa séria...
A onda do Halloween vem crescendo no Brasil, levantada por centenas de cursos de inglês, escolas com fortes influências americanas, seriados de TV e por muitos jovens que tiveram contato com a América, seja através de estudo ou intercâmbio, e que têm fascínio pela cultura norte-americana. Na comemoração do Halloween, o que se escuta como justificativa é que este é um dos meios mais divertidos de se passar um pouquinho mais a cultura daquele país para os interessados e que tudo não passa de uma divertida e diferente aula de inglês, ou de sociologia, simplesmente carregada na maquiagem e nas sombras. Seria "brincadeira" mesmo? De onde vem o Halloween?
A "brincadeira" do Halloween não tem nada de brincadeira na sua origem. Quando se busca no tempo e na história, nesta época do calendário, os druidas (espécie de feiticeiros, antigos sacerdotes entre os gauleses e bretões), costumavam erguer fogueiras para invocação de Saman, o senhor da morte! Pelo menos outros quatro espíritos também eram invocados, com a finalidade de se consultar sobre o futuro ou sobre coisas ocultas. O povo celta também acreditava que nesta data os espíritos dos mortos voltavam à terra para visitar os lares durante a noite. Os romanos, após conquistarem a Grã-Bretanha, adotaram para si as crenças do Halloween, num de seus festivais rituais, em honra à deusa Pomona, senhora das frutas e das árvores.
Como podemos ver, a fonte dessa "brincadeira" traz consigo rituais e invocações a espíritos, tanto de demônios, como de mortos, coisas estas que a Palavra de Deus, a Bíblia, enfaticamente recomenda para não serem feitas, sob grande risco de tremendos distúrbios emocionais e espirituais. A Bíblia diz para não brincarmos e nem mexermos com o oculto, exatamente porque não existe nada de divertido nas densas trevas espirituais, de onde o Halloween se origina (veja Dt.18.9-14; 20.17,18; Is. 8.19; etc). Todos nós sabemos que quem brinca ao volante de um carro, pode se machucar seriamente; que quem brinca com fogo, pode se queimar... e, que quem brinca com uma arma, pode tombar, vítima de um disparo avassalador. Portanto, não brinque com práticas e representações que se aproximam daquilo que Deus avisou para não ser copiado, ou ridicularizado. As penas poderão ser muito duras.
Ora, irmão, deixe de exagero...
Vampiros, múmias, duendes travessos, fantasmas, feiticeiras e diabinhos; muitos diabinhos.... tudo infernalmente e "divertidamente" fantasiado... Que mal há nisto? Estes e muitos outros ícones do mal estão deixando de assustar as pessoas hoje em dia, e nem o velho diabo assusta mais. Evolução dos tempos? Não. Involução espiritual. O povo se distanciou da Palavra de Deus e penetrou por muitos caminhos, grande parte deles escuros e perigosos. Hoje, brinca-se com o diabo, porque não se acredita mais nele. Jesus Cristo sempre acreditou no diabo e teve com ele e suas hostes, grandes batalhas. O Filho de Deus sempre considerou sua astúcia e terrível maldade, sendo a única Autoridade a quem o diabo teme. Por que brincaria eu com o diabo, se nas páginas da Bíblia ele não tem nada de divertido? Ridicularizaria eu uma cascavel prestes a dar o bote?! Cutucaria uma onça com vara curta, estando a jaula aberta? Rapaz e moça... não brinquem com o diabo, pois ele não brinca com vocês. O que ele quer é devorar vidas! (1a Pe.5.8). Não se aproxime de qualquer ícone do mal nem se fantasie dele, sob o risco de sofrer terríveis perturbações espirituais, de origens demoníacas. Nem Jesus desacreditou da existência do diabo, e nem os anjos o fazem, por que faríamos nós? "Contudo, o arcanjo Miguel, quando contendia com o diabo... não se atreveu a proferir juízo infamatório contra ele; pelo contrário, disse: O Senhor te repreenda!" (Jd. v9). Quem nos informa isto é a Bíblia, a Palavra de Deus. E a Palavra de Deus não mente.
Depressões profundas, ideias suicidas, afundamento nos vícios, bárbaros assassinatos cometidos por jovens, escutar sons de gargalhadas horripilantes e vozes do além pela casa, tudo isso vem acontecendo com milhares de jovens em todo o mundo, que um dia ousaram "brincar" com o diabo ou com ícones a ele associados, e caíram, vítimas de seus laços mortais. Perderia Saman, tido como o senhor da morte, a primeira oportunidade de matar? Acredito que não. ("Saman" é um dos nomes com os quais Satanás se disfarça).
Finalizando, o meu conselho e incentivo é para que você não embarque nesta onda de "Halloween", só porque a sua escola, ou a sua turma está fazendo tal festa. Professores, lembrem-se que também compete a vocês zelaram pelo bem-estar dos alunos. Não os empurre para iniciações com o mundo das trevas, nem por brincadeira! Desistam de qualquer "brincadeira" do Halloweenenquanto ainda é tempo, pois ninguém precisa de Halloween para se divertir, exatamente por não haver diversão em maldições. O que todos nós precisamos é de seguir Jesus Cristo, para sermos verdadeiramente felizes.
Portanto, não vá com os outros, nem que os outros formem multidão. A história está repleta de casos em que a multidão estava completamente desnorteada, pagando um alto preço por causa disso. No caso específico doHalloween, muitos adolescentes e jovens entraram nessa "brincadeira" sem saber das profundas armadilhas espirituais escondidas por trás da "diversão" e hoje sofrem grandes tristezas. Jovens, não deem ouvidos à voz do povo, pois isso nem é bíblico, e trata-se de uma tremenda armação. A voz do povo nunca será a voz de Deus, ainda mais quando empurra pessoas para práticas que Deus condena! A Bíblia é que é a Voz de Deus! Escute o que ela diz: "Não seguirás a multidão para fazeres o mal"... (Êx.23.2a). "Então, perguntou Jesus aos doze: Porventura, quereis também vós outros retirar-vos? Respondeu-Lhe Simão Pedro: Senhor, para quem iremos? Tu tens as palavras de vida eterna" (Jo 6:68).
Fonte: http://www.editorafiel.com.br/artigos_detalhes.php?id=436

DEVOCIONAL PARA HOJE 31/10/2012


VERSÍCULO:
  Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para a glória de Deus - 1 Coríntios 10:31

PENSAMENTO:
   Como seres humanos, somos rápidos para discutir sobre coisas que pensamos ser importantes para nós quando outros não compartilham o nosso entusiasmo – especialmente sobre comida, feriados e eventos especiais. Este problema muitas vezes é mais um sinal de insegurança do que um sinal de sinceridade. Devemos fazer o que fazemos baseado no nosso compromisso para honrar o Senhor, não porque outros fazem ou aprovam. Ao mesmo tempo, queremos ser cuidadosos em julgar outros pelo que fazem ou não fazem, celebram ou não, comem ou não, bebem ou não. Afinal, quando julgarmos tais coisas, pensemos: Podemos fazê-lo para honrar o Senhor?

ORAÇÃO:
   Santo e Justo Pai, perdoe a minha tolice. Vejo que às vezes eu fico frustrado com coisas sem significado e esqueço de manter meu foco nas questões e pessoas que são importantes para o Senhor. Que tudo que eu faça hoje, e todos os dias, seja feito como uma decisão ciente de honrar o Senhor. No nome de Jesus eu oro. Amém. 
http://www.iluminalma.com/dph/4/1031.html

