VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

27 de nov de 2013

ESTÍMULO VINDO DE UM GALO

O Senhor usará qualquer uma das seguintes regras cristãs relacionadas ao galo:
  1. O Galo se levanta cedo e imediatamente começa sua tarefa dada por Deus — cacarejar.
  2. O Galo não se recusa a cacarejar porque ele não pode cantar como um canário; mas ele cacareja como se para ele, afinal, seu trabalho fosse o mais importante do mundo.
  3. Ele eficientemente faz o que nunca lhe é agradecido. Quem já ouviu alguém perguntar: “Você ouviu o galo cantar? Ele não tem uma voz agradável?”
  4. Ele acorda os dorminhocos. Impopular, mas sempre necessário.
  5. Ele proclama boas novas: “Um novo dia com gloriosas oportunidades e responsabilidades — amanheceu.” 
  6. Ele é seguro. Ele é persistente. Ele é um excelente anunciador.
  7. Ele nunca reclama por ter de fazer o mesmo serviço comum e ele não se preocupa com recompensa ou reconhecimento que deveria receber.

INDESTRUTÍVEL

A Palavra de Deus não pode ser destruída mais do que Deus pode ser destruído. E a Bíblia é a Palavra de Deus. Uma das grandes tragédias de hoje é o fato que poucas pessoas estão se beneficiando das inesgotáveis riquezas e poder da Bíblia. Anos atrás D.L.Moody disse:“Eu posso obter uma centena de homens que podem ensinar grego e Latim bem. Onde eu encontrosomente um que pode ensinar bem a Bíblia?”
O Dr.Griffith Thomas costumava citar a confiante palavra que Paulo falou ao carcereiro de Filipos que estava pronto a cometer suicídios, supondo que os prisioneiros tivessem fugido quando a porta da prisão foi aberta por um grande terremoto. Ele geralmente dizia:“Depois dos ataques dos críticos sobre a Bíblia, pode-se bem imaginar os livros da Bíblia dizendo para o crente desesperado,“Não te faças nenhum mal que todos aqui estamos”.

AUTO — AVALIAÇÃO

II Cor.13:5
Introdução: Os últimos dias do velho ano são para balanço. Nós refletimos sobre o ano que passou, seus ganhos e perdas. Em todo livro caixa há dois lados, um para débito e outro para crédito. Vamos comparar e avaliar:
  1. Nossa devoção em relação à cruz de Cristo. (Gal.6:14).
  2. Nosso amor em relação à Pessoa de Cristo. (João 21:15).
  3. Nossa paz em relação ao triunfo de Cristo. (João 16:33).
  4. Nossa humildade em relação ao exemplo de Cristo. (João 13:15,16).
  5. Nossa condição em relação à plenitude de Cristo. (Col.1:19).
  6. Nosso sucesso em relação às promessas de Cristo. (Mt.4:19)
  7. Nossa atitude em relação à volta de Cristo. (Apoc.22:20).