AI, ACÃ E ACOR


Na língua portuguesa o termo “ai” pode ser usado como uma interjeição, que na maioria das vezes expressa dor, lamento ou queixa. Também pode funcionar como um substantivo que, semelhantemente, indica dor, sofrimento ou desespero.
Já na língua original do Antigo Testamento, a palavra tem o sentido de fragilidade e ruína. Era o nome de uma cidade que ficava a leste de Betel, na terra de Canaã. Cidade sem muita importância, pequena e fragilizada. Tanto é que os observadores militares de Josué não viram necessidade de levar todo o exército para conquistá-la (Js 7.3). Talvez por isso a chamaram de Ai, isto é “um montão de ruínas”.
Estes sentidos de dor e fragilidade podem ser enfatizados por um acontecimento que é narrado em Josué capítulo 7.
O povo de Israel havia ultrapassado o Rio Jordão e conquistado a antiga cidade de Jericó. A próxima cidade era Ai. Josué enviou espias que relataram ser necessário apenas poucos soldados para conquistarem a cidade. Mas, ai de Israel! O improvável ocorreu! A pequena cidade fez o exército de Israel fugir. Trinta e seis soldados israelitas foram feridos. Pior foi o resultado psicológico: o coração do povo se derreteu (Js 7.4,5). O que antes estava acontecendo com os inimigos de Israel, agora ocorria com o povo de Israel: o medo fazia o coração desmaiar (Js 2.11; 5.1).
Diante do fracasso, Josué e a liderança fizeram o que deveriam ter feito antes de atacar a cidade, foram a Deus em oração (Js 7.6-9). Haviam confiado apenas na sua avaliação militar, e não buscaram o conselho de Deus. Agora, arrependidos, prostram-se diante do Senhor.
Deus explica o que havia acontecido: Israel havia pecado, isto é, falhado em continuar no alvo proposto por Deus. Este pecado é descrito como a violação da aliança e ultrapassar os limites ordenados por Deus (Js 7.10,11).  O escritor do livro já havia nos alertado para esta situação no versículo 1º, quando disse que o povo de Israel prevaricou, isto é, foi infiel, tal qual uma pessoa que adultera (Nm 5.12). E Deus ficara irado com isso.
Mesmo quando a luta é contra algo pequeno e fraco, se não houver obediência a Deus, a derrota é certa. A desobediência faz a ruína mudar de lado. Neste caso, a cidade fraca e arruinada, arruinou o povo de Israel, porque este já havia se arruinado com seu pecado.
O pecado específico foi o de ficar com as “coisas condenadas”, esta era uma expressão para o que fora consagrado total e definitivamente a Deus. Esta consagração se dava tanto através de uma doação para o uso no santuário, como através da completa destruição do que fora consagrado. De qualquer maneira, aquilo que fora votado a Deus ficava proibido para o uso comum. Ninguém poderia usar para si mesmo.
No caso de Jericó, o pecado daquela cidade a tornara tão abominável aos olhos de Deus, que tudo deveria ser destruído, nada aproveitado, exceção da arrependida Raabe e sua família. Tudo seria queimado, menos o que não era destrutível pelo fogo, que iria para o tesouro de Deus. Quem desobedecesse à ordem, colocaria sob maldição todo o povo de Israel. (Js 6.17-19).
Quem havia cometido este pecado fora um homem chamado Acã. Este nome tem como raiz um verbo que significa: atormentar, atribular, perturbar. Acã havia tirado o sossego e a paz de Israel, com o seu pecado individual. Ele passou a ser conhecido como o que perturbou Israel (2º Crônicas 2.7). Quem desobedece a Deus, mesmo de forma oculta, traz problemas para o povo de Deus.
A cidade de Jericó havia se colocado entre Deus e o Seu plano, por isso fora condenada. Quando Acã roubou e escondeu o que fora condenado, o povo de Israel se tornou condenado, pois também havia se colocado contra o plano de Deus. Era necessário que Acã e os objetos roubados, fossem destruídos, para que a condenação se afastasse de Israel (Js 7.12,13). Ficar contra o plano de Deus é perturbar o povo Dele, e também é estar do lado dos que necessariamente serão destruídos.
 Até então, o povo não sabia quem era o culpado. Um sorteio foi ordenado, depois da santificação do povo, para que o culpado fosse consagrado ou destinado à destruição, pois ele havia se apegado ao que havia sido votado à destruição, e isto foi considerado por Deus como uma loucura (Js 7.14,15). Apegar-se ao que Deus condenou é sujeitar-se à mesma condenação.
Acã confessa seu pecado, mas só depois de descoberto, quando não havia mais saída. Então foi levado ao Vale de Acor, que significa: Vale da Perturbação ou Vale do Problema. Ali, ele e sua família foram apedrejados, queimados e sepultados. O homem que havia perturbado o povo com seu pecado, teve sua vida irremediavelmente perturbada por Deus.
Acã morreu com os bens que cobiçou e se apegou, mas que nunca desfrutou. O que é adquirido com perversidade torna-se engano e perturba a vida (Provérbios 15.6,27). O perturbador encontrou como destino a perturbação (Josué 7.25). Creio que, se houvesse arrependimento, o Vale de Acor teria sido para Acã um vale de repouso e uma porta de esperança, conforme as promessas de Deus (Isaías 65.10; Oseias 2.15).
Deus estava ensinando que a obediência às ordens Dele era absolutamente essencial para a conquista da terra. E cada um individualmente tinha responsabilidade nesta obediência, de modo que a desobediência de um afetava a todos. O pecado de um podia destruir a nação (Js 22.20).
Cuidemos para não sermos um Acã, e assim, nossa igreja não terá um Ai, e nem nós e nossa família terão um Vale de Acor.
Fonte: http://pastoralmir.blogspot.com.br/2012/10/ai-aca-e-acor.html

Pérolas Diárias 31 de Outubro

"E disseram um ao outro: Porventura não nos ardia o coração, quando ele pelo caminho nos falava, quando nos expunha as Escrituras?" Lucas 24.32
O mais penoso para um filho de Deus é quando não entende mais o proceder de Deus. Foi isso o que aconteceu com esses discípulos que caminhavam juntos de Jerusalém a Emaús. Ambos estavam profundamente abalados. Jesus – segundo o ponto de vista deles – os havia decepcionado. Eles pensavam que Jesus fosse o Messias de Israel, mas não entendiam como Ele se deixara executar numa cruz. Por que Ele fez isso? Por que Ele não manifestou a Sua onipotência? Quando eles estavam conversando entre si sobre esse assunto, um forasteiro se juntou a eles. Eles derramaram todo o seu coração decepcionado e triste diante do Senhor que eles não reconheceram. Mas o que eles ouviram da boca desse estranho? Palavras cheias de compaixão? Não! Está escrito: "E, começando por Moisés, discorrendo por todos os profetas, expunha-lhes o que a seu respeito constava em todas as Escrituras." Mas ainda assim eles não se deram conta de que era o próprio Jesus que falava com eles. Só mais tarde, na ceia, eles O reconheceram. Os dois, que desconfiaram de seu Senhor, experimentaram que justamente no momento de grande decepção Jesus estava o mais próximo possível deles! Jesus não só foi como ainda é maior que tudo! Ele quer transformar também a nossa decepção numa alegria maravilhosa!
Fonte: http://www.chamada.com.br/perolas/?mes=Outubro&dia=31

30 de out de 2012

Thomas Olivers


 Thomas Olivers [14] ficou órfão com quatro anos de idade, de forma que recebeu pouca educação. Tornou-se um aprendiz de sapateiro em 1743, viveu uma vida sem Deus, converteu-se com uma pregação de George Whitefield sobre o texto: “Não é este um tição tirado do fogo?” Zacarias 3:2, e após pagar todas as suas dívidas, tornou-se um pregador Wesleyano. Viajou cerca de 100.000 milhas a cavalo durante os 25 anos em que pregou na Inglaterra e Irlanda.

 Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_011

DEVOCIONAL PARA HOJE 30/10/2012


VERSÍCULO:
   Os justos jamais serão desarraigados, mas os ímpios pouco duram na terra. -- Provérbios 10:30

PENSAMENTO:
   Esta promessa é até mais verdadeira hoje em dia para nós que vivemos do outro lado do Calvário e do túmulo vazio! Como Paulo disse, “nossa cidadania está nos céus, de onde esperamos ansiosamente o Salvador, o Senhor Jesus Cristo”. Pelo poder que o capacita a colocar todas as coisas debaixo do seu domínio, ele transformará os nossos corpos humilhados, tornando-os semelhantes ao seu corpo glorioso.” (Filipenses 3:20-21) Os justos nunca serão tirados da sua verdadeira pátria, porque ninguém e nenhuma força pode roubá-la, corrompê-la, destruí-la ou tirá-la!

ORAÇÃO:
   Pai, obrigado por ter me declarado justo pela morte reconciliadora de Jesus. Por favor, transforme-me mais e mais a cada dia para ser justo em tudo que digo, penso e faço. No nome de Jesus eu oro. Amém. 
http://www.iluminalma.com/dph/4/1030.html

Henry J. Zelley


Henry J. Zelley [476] nasceu em Mount Holly, Estado de nova jersey, em 15 de março de 1859. Fez o mestrado em artes e doutorado em filosofia (phD) na Univesidade Taylor em Upland, Estado de Indiana. Estudou teologia no Seminário Pennington, NJ. Consagrado ao ministério metodista, entrou na convenção do seu estado natal, onde serviu, ao longo dos anos em dezenove diferentes igrejas. Ativo no trabalho da Conferência dos Estados, serviu em diversas áreas, inclusive na junta do seu Seminário. “Pregador e pastor de grande sucesso, o ministério de Zelley foi marcado de fervor evangelístico. Foi autor de mais de 1.500 poemas, hinos e gospel songs”. 

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_338.htm, que cita Kerr,Phil, Music in Evangelism in: Hustad,Donald, Dictionary-Handbook to Hymns for Living Church, Carol Stream, IL, Hope Publishing.

Pérolas Diárias 30 de Outubro


"E eis que, dentre a multidão, surgiu um homem, dizendo em alta voz: Mestre, suplico-te que vejas meu filho, porque é o único; um espírito se apodera dele e, de repente, grita e o atira por terra, convulsiona-o até espumar, e dificilmente o deixa, depois de o ter quebrantado." Lucas 9.38-39
Existem problemas familiares de todo tipo. Jesus, tanto no Seu tempo na terra como ainda hoje, é maior do que todos os problemas familiares. Isso o pai daquele rapaz atormentado pelo mal também sabia, e por isso veio a Jesus com sua aflição. Ninguém foi capaz de remediar sua aflição familiar, somente Jesus podia ajudar. E Ele ajudou! Ele "repreendeu o espírito imundo, curou o menino e o entregou a seu pai." Hoje Jesus também quer ajudar em todo problema familiar, seja ele causado por culpa própria ou de estranhos.
Em cada situação, fale com Jesus sobre o assunto; fale com Ele como fez aquele pai aflito. Se Ele não intervém imediatamente, não desanime. Continue falando com Jesus sobre os seus problemas familiares. Ele o ouvirá e, tocado por misericórdia, mais uma vez se mostrará como Aquele que é maior que tudo. Ele não o rejeitará, pois Ele mesmo disse: "...o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora."
Fonte: http://www.chamada.com.br/perolas/?mes=Outubro&dia=30

29 de out de 2012

O que é uma igreja doente?


É uma igreja em que os sermões retornam freqüentemente a clichês e repetições. E, pior do que isso, elas se tornam moralistas e centralizadas no homem, e o evangelho é remodelado em pouco mais do que uma mensagem espiritual de “auto-ajuda”. A conversão é vista como um ato da decisão humana. Em diferentes aspectos, de mal a pior, a cultura da igreja é indistinguível da cultura secular que a circunda.

Mark Dever, trecho do livro “O que é uma igreja saudável?”

DEVOCIONAL PARA HOJE 29/10/2012


VERSÍCULO:
   Quão mais severo castigo, julgam vocês, merece aquele que pisou aos pés o Filho de Deus, profanou o sangue da aliança pelo qual ele foi santificado, e insultou o Espírito da graça? -- Hebreus 10:29

PENSAMENTO:
   Muitas vezes ficamos perplexos com a rapidez da disciplina e castigo severo que Deus aplicava ao seu povo no Velho Testamento. O Espírito Santo nos lembra que rejeitar a graça e ridicularizar a morte sacrificial de Jesus são ações muito mais merecedoras do castigo de Deus. A graça é incrível. É maravilhosa. Mas se a rejeitarmos, isto é, se rejeitarmos Jesus e tudo que Ele fez por nós, estamos pedindo para sermos rejeitados de qualquer fonte de graça verdadeira.

ORAÇÃO:
   Santo e justo Pai, muito obrigado por seu presente de graça que lhe custou muito. Por favor, capacite-me para ser uma fonte dessa graça para outros. Dê-me a habilidade de compartilhá-la com toda a sua beleza, para que outros também possam conhecer sua salvação e não enfrentar sua justiça, depois de terem rejeitado seu presente gracioso de Jesus.  Em nome de Jesus eu oro. Amém. 
http://www.iluminalma.com/dph/4/1029.html

Pérolas Diárias 29 de Outubro


"Filho de Davi, tem misericórdia de mim! Parou Jesus e disse: Chamai-o. Chamaram então o cego, dizendo-lhe: Tem bom ânimo; levanta-te, ele te chama. Lançando de si a capa, levantou-se de um salto, e foi ter com Jesus." Marcos 10.48-50
O cego Bartimeu ouve Jesus de Nazaré passando, e começa a gritar com toda a força: "Filho de Davi, tem misericórdia de mim!" Esse clamor evidentemente incomoda o "mundo religioso", mas Bartimeu não perde a oportunidade, e grita mais alto ainda. O que provoca este clamor tão profundo do seu coração? Jesus está em silêncio. Ele o cura no mesmo instante? Ele afasta a cegueira imediatamente? Por enquanto não, mas o anima amavelmente para que lhe conte todo o seu problema. Jesus lhe pergunta: "Que queres que eu te faça?", mesmo sabendo que Bartimeu é cego. Isto nos mostra que nós também devemos dizer nossos desejos de maneira bem concreta a Jesus. O Senhor quer que digamos a Ele exatamente o que queremos e desejamos, mesmo que Ele já saiba tudo o que se passa em nossa vida e em nosso coração, e o que esperamos dEle. Quando Bartimeu lhe apresentou seu desejo: "Mestre, que eu torne a ver", Jesus intervém imediatamente e lhe diz: "Vai, a tua fé te salvou. E imediatamente tornou a ver, e seguia a Jesus estrada fora."

28 de out de 2012

EBD 28/10/2012

1 E 2 CORÍNTIOS
1 CORÍNTIOS
ESBOÇO

III.     Os Problemas Morais na Igreja: 5:1-6:20
A.      Imoralidade: 5:1-13
1.      A disciplina da pessoa incestuosa: 5:1-8
a.    A natureza do pecado: 5:1
b.    O fracasso da igreja em agir: 5:2
c.    O juízo sobre a pessoa culpada: 5:3-5
d.    Apelo à igreja para agir: 5:6-8
2.      O princípio geral para resolver tais casos: 5:9-13
a.    Suas instruções anteriores: 5:9-11
b.    O chamado para agir com base neste princípio: 5:12-13
Continua na próxima semana!

20º Distintivo Batista

20º DISTINTIVO – PRÁTICA ECLESIÁSTICA
O CULTO CRISTÃO
Conceito Teológico
O propósito principal do culto da igreja é a adoração coletiva do Deus verdadeiro e o ensino dos santos. Deus, por ser santo e unicamente divino (Is 6:1-8), não deve ser adorado de forma profana ou leviana (Ex 30:9; Lc 10:1-3; Mt 15:7-9; I Co 11:26-30), mas com o devido respeito, santidade e submissão (Sl 29:1-2; Is 1:10-17; JO 4:19-24; Hb 13:15; Ap 4-5). Por isso, não se deve introduzir práticas ou estilos musicais mundanos tais como expressões corporais irreverentes e o uso indevido de instrumentos musicais no culto cristão e deve-se tomar muito cuidado para usar apenas hinos e cânticos cuja letra ensine a sã doutrina (Ef 5:18-20; Fp 4:8; Cl 3:16). A pregação da Palavra de Deus deve ser proeminente no culto, pois somente ela é capaz de transformar vidas e equipar o crente para a vida cristã (Ef 5:25-27; I Tm 4:13; II Tm 3:14-17; 4:1-2). Não se deve permitir que nada a substitua, minimize ou suplante. O culto cristão não existe para satisfazer os desejos dos participantes, mas do Senhor da igreja: Jesus Cristo (Ap 1:9-3:22).
História
Quando a Reforma Protestante começou, em 1517, a eucaristia (Ceia do Senhor) era o foco do culto cristão e o altar ocupava o lugar central na arquitetura eclesiástica. Toda a liturgia, inclusive a música, era em latim e, por isso, incompreensível ao povo. Com a Reforma Protestante e Radical, a pregação da Palavra de Deus e o púlpito foram elevados ao lugar de proeminência no culto e na arquitetura da igreja, respectivamente. Começando com Martinho Lutero, a música passou a ser composta na linguagem do povo e cantada pela congregação no culto. O auge da história protestante foi atingido nos hinos de Isaac Watts e John Newton. Em tempos recentes têm surgido algumas tendências alarmantes no culto evangélico. O culto e a música começaram a ser vistos como meios, não de adorar a Deus e edificar os santos, mas de atrair e evangelizar os descrentes. Estilos musicais mundanos com letras cristãs foram introduzidos no culto. Os hinos perderam a vez para corinhos, que no início eram refrões de hinos. Até a pregação da Palavra de Deus tem perdido espaço para outras atividades como consertos musicais e peças de teatro. Uma nova atitude de consumismo tem sido dominante: pessoas freqüentam os cultos para satisfazer seus desejos em vez de agradar e servir a Deus. A AIBREB sempre foi conservadora e tem rejeitado estas inovações, mais recentemente, em 1989, na reunião de Belém-PA.
Divergências Denominacionais e/ou Herética
·                O movimento denominado Church Growth (Crescimento da Igreja) tem promovido cultos do tipo seek sensitive (sensitivo aos buscadores). Este movimento visa agradar homens, especialmente descrentes, e resulta na diluição da adoração e da pregação.
·                Muito da música contemporânea cristã se utiliza de formas musicais e letras impróprias à adoração de Deus por serem mundanas, triviais, irreverentes ou profanas.
·                Muitas vezes, a execução de música na igreja ou em concertos provoca admiração ao artista em vez de adoração a Deus.