Horace A.Larsen

OS ELEMENTOS DA CEIA

INTRODUÇÃO:
1.            Esta é uma das duas ordenanças confiadas à igreja local (assim como 2 oficiais: pastor e diáconos).
2.    Jesus disse:“Edificarei a minha igreja”, e esta igreja, hoje representada por inúmeras congregações locais, recebeu as 2 ordenanças — e unicamente esta as RECEBEU.
3.     Assim, escolas, missões, hospitais etc. não tem autorização divina para administrar a Ceia do Senhor.
4.            Paulo refere-se à Ceia na igreja — I Cor.11:18 (Atos 20:7 ss. cf. v.11). Em casa se faz outra coisa (v.22, 34a.), e isto é diferente do que se faz na congregação (v.33, 34b).
5.            Jesus ministrou a Ceia, não escolheu alguém “qualificado”; Ele, o Sumo Pastor. Na igreja o Pastor ministra a Ceia (Paulo ministrou em Atos 20:11), ou alguém autorizado pela assembléia local (esta é soberana).
6.            Estabelecido o local onde é servida a Ceia e quem a serve, vamos aos elementos da mesma.
I.            PÃO DE FARINHA
A.          Na páscoa era usado o MATZA (Hebraico: Matstah), sem fermento.
B.           No N.T. temos dois termos gregos:
1.            AZUMOS — I Cor.5:7-8; Atos 12:3.
2.            ARTOS — Marcos 6:36; 8:4; II Tes.3:8,12; II Cor.9:10; pão de alimento cotidiano.
C.           Passagens onde aparece ARTOS referentes a Ceia: Mt.26:26; Marcos 14:22; Luc.22:19; I Cor.11.23,26-28.
CONSIDERAÇÕES:
1.            Aparentemente não houve instrução especial ao uso de pães ázimos, pois o apóstolo Paulo usou ARTOS.
2.            Se há dúvida é melhor usar o MATZA (ázimo); “o que não é de fé é pecado.”
3.            A Ceia é uma doutrina Neo-Testamentária, por isso talvez o levedo não foi considerado como essencial na emblemática. 
NOTE: Não disse que ázimos não devem ser usados, mas sim que Paulo não usou. Por isso em caso de dúvida, use ázimos.
II.        O SANGUE DA VIDEIRA Cf. João 15:1, Cristo é a videira e o sangue da videira está na uva viva, i.e. no suco da uva.
A.          Referências de Cristo com relação específica a Ceia:
1.             Mateus 26:29 — (Fruto da Videira, ou suco de uva)
2.             Marcos 14:25
3.             Lucas 22:18
B.           Dois tipos de vinho no V.T.
1.            O vinho ruim (Yayin) — Deut.32:33; Oséias 7:5; Prov.20:1, 23:31.
2.            O vinho bom (Tirosh) — Isa.55:1; Zac.9:7; Gen.27:28; Neemias 10:39.
3.            Ilustr.: Vinho bom, Lucas 5:37-38 (cf.39).
·               Odres velhos retêm fermento em suas paredes que absorvem o oxigênio, este entra em contato com o glúten e transforma o açúcar em fermento — assim fermentando o suco, e conseqüentemente estourando os odres.
·               Quanto a resistência ambos tem a mesma, só que o novo não possui os resíduos prejudiciais.
·               Em Mat.9:17, temos a solução para conservar o vinho novo, ou seja não fermentado, desta forma não arrebentando o odre e assim mantendo ambos.
CONSIDERAÇÕES:
1.             Este é o que Jesus se referiu nos 3 evangelhos; o fruto da videira.
2.            O vinho bom (Tirosh) era apresentado:
a.            Como oferenda no altar — Num.18:12; tudo natural e fermento não era permitido (Lev.2:11).
b.            Era considerado como bênção, conforto etc. — Gen.27:28; Deut.11:14; Isa.45:8 (cf. Juízes 9:13); Joel 3:18.
3.            O vinho ruim (Yayin):
a.            Causa intoxicação.
b.            Associado com violência e mal; Prov.4:17; 23:29-30.
c.            Associado com destruição e veneno; Prov.23:31 etc..
d.            Emblema de juízo e ruína eterna; Salmos 60:3, 75:8; Isa.51:17, 22; Jer.25:15.
4.            Dado científico: “Álcool não é encontrado em nada com vida, e não é um processo de vida”.
5.            O fruto da videira representa o sangue de Jesus. Seu sangue representa sua morte, e esta nos deu vida. O suco fermentado não simboliza vida.
6.            Se não deve haver fermento no pão, muito menos no vinho, símbolo daquilo que realmente limpa nossos pecados e é a causa meritória de nossa salvação.
·               OBS.: Sangue com fermento era rejeitado por Deus — Ex.24:25 em contraste veja Lev.2:13.
7.            Jesus rejeitou vinho fermentado, Marcos 15:23.
8.            Paulo não emprega o termo vinho a exemplo de Cristo — I Cor.10:15; 11:25.
9.            Resposta no primeiro livro para aqueles que dizem que só há referência a vinho fermentado na Bíblia — Gen.40:11 (COMPARE com o vinho novo nos odres).
10.        Poderíamos citar outras razões sociais para abstêmio do vinho como:
a.            Aparência do mal em casa ou na compra.
b.            Efeitos físicos colaterais; tentação aos filhos.
c.            Testemunhais.
CONCLUSÃO FINAL: Pão e suco de uva constituem os elementos da Ceia do Senhor. E por esta razão nossa igreja adotará tal prática. É razoável salientar que somente participam da Ceia aqueles que são nascidos de novo e biblicamente batizados.
Pr. Valdir Silveira

Leitura Cronológica Anual da Bíblia (Mês 8, dia 16)

Jeremias 37-39


Jeremias 37

 (1) E ZEDEQUIAS, filho de Josias, a quem Nabucodonosor, rei de Babilônia, constituiu rei na terra de Judá, reinou em lugar de Conias, filho de Jeoiaquim. (2) Mas nem ele, nem os seus servos, nem o povo da terra deram ouvidos às palavras do SENHOR que falou pelo ministério de Jeremias, o profeta. (3) Contudo mandou o rei Zedequias a Jucal, filho de Selemias, e a Sofonias, filho de Maaséias, o sacerdote, ao profeta Jeremias, para lhe dizer: Roga agora por nós ao SENHOR nosso Deus. (4) E entrava e saía Jeremias entre o povo, porque não o tinham posto na prisão. (5) E o exército de Faraó saíra do Egito; e quando os caldeus, que tinham sitiado Jerusalém, ouviram