Pérolas Diárias 28 de Outubro


"Tendo Jesus saído do templo, ia-se retirando... Ele, porém, lhes disse: Não vedes tudo isto? Em verdade vos digo que não ficará aqui pedra sobre pedra, que não seja derrubada." Mateus 24.1-2
Ao ouvirem essas palavras, os discípulos de Jesus começaram a se alvoroçar, e uma grande pergunta surgiu no meio deles. Eles estavam preocupados com o futuro. Muitas pessoas, hoje em dia, se preocupam com o futuro. Se quisermos obter conhecimento sobre o porvir, devemos seguir o mesmo caminho que os discípulos: eles se aproximaram de Jesus, a fim de lhe apresentar suas perguntas sobre o futuro, pois Jesus é o Eterno."Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre."
Se de fato você questiona o Senhor sobre o futuro, Ele lhe responde através de um grande panorama que parte de Jerusalém, se estende por toda a terra e toda a humanidade, abrangendo o Universo e o mar de estrelas, desembocando novamente em Jerusalém. Isso não é o que acontece justamente em nossos dias? Diga-Lhe tudo o que atormenta e amedronta seu coração em relação ao futuro. Mas não procure entender tudo. Basta que Ele saiba e compreenda tudo! Em relação àquilo que você não consegue compreender, Ele lhe diz: "Tenho ainda muito que vos dizer, mas vós não o podeis suportar agora."
Fonte: http://www.chamada.com.br/perolas/?mes=Outubro&dia=28

DEVOCIONAL PARA HOJE 28/10/2012


VERSÍCULO:
   O que o justo almeja redunda em alegria,mas as esperanças dos ímpios dão em nada. -- Provérbios 10:28

PENSAMENTO:
   Boas notícias! Quando buscamos retidão, justiça, santidade e misericórdia, nosso futuro fica cheio de alegria. Não deixe que a escuridão ao seu redor roube o glorioso amanhecer de alegria que mesmo agora começou a aparecer.

ORAÇÃO:
   Pai, por favor, perdoe-me pelas vezes em que tenho ficado desanimado e melancólico por causa da condição do meu mundo e cultura. Obrigado, querido Pai, pela promessa de vitória e de bênçãos gloriosas que estão por vir. Por favor, ajude-me a manter meus olhos na sua vitória. Em nome de Jesus. Amém. 
http://www.iluminalma.com/dph/4/1028.html

27 de out de 2012

Pérolas Diárias 27 de Outubro


"No mundo passais por aflições; mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." João 16.33
Como você pode experimentar o Senhor Jesus Cristo na atual situação em que você se encontra, Ele que é maior que todos os seus temores, aflições e problemas insolúveis? Resposta: falando com Ele sobre todos esses assuntos! Você experimentará a Jesus como maior que tudo na medida em que contar tudo a Ele. Eu também não posso resolver os meus problemas, mas posso contá-los a Jesus. E, dizendo tudo a Ele, da maneira simples como uma criança, Ele toma os meus problemas num processo de troca, dando-me Sua alegria e Sua paz.
Você está em perigo? Então diga-o a Jesus. Proceda da maneira como os discípulos outrora. Quando estavam com seu barco em alto-mar, e o Senhor Jesus havia adormecido pelo cansaço, de repente começou um temporal furioso. As ondas batiam contra o pequeno barco. Os discípulos não puderam mais mantê-lo, perderam a esperança – e disseram-no a Jesus! Então Ele se mostrou como Aquele que é mais poderoso do que a tempestade mais assustadora. Jesus, "levantando-se, repreendeu os ventos e o mar." Por isso, fale com Ele sobre todos os seus problemas e perigos e sobre tudo o que vê ao seu redor. Então as ondas altas que o derrubam se acalmarão e o furacão que ruge dentro de você e ao seu redor cessará.
Fonte: http://www.chamada.com.br/perolas/?mes=Outubro&dia=27

História do hino 296 – Consagração


  Sobre a história deste hino, a autora diz: “Eu fui fazer uma visita de 5 dias. havia 10 pessoas na casa, algumas não convertidas, pelas quais muitas pessoas havia orado, e outras convertidas, porém não vivendo uma vida de testemunho. Ele me impeliu a esta oração: ‘Deus, me dá todos nesta casa!’ e foi isto que aconteceu!… na última noite de minha visita, eu estava tão alegre, que não pude dormir, e passei a noite louvando a Deus e renovando minha decisão a Ele, e estes versos me vieram à mente e ecoavam no meu coração”… Certa vez, numa reunião, ela distribuiu cartas com a letra do hino impressa e com um lugar indicado para as pessoas assinarem. Ela pediu que todos levassem o cartão para casa, e o usassem como teste, assinando-o enquanto ainda estivessem de joelhos. 

Fonte: Ichter, Bill H. Se os Hinos Falassem, vol.III, Rio de Janeiro, Casa Publicadora Batista (JUERP),1971, pg 18

Henry Maxwell Wright


Entre os inúmeros escritores de hinos Cristãos do século XIX, temos Henry Maxwell Wright [1, 16, 23, 34, 35, 40, 41, 61, 70, 72, 78, 80, 85, 86, 91, 101, 113, 122, 123, 137, 146, 157, 164, 169, 193, 205, 262, 267, 280, 282, 292, 299, 307, 311, 321,330, 349, 352, 362, 368, 373, 378, 393, 396, 404, 408, 409, 414, 421, 423, 443, 452, 455, 460, 463, 464, 467, 469, 512, 513, 580] conhecido pelas iniciais H. M. W. Nasceu em Lisboa, Portugal, no dia 7 e Dezembro de 1849, tendo partido para o Senhor no ano de 1931. Dedicou-se, primeiramente, ao comércio, mudando-se, depois para Londres a fim de cuidar dos seus interesses profissionais. Foi ali que se converteu ao Senhor. Era filho de pais ingleses,  os quais eram verdadeiramente Cristãos. Depois de auxiliar o pregador Dwight Moody numa grande campanha de evangelização realizada em Londres, em 1874 e 1875, abandonou a sua próspera carreira comercial para dedicar-se à evangelização da Inglaterra e Escócia.
  Dedicou-se à evangelização na Inglaterra e Escócia durante três anos. Em 1887 regressou a Portugal. Aqui trabalhou não só no Continente, mas também nas ilhas, como Madeira e São Miguel, nos Açores. Visitou o Brasil quatro vezes: uma em 1881, outra em 1890-1891, outra em 1893 e, por último, em 1914, a convite de J. L. F. Braga, crente brasileiro que morava na cidade do Porto, Portugal. Ele era um verdadeiro embaixador de Cristo. Numa viagem de Inglaterra para Portugal num navio a vapor, sentou-se no convés a ler a Bíblia. Passado um bocado um sujeito aproximou-se dizendo-lhe, “Vejo que é crente”. Ele respondeu, “Tinha içado a ‘bandeira’ e estava a ver que ninguém notava!”.
  Por mais de 5 anos H. M. Wright foi um dos mais poderosos servos de Deus entre os povos que falam a língua portuguesa. Era pregador vibrante e convicto e possuía belíssima voz. Gostava imenso de pregar o Evangelho ao ar livre. Na última viagem que fez ao Brasil, em 1890-1891, divulgou, com muito entusiasmo o hino “Cristo pra mim”. Numa das suas pregações em praça pública, um bêbado começou a perturbar a reunião, mas ele, dirigindo-se ao ébrio, repreendeu-o, aquietou-o e aconselhou-o até ao ponto de levá-lo a cantar com os olhos lacrimejantes: “Oh, que descanso em Jesus encontrei… Cristo pra mim! Cristo pra mim!”. 
  Wright achava que Deus o queria como missionário na China, porém, iniciou o seu trabalho em Portugal ao verificar a falta de obreiros para pregar o Evangelho entre os que falam a Língua de Camões. Esteve várias vezes nos Estados Unidos anunciando o Evangelho de Jesus entre as colônias portuguesas. No Brasil, chegou a ser preso sob a acusação de inimigo da “religião oficial”, pois era poderoso pregador e após as suas mensagens aconteciam muitas conversões. Em 1905, Wright e a sua esposa Ellen fixaram residência e sede de trabalho na cidade do Porto, em Portugal, e construíram, na capital nortenha, o famoso salão evangélico da A. C. M. – Associação Cristã da Mocidade.
  Henry Maxwell Wright, possuidor de uma bela voz, não hesitava em cantar a solo nas suas reuniões evangelísticas. Dizem até, que foi dele a iniciativa de cantar corinhos no Brasil. Wright contribuiu grandemente para a hinologia quer de Portugal quer do Brasil, pois foi o autor ou tradutor de cerca de 200 hinos, entre os quais alguns corinhos. O seu nome de autor aparece em livros de cânticos tais como “Hinos e Cânticos”,  “Salmos e Hinos”, “In Memoriam”, “Cantor Cristão”, “Cânticos de Alegria” e diversos outros hinários.
  Este pregador do Evangelho, cantor e hinólogo era uma figura respeitável, de estatura elevada, voz cheia e harmoniosa, maneiras afáveis, unção de Deus, pregador que lia os hinos antes de cantar de maneira muito expressiva, ressaltando o conteúdo do texto e tomando-o como tópico para o sermão. Distinguia-se no cântico dos hinos pela expressão que sabia dar à letra. Wright está sepultado no Cemitério Britânico do Porto, em Portugal, pois partiu para o Senhor nesta cidade, no dia 23 de Janeiro de 1931. 

Fonte: http://www.verdade-viva.net/biografias/295-henry-maxwell-wright.html

DEVOCIONAL PARA HOJE 27/10/2012


VERSÍCULO:
   Alguns vadios, porém, disseram: “Como este homem pode nos salvar?” Desprezaram-no e não lhe trouxeram presente algum. Mas Saul ficou calado. -- 1 Samuel 10:27

PENSAMENTO:
   Alguns não queriam que Saul os servisse como Rei por causa do seu histórico simples e sua história familiar não-aristocrata. Muitas vezes, tendemos fazer a mesma coisa hoje em dia – rotulamos pessoas e descontamos sua habilidade de liderar o povo de Deus ou servir no Reino de Deus por causa do seu passado ou família. Deus, no entanto, não olha o pedigree de uma pessoa. Ele vasculha o coração. Então, querido líder, por favor, fique perto do Senhor, porque será criticado. Mas, por favor, não reaja à cada crítica; devote-se ao serviço do Senhor.

ORAÇÃO:
   Querido Deus, por favor, perdoe-me pelas vezes em que duvidei da sua escolha de líderes. Por favor, dê-me, e também à minha congregação, a habilidade de discernir quem são seus líderes no nosso meio. Por favor, dê coragem para eles liderarem abnegada e fielmente. Em nome de Jesus. Amém. 
http://www.iluminalma.com/dph/4/1027.html

26 de out de 2012

DEVOCIONAL PARA HOJE 26/10/2012

VERSÍCULO:

   “Do Senhor é a terra e tudo o que nela existe”. -- 1 Coríntios 10:26



PENSAMENTO:
   Quando falamos sobre dar a Deus, ou à obra de Deus, devemos lembrar que tudo pertence a ele. Ele não precisa das nossas ofertas para realizar sua obra. Por outro lado, nós precisamos compartilhar as bênçãos que Ele tem nos confiado. O que “temos” na verdade não é nosso; é tudo dele, confiado a nós para colocar a serviço de outros, para a obra e glória de Deus.



ORAÇÃO:
   Poderoso Deus e Criador do universo, eu louvo seu gênio criativo revelado através da incrível variedade encontrada na sua criação. Por favor, esteja conosco, seus filhos humanos, na nossa busca de sermos mordomos fiéis deste presente maravilhoso. Em nome de Jesus eu oro. 


http://www.iluminalma.com/dph/4/1026.html 

Pérolas Diárias 26 de outubro


"Em verdade, em verdade vos digo: Se alguém guardar a minha palavra, não verá a morte, eternamente." João 8.51
A pessoa normal não quer morrer. Isto já se pode observar num bebê recém-nascido. Ele cerra seus punhozinhos como se quisesse dizer: a vida que recebi não quero deixar nunca mais. O homem moderno procura desesperadamente escapar da morte. Por isso tornou-se um empreendimento muito lucrativo o negócio com a ameaça de morrer. E apesar de todos os tratamentos para rejuvenescimento e renovação das células, ainda assim o homem não se livrou desse temor. Somente uma Pessoa conseguiu vencer a morte: Jesus Cristo. Está escrito: "Visto, pois, que os filhos têm participação comum de carne e sangue, destes também ele, igualmente, participou, para que, por sua morte, destruísse aquele que tem o poder da morte, a saber, o diabo." Este é o milagre da vitória de Jesus que, ao morrer, tirou o domínio daquele que tinha poder sobre a morte, quando Ele mesmo morreu. Mas a morte não conseguiu detê-lO. Se você tem a este Jesus – que ainda hoje é maior que a morte – em seu coração, então você também está livre do medo e do poder da morte! Só assim você não mais verá a morte, pois Ele mesmo disse: "Eu sou a ressurreição e a vida. Quem crê em mim, ainda que morra, viverá."

Como posso receber perdão de Deus?


Resposta: Atos 13:38 declara: “Tomai, pois, irmãos, conhecimento de que se vos anuncia remissão de pecados por intermédio deste [Jesus].”

O que é perdão e por que preciso?

A palavra “perdão” significa limpar a conta, perdoar ou cancelar a dívida. Quando ofendemos alguém, buscamos seu perdão para que o relacionamento seja restaurado. Perdão não é dado porque alguém merece ser perdoado. Ninguém merece ser perdoado. Perdão é um ato de amor, misericórdia e graça. Perdão é uma decisão de não manter algo contra outra pessoa, apesar do que tenha lhe feito.

A Bíblia nos diz que todos nós precisamos do perdão de Deus. Todos nós temos cometido pecado. Eclesiastes 7:20 proclama: “Não há homem justo sobre a face da terra que faça o bem e que não peque.” 1 João 1:8 diz: “Se dissermos que não temos pecado nenhum, a nós mesmos nos enganamos, e a verdade não está em nós.” No final das contas todo pecado é contra Deus (Salmos 51:4). Por isso, precisamos desesperadamente do perdão de Deus. Se nossos pecados não forem perdoados, passaremos a eternidade sofrendo as conseqüências de nossos pecados (Mateus 25:46; João 3:36).

Perdão – Como posso obter?

Graças a Deus, Ele é bondoso e misericordioso — pronto para nos perdoar dos nossos pecados! 2 Pedro 3:9 nos diz: “...Ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.” Deus deseja nos perdoar, então ele providenciou nosso perdão.

O único castigo justo pelos nossos pecados é a morte. A primeira parte de Romanos 6:23 declara: “Porque o salário do pecado é a morte...” Morte eterna é o salário que merecemos por nossos pecados. Deus, em Seu plano perfeito, tornou-se um ser humano — Jesus Cristo (João 1:1,14). Jesus morreu na cruz, pagando o preço que nós merecíamos pagar— morte. 2 Coríntios 5:21 nos ensina que: “Aquele que não conheceu pecado, ele o fez pecado por nós; para que, nele, fôssemos feitos justiça de Deus.” Jesus morreu na cruz, levando sobre si o castigo que nós merecemos! Sendo Deus, a morte de Jesus providenciou perdão pelos pecados do mundo inteiro. 1 João 2:2 proclama: “E Ele é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro.” Jesus ressuscitou dos mortos, proclamando Sua vitória sobre o pecado e a morte (1 Coríntios 15:1-28). Graças a Deus pela morte e ressurreição de Jesus Cristo. A segunda parte de Romanos 6:23 também é verdade: “...mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.”

Você quer ter seus pecados perdoados? Você tem sentido o peso da culpa que simplesmente não desaparece? Perdão de seus pecados é disponível a você se apenas colocar sua fé em Jesus Cristo como seu Salvador. Efésios 1:7 diz: “No qual temos a redenção, pelo seu sangue, a remissão dos pecados, segundo a riqueza da sua graça.” Jesus pagou nossa dívida por nós para que pudéssemos ser perdoados — e Ele te perdoará! João 3:16-17 contém esta maravilhosa mensagem: “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o Seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por Ele.”

Perdão – É mesmo tão fácil assim?

Sim, realmente é! Você não pode conquistar o perdão de Deus. Você não pode pagar pelo perdão de seus pecados contra Deus. Você só pode recebê-lo, por fé, através da graça e misericórdia de Deus. Se você quiser aceitar Jesus Cristo como seu Salvador e receber perdão de Deus, aqui está uma oração que você pode fazer. Fazer esta oração ou qualquer outra oração não é capaz de lhe salvar. Apenas confiar em Jesus Cristo pode providenciar perdão de seus pecados. “Deus, Eu sei que tenho pecado contra Ti e mereço castigo. Mas Jesus Cristo tomou o castigo que eu mereço para que por fé nele eu possa ser perdoado. Eu abandono meu pecado e coloco minha confiança em Ti para minha salvação. Graças Te dou por Sua maravilhosa graça e perdão! Amém!”
http://www.gotquestions.org/portugues/Receber-perdao-Deus.html

Você tem Vida Eterna?


A Bíblia apresenta um caminho claro para a vida eterna. Primeiramente, temos que reconhecer que temos pecado contra Deus: “Pois todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23). Todos nós temos feito coisas que desagradam a Deus, que nos fazem merecedores de castigo. Já que todos os nossos pecados, no final das contas, são contra o Deus eterno, somente um castigo eterno é suficiente. “O salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Romanos 6:23).

Porém, Jesus Cristo, o santo (1 Pedro 2:22), eterno Filho de Deus, tornou-se homem (João 1:1,14) e morreu para pagar nossos pecados. “Mas Deus prova o seu próprio amor para conosco pelo fato de ter Cristo morrido por nós, sendo nós ainda pecadores” (Romanos 5:8). Jesus Cristo morreu na cruz (João 19:31-42), tomando sobre si o castigo que nós merecemos (2 Coríntios 5:21). Três dias depois ele ressuscitou dos mortos (1 Coríntios 15:1-4), provando Sua vitória sobre o pecado e a morte. “Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que, segundo a sua muita misericórida, nos regenerou para uma viva esperança, mediante a ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos” (1 Pedro 1:3).

Pela fé, temos que fugir do pecado e olhar para Cristo para salvação (Atos 3:19). Se colocarmos nossa fé nele, confiando na Sua morte na cruz para pagar nossos pecados, seremos perdoados e a nós é prometida vida eterna no céu. “Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” (João 3:16) “Se, com a tua boca, confessares a Jesus como Senhor e, em teu coração, creres que Deus o ressuscitou dentre os mortos, serás salvo” (Romanos 10:9). Fé absoluta no sacrifício de Cristo na cruz é o único caminho para a vida eterna! “Porque pela graça sois salvos, mediante a fé; e isto não vem de vós; é dom de Deus; não de obras, para que ninguém se glorie” (Efésios 2:8-9).

Se você quer aceitar Jesus Cristo como seu Salvador, aqui está uma simples oração que você pode usar. Lembre-se que dizer esta oração como qualquer outra não irá salvá-lo. Somente crendo em Cristo você pode ser salvo. Esta oração é uma simples maneira de expressar a Deus sua fé nele e agradecer a Ele por ter providenciado sua salvação. “Deus, Eu sei que tenho pecado contra Ti e mereço ser castigado. Mas Jesus Cristo tomou o castigo que eu mereço para que por minha fé nele eu possa ser perdoado. Eu abandono meu pecado e coloco minha confiança em Ti para minha salvação. Obrigado por Sua maravilhosa graça e perdão — o presente da vida eterna! Amém!”

http://www.gotquestions.org/portugues/vida-eterna.html

25 de out de 2012

Pérolas Diárias 25 de Outubro


"Jesus Cristo ontem e hoje é o mesmo, e o será para sempre." Hebreus 13.8
Esta passagem bíblica irrefutável tem um conteúdo impressionante. Ela testifica que Jesus Cristo, que derramou Seu sangue em nosso favor na cruz do Calvário para perdão dos nossos pecados, nunca muda. Ontem, hoje e em toda a eternidade Ele é o mesmo que sempre foi, também no que diz respeito ao Seu ilimitado poder sobre o pecado, a morte e o diabo. Nossas aflições e temores vêm porque não conseguimos vencer os poderes das trevas ao nosso redor. Por isso somos frustrados, confusos, acanhados e tímidos. Os filhos de Deus de fato não têm que lutar contra "o sangue e a carne, e, sim, contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes." Mas sempre deveríamos ter consciência de que o mais forte está do nosso lado: Jesus Cristo! Ele é hoje como sempre foi em todos os tempos – muito maior do que qualquer poder que possa nos oprimir – e assim também Ele será em toda a eternidade. A grandeza de Jesus é tão absoluta que nada, a não ser Deus, o Pai, O supera. Para aquele que crê, portanto, não existe poder algum que o possa oprimir que Jesus já não tenha há muito derrotado pela Sua obra consumada na cruz do Calvário!

Fonte: http://www.chamada.com.br/perolas/?mes=Outubro&dia=25

Daniel Webster Whittle


Daniel Webster Whittle [95, 106, 111, 125, 168, 227, 229, 307, 325, 354, 364, 377, 469, 496], nasceu em 22 de novembro de 1840, em Chicopee Falls, Estado de Massachussetts, EUA. Trabalhou na Wells-Fargo Company, em Chicago, até alistar-se no exercito da União, em 1861. Durante a Guerra Civil, Whittle atingiu o posto de major, titulo que conservou até sua morte. Após o combate feroz em Vicksburg, Virginia, no qual perdeu o braço e foi aprisionado, o major Whitlle entregou-se a Jesus. Desejando algo para ler durante sua recuperação, procurou em sua mochila e encontrou o Novo Testamento que sua mãe colocara ali. Começou a lê-lo. Certa noite, foi acordado por um guarda que o chamava: “Venha, major, venha orar com um rapaz que esta morrendo!” “Mas eu não sei orar, cabo, jamais orei com alguém”, foi sua resposta. “Venha, major, ele precisa de alguém”, insistia o cabo. Correndo, então, Whitlle foi ao encontro do moribundo. Este agonizava e pedia: “Ore por mim! Não estou preparado para morrer!”, impressionado, caiu de joelhos e pediu a Deus que salvasse o rapaz. Quando levantou os olhos, o rapaz estava morto, mas havia uma expressão muito tranqüila no seu rosto. Ao contar desta conversão o major falava: “Espero encontra-lo no céu.”.
  Depois da guerra, Whitlle tornou-se tesoureiro da Elgin Watch Company, mas, com a influência de Dwight L. Moody, deixou o cargo para dedicar-se à evangelização em 1873. Deus o abençoou. O músico e hinista Philip Paul Bliss trabalhou com ele nas suas campanhas evangelísticas até a morte trágica do hinista. Depois, cooperaram no seu ministério outros dois cantores e hinistas: James McGranahan e George Coles Stebbins. Milhares de pessoas aceitaram a Cristo através destas campanhas. O major Whitlle foi autor de vários poemas e de muitos hinos que ele assinava com o pseudônimo “El Nathan”, Um bom número apareceu em hinários brasileiros, e quinze no Cantor Cristão. Estes hinos foram vivenciados na vida consagrada do major Whitlle. Major Whittle faleceu no dia 4 de março de 1901, em Northfield no seu estado natal, depois duma vida frutífera de serviço ao seu Senhor.

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_370.htm, que cita Reynolds, William J., Companion to Baptist Hymnal, Nashivile, TN, Broadman Press, 1976, p. 269.

História do hino 31- Lugar para Cristo


A autora, Emily Elizabeth Steele Elliott, escreveu este hino de oração ao Deus-Filho para as crianças e o coro da sua igreja em 1864. Baseou-o em Lucas 2:7 “E deu à luz a seu filho primogênito, e envolveu-o em panos, e deitou-o numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na estalagem.”… Nestas estrofes a senhora Elliott apresenta os tremendos contrastes que Cristo experimentou na sua vinda ao mundo:
Est. 1: Do Seu reino de luz, Cristo veio ao mundo tão vil com um presépio por beco.
Est. 2: Veio da alegria nos céus para a cruz do Calvário.
Est. 3: Veio em amor salvar-nos: aqui provou o fel, a morte cruel.
Est. 4: Aqui o contraste é o oposto: por causa dEle, ganharei um lugar no céu que Ele deixou por mim.
Estribilho: Que convite: “Vem, Jesus, habitar comigo, Em minha alma há lugar; ó vem já! Vem Jesus habitar comigo, Em minha alma há lugar; ó vem já!”. Você já fez este convite a Cristo? Senão faça-o agora!

 Fonte: Cristão, Hinário para o Culto – Música. História. 2 Música sacra- Batista. P. 98, Rio de Janeiro JUERP, 2001.

DEVOCIONAL PARA HOJE 25/10/2012


VERSÍCULO:
   Não deixemos de reunir-nos como igreja, segundo o costume de alguns, mas procuremos encorajar-nos uns aos outros, ainda mais quando vocês vêem que se aproxima o Dia.-- Hebreus 10:25

PENSAMENTO:
   Para a maioria das pessoas, “ir à igreja” não é um atrativo. Mas, isso não deve nos surpreender. Fazer algo como um ato de disciplina não é muito popular. Fazer algo para os outros não é visto como algo necessário. A mensagem do Espírito Santo, no entanto, lembra-nos que precisamos estar com o povo de Deus porque eles precisam de nós – para encorajá-los e motivá-los. De fato, eu acho que o Senhor preferiria enxergar o culto como “sendo” igreja ao invés de “indo” à igreja.

ORAÇÃO:
   Pai, por favor, abençoe o grupo de cristãos com quem me reúno semanalmente. Abençoe-os através das minhas palavras, atitude e influência quando nos juntarmos para honrá-Lo e encorajar uns aos outros. Obrigado por me dar pessoas com quem posso compartilhar minha jornada cristã. Em nome de Jesus. Amém. 

http://www.iluminalma.com/dph/4/1025.html

24 de out de 2012

Pérolas Diárias 24 de Outubro


"Pedro entristeceu-se por ele lhe ter dito, pela terceira vez: Tu me amas? E respondeu-lhe: Senhor, tu sabes todas as cousas, tu sabes que eu te amo." João 21.17
Se você é um daqueles que têm de reconhecer e confessar: "Senhor, meu discipulado naufragou, eu fracassei miseravelmente", então você chegou ao ponto de ser chamado para o discipulado interior. O Senhor ressurreto está bem perto de você. Ele pode lhe dar um ministério bem claro e concreto antes de chamá-lo para O seguir. Depois da tripla afirmação de Pedro: "Senhor,... tu sabes que que eu te amo", o Senhor Jesus diz três vezes:"Apascenta os meus cordeiros... Pastoreia as minhas ovelhas... Apascenta as minhas ovelhas." Você, "Pedro" naufragado, que ama a Jesus: Ele tem um novo e concreto encargo para você: apascentar Seus cordeiros, Suas ovelhas! Juntos, procuremos as ovelhas perdidas, que "não são deste aprisco", e sirvamos ao Senhor com toda nossa prontidão. O encargo do Senhor "apascenta as minhas ovelhas" é uma mensagem de esperança para os desqualificados, para aqueles que desistem porque fracassaram, mas que amam a Jesus de verdade!

Fonte: http://www.chamada.com.br/perolas/?mes=Outubro&dia=24

História do hino 82 – O Gólgota


Através de hinos e poesias, Cecil [autora do hino] procurava ensinar as grandes verdades do Credo Apostólico às crianças na sua classe da Escola Dominical. Este hino procurava fazer viver o quarto artigo: “Sofreu sob Pôncio Pilatos, foi crucificado, morto e enterrado”. Foi escrito ao lado do leito de uma menina muito doente. Recuperando a saúde a menina reivindicava o hino como seu. Indo a cidade de Derry, na Irlanda, Cecil passava por um morto, perto de sua casa, que ela imaginava ser como o Gólgota. Por isso ela usou as palavras “o monte verde”. A senhora Alexander soube exprimir bem o ensino bíblico “Mas ele foi ferido por causa das nossas transgressões, e moído por causa das nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados.” Is 53:5, e qual deve ser nossa resposta a tão grande amor! 

Fonte: Cristão, Hinário para o Culto – Música. História. 2 Música sacra- Batista. P. 109, Rio de Janeiro JUERP, 2001.

DEVOCIONAL PARA HOJE 24/10/2012


VERSÍCULO:

   Corrige-me, Senhor, mas somente com justiça, não com ira, para que não me reduzas a nada. -- Jeremias 10:24



PENSAMENTO:
   Eu gosto de um pedido que um amigo meu faz ao Senhor: “Humilhe-me gentilmente, Pai”. A transformação é trabalho árduo e exige ainda mais paciência de Deus do que de nós. Nós agradecemos a Deus pela sua graça que nos permite admitir nosso pecado e mesmo assim entrar na Sua santa presença. Que bom que Ele não nos trata como merecemos ser tratados, mas como precisamos ser tratados (Salmo 103).



ORAÇÃO:
   Querido Deus, eu peco. Não gosto do fato de que eu peco, mas às vezes eu acabo sucumbindo às minhas fraquezas. Por favor, corrija-me e coloque-me no caminho da justiça. O meu desejo é honrá-lo, então, por favor, tire do meu coração a duplicidade, o engano e a fraqueza espiritual. Nutra-me em santidade. Mude-me para ser mais como Cristo o Senhor. Em nome de Jesus. Amém. 


http://www.iluminalma.com/dph/4/1024.html

19º Distintivo Batista


19º DISTINTIVO – PRÁTICA ECLESIÁSTICA
A DISCIPLINA ECLESIÁSTICA
Conceito Teológico
A igreja local tem o dever de se manter pura através da prática da disciplina eclesiástica (I Co 5:1-8). A disciplina deve ser aplicada a membros que caiam tanto em erro doutrinário quanto em qualquer outro pecado. Ela deve ser praticada em espírito de brandura (Gl 6:1), com provas concretas na forma de duas ou três testemunhas, especialmente no caso de pastores (I Tm 5:19), e com as devidas oportunidades dadas para o membro se arrepender (Mt 18:15-18; Tt 3:10). Na Bíblia, a disciplina inclui a recusa da comunhão com o cristão desobediente (I Co 5:9-11; II Ts 3:14-15) ou até a excomunhão do rol de membros (Mt 18:15-18; I Co 5:3-5; I Tm 1:20). A disciplina eclesiástica deve sempre ser praticada quando um membro se mostrar intransigente em algum erro doutrinário ou moral. Embora não haja uma lista de pecados merecedores de disciplina, a Bíblia condena, entre outros, tais pecados como sexo ilícito – inclusive o homossexualismo, adultério, prostituição e fornicação – a provocação de discórdias, dissensões e facções, a bebedice, a glutonaria, a mentira, a fofoca e a falta de freqüência aos cultos (Rm 1:18-27; I Ts 4:3-8; Mt 5:27-28; Gl 5:19-21; Cl 3:5-9; Hb 10:25).
História
A prática da disciplina eclesiástica depende em grande parte do modelo eclesiástico que uma igreja adota. Igrejas que adotam o modelo estatal, tais como Igreja Católica, Igreja Luterana e a Igreja Presbiteriana, acham que todos os cidadãos do país devem aderir aos dogmas oficiais da Igreja, embora entendam que nem todos serão cristãos de fato. Consequentemente, tais igrejas historicamente não têm tolerado divergências de doutrinas, usando “o braço do poder temporal” (o governo) para “disciplinar” os hereges. Assim, todas estas igrejas perseguiram os anabatistas, batistas e outros grupos divergentes. Igrejas que adotam o modelo livre, tais como anabatistas, batistas e congregacionalistas, entendem que a igreja é uma associação voluntária de pessoas que professam a fé em Jesus como Salvador e que seguem a mesma fé, e ordem. Consequentemente, a igreja não persegue aqueles que pecam ou divergem da fé, mas também não tolera condutas e crenças erradas dentro do seu rol de membros. Assim, uma característica destas igrejas sempre tem sido a disciplina eclesiástica.
Divergências Denominacionais e/ou Herética
·                Algumas igrejas toleram descrença e condutas pecaminosas dentro de seu rol de membros.
·                Muitas igrejas evangélicas toleram o pecado e raramente praticam a disciplina eclesiástica.
·                Muitas igrejas não respeitam a disciplina de outras igrejas, aceitando como membros pessoas que foram disciplinadas biblicamente.
·                A tolerância de condutas que a Bíblia denomina pecaminosas, tais como o homossexualismo, o lesbianismo, o adultério etc., estão se tornando uma norma cultural.

23 de out de 2012

Pérolas Diárias 23 de Outubro

"Mas ao clarear da madrugada, estava Jesus na praia; todavia os discípulos não reconheceram que era ele. Perguntou-lhes Jesus: Filhos, tendes aí alguma cousa de comer? Responderam-lhe: Não." João 21.4-5
Um sinal característico daqueles que estão no discipulado apenas exterior é que se deixam determinar por coisas e circunstâncias exteriores. Por isso seu cristianismo é feito de altos e baixos, às vezes, estão "nas nuvens", outras vezes estão tristes de morrer. Embora Pedro estivesse fisicamente muito próximo do Senhor no primeiro discipulado, em seu coração ele era estranho a Jesus. Ele não tinha uma ligação interior verdadeira com o Senhor. Um dia o Senhor até teve que chamá-lo de "Satanás". Porque faltava esta ligação do coração, mais tarde Pedro caiu tão profundamente que até negou ao Senhor. Suas oscilações e derrotas, o poder do inimigo em sua vida, têm sua origem no discipulado exterior. Você é um daqueles que tem que responder com um "não" à pergunta do Senhor se você tem algo para comer? Ao seu redor há pessoas que têm fome por salvação, pela vida eterna e pela paz com Deus. Você não pode lhes dar nada de comer por ter naufragado em seu discipulado exterior? Neste momento, o Senhor vem ao seu encontro a fim de o conclamar para um discipulado interior, frutífero!

Herói Improvável


John Harper [um pastor batista de Glasgow, na Escócia] havia passado três meses ministrando na Igreja Moody, em Chicago, e durante esse tempo a igreja havia experimentado “um dos reavivamentos mais fantásticos de sua história”. Entretanto, não fazia muito tempo que ele estava de volta à Grã-Bretanha quando lhe pediram para voltar e continuar seu ministério. Harper tomou rapidamente as providências para ele mesmo e sua filhinha de seis anos, Nana, viajarem de volta à América, a bordo do Lusitânia, mas decidiram atrasar sua partida por uma semana para que pudessem viajar em um novo navio que estava para fazer sua viagem de estréia: o Titanic.

Titanic bateu em um iceberg às 23h40m do dia 11 de abril de 1912. Quando foi dado o comando para os passageiros desocuparem suas cabines, Harper enrolou sua filha em um cobertor, disse-lhe que ela o veria novamente um dia, e a entregou a um dos homens da tripulação. Depois de observar que ela estava a salvo em um dos barcos salva-vidas, ele tirou seu colete salva-vidas e o deu a um dos outros passageiros. Um sobrevivente se lembrou distintamente de ouvi-lo gritar: “Mulheres, crianças e os que não são salvos, entrem nos barcos salva-vidas!” Depois, Harper correu pelo convés implorando às pessoas que se entregassem a Cristo, e, com o navio afundando, ele solicitou à orquestra do Titanic para tocar “Mais perto quero estar”. Ajuntando as pessoas a seu redor, ele então se ajoelhou e, “com alegria santa em seu rosto”, ergueu os braços em oração. À medida que o navio começou a adernar, ele pulou para dentro das águas geladas e nadou freneticamente para perto de todos a quem conseguiu alcançar, suplicando-lhes que se voltassem para o Senhor Jesus e fossem salvos. Finalmente, quando a hipotermia o imobilizou, John Harper afundou nas águas e passou para a presença do Senhor Jesus. Ele tinha 39 anos.

À medida que o navio começou a adernar, ele pulou para dentro das águas geladas e nadou freneticamente para perto de todos a quem conseguiu alcançar, suplicando-lhes que se voltassem para o Senhor Jesus e fossem salvos.
Quatro anos mais tarde, um jovem escocês chamado Aguilla Webb levantou-se em uma reunião em Hamilton, no Canadá, e deu o seguinte testemunho:
Sou um sobrevivente do Titanic.Quando eu estava boiando sozinho, segurando-me em um pedaço do mastro do navio naquela noite horrível, as ondas trouxeram para perto de mim o senhor John Harper, de Glasgow, que também estava se segurando em um pedaço dos destroços. “Amigo”, disse ele, “você é salvo?” “Não”, eu respondi, “não sou”. E ele continuou: “Creia no Senhor Jesus Cristo e você será salvo”. As ondas o carregaram para longe; mas, por mais estranho que possa parecer, as ondas o trouxeram de volta um pouco mais tarde, e ele disse: “E agora, você está salvo?” “Não”, eu disse, “não posso dizer honestamente que esteja”. Ele disse novamente: “Creia no Senhor Jesus Cristo e você será salvo”. Alguns segundos depois ele afundou; e ali, sozinho naquela noite, e com duas milhas de água abaixo de mim, eu cri. Eu sou o último convertido de John Harper.[1]
Em um tributo a Harper, que foi publicado em 1912 sob o título “Os Três Temas de um Herói”, William Andrew, de Glasgow, apontou que os três temas da pregação de Harper haviam sido “A Cruz de Cristo, a Maravilhosa Graça de Deus Para o Homem, e a Vinda Iminente de Nosso Senhor Jesus Cristo”. (Paul Wilkinson - The Berean Call -http://www.chamada.com.br)

Nota:

1. George Harper, “My Brother As I Knew Him”, [Meu Irmão Como o Conheci] em Moody Adams, The Titanic’s Last Hero (O Último Herói do Titanic) (Belfast: Ambassador, 1998), 55, citado em Wilkinson, “You Shall Be My Witnesses” [E Sereis Minhas Testemunhas].

Fonte: http://www.chamada.com.br/mensagens/heroi.html

Charles Wesley


É certo que o talento não é hereditário, mas é fato que sempre existiram vários casos de irmãos que se tornaram famosos graças aos dons incomuns nas áreas mais variadas. Eles brilham na mesma época e até em profissões semelhantes. A dupla de irmãos, John e Charles Wesley [27, 101 [3ª estrofe] , 326], fundou o metodismo no século 18. Aquela semente deu frutos – atualmente (2002) os metodistas formam uma comunidade de, aproximadamente, 80 milhões de pessoas em todo o mundo, embora a maior parcela concentre-se nos Estados Unidos. John Wesley tornou-se o mais famoso dos pregadores por falar e escrever com rara eloqüência. No entanto, Charles Wesley (1707-1788), seu irmão mais novo, não apenas deu suporte àquele ministério, apoiando e criticando John quando necessário, como também fez das partituras seu principal púlpito. Charles Wesley é considerado o grande compositor do reavivamento wesleyano: compôs mais de seis mil hinos, que eram cantados em cruzadas evangelísticas. Muitos deles causaram estranheza por terem influência dos ritmos populares, comuns nas tavernas e casas de ópera da Inglaterra.  Não foi à toa que, certa vez, alguém escreveu que, se George Whitefield ficou conhecido como o orador do metodismo, e John Wesley seu organizador, podia-se afirmar que Charles Wesley foi seu poeta.
  Vida o obra – O poeta Charles nasceu em 18 de dezembro de 1707, na cidade de Epworth, no condado de Lincolnshire, na Inglaterra. Filho de Samuel, reitor da Faculdade de Epworth, e de Susanna Wesley. Tinha apenas um ano e três meses de vida quando o prédio da reitoria da faculdade foi totalmente destruído pelo fogo. Charles, assim como John, foi resgatado do verdadeiro inferno em que se transformou o edifício tomado pelas chamas. Na adolescência, enquanto John estudava na Escola de Charterhouse, Charles foi estudar na Escola de Westminster, mesmo colégio do irmão Samuel. Lá, provou ser um excelente aluno. Criado sob rígida educação familiar evangélica, Charles fora ensinado a defender a justiça e, por isso, logo se envolveu em diversas causas na escola.
  Não houve, entretanto, alguém que pudesse duvidar do impacto da experiência de sua conversão, em 1738, aos 31 anos. Sua vida espiritual logo se voltou para a compaixão pelos homens perdidos. Assim, pregou de improviso pela primeira vez na Igreja de Saint Antholin, em Bristol. No ano seguinte, tornou-se publicamente defensor do ministério do grande pregador George Whitefield, que, embora tivesse grande impacto, era alvo de críticas ferozes em Londres e em Bristol. Charles Wesley juntou-se a Whitefield quando este falou a uma enorme multidão na cidade de Blackheath sob o título: “O que Satanás tem ganhado ao manter você fora das igrejas?” Charles Wesley repetiria o feito ao lado de seu irmão John, à frente de multidões nas vilas da região inglesa de Essex. “Sua pregação era como um trovão e um relâmpago”, diziam os primeiros metodistas a respeito da retórica de Charles Wesley. Mas sua força não estava apenas na pregação: sua música tornou-se, de fato, sua melhor ‘retórica’. Em 1739, a primeira seleção de seus hinos foi publicada e tornou-se logo muito popular.
  Seus hinos – Os hinos de Charles possuíam uma mensagem fundamentada na piedade cristã, própria para as reuniões devocionais e também para os grandes agrupamentos ao ar livre. Eles destacavam o fervor da fé e tornavam a mensagem inesquecível. Suas composições eram inspiradas nas melodias seculares de Purcell e de Haendel e, embora destinadas a congregações, eram editadas como solos. Eram melodias populares ou adaptadas da música das óperas que abundavam na época. A contextualização da música dos hinos de Wesley chocou muitos elementos conservadores da Igreja, mas foi bem aceita pelo povo.
  Seus hinos também eram fundamentados no lema da Reforma Protestante – Sola Scriptura (Só as Escrituras) – ou seja, enfatizavam que a Bíblia é a única regra de fé do cristão. Charles Wesley também escreveu hinos para combater a concepção calvinista da predestinação, como Redenção universal, e ainda chegou a pregar um sermão intitulado Graça gratuita. Escreveu hinos para as grandes festas da igreja, como os conhecidíssimos Natal [27 do Cantor Cristão] e Ressurgiu [101 do Cantor Cristão]. Preocupou-se também com um acervo de hinos para os sacramentos da igreja, como a Santa Ceia, e com a koinonia (a comunhão cristã), à época, principal base do crescimento da Igreja Metodista.
  Paralelamente à música, Charles Wesley investiu todo o seu tempo para salvar os homens distantes de Deus. Charles, assim como seu irmão John, não deu importância nem mesmo às pressões eclesiásticas e viajou muito, especialmente para a Irlanda, a Escócia e o País de Gales. Ao lado do irmão, Charles pregou contra o consumo de bebidas alcoólicas, a guerra e a escravidão, e incentivou a medicina humanitária, a abertura de novas escolas e uma reforma penitenciária. Mesmo com a agenda tão cheia, Charles arrumou tempo para casar-se, em abril de 1749, com Sarah Gwynne. O casal se estabeleceu em Bristol, mas sempre que podia Sarah acompanhava Charles em suas excursões de pregação da Palavra. Seus contemporâneos ficavam espantados ao ver seu ministério itinerante, que também incluiu os Estados Unidos, onde, em 1760, fundou com John as primeiras missões metodistas. Naquele tempo, o metodismo era um fenômeno. 

Fonte: http://www.renovado.kit.net/charles_wesley.htm

DEVOCIONAL PARA HOJE 23/10/2012

VERSÍCULO:

   “Tudo é permitido”, mas nem tudo convém. “Tudo é permitido”, mas nem tudo edifica. Ninguém deve buscar o seu próprio bem, mas sim o dos outros. -- 1 Coríntios 10:23-24



PENSAMENTO:
   A liberdade é um presente maravilhoso! A liberdade em Cristo é maior do que qualquer outro tipo de liberdade. Deus confiou a liberdade a nós. Mas, não queremos usar a nossa liberdade para ofender a liberdade de outras pessoas. Não queremos que a nossa liberdade cause pecado em outros ou faça com que percam Cristo de vista. Então, usemos a nossa liberdade sábia e redentivamente.



ORAÇÃO:
   Precioso Deus e Todo Poderoso Pai, obrigado pelos inúmeros presentes que o Senhor tem derramado na minha vida. Quero agradecer especialmente pela minha liberdade espiritual. Capacite-me para usá-la para abençoar outros e edificá-los, em vez de trazer glória para mim mesmo. Por favor, ajude-me a enxergar outros como sua obra no mundo. Em nome de Jesus eu oro. Amém. 

http://www.iluminalma.com/dph/4/1023.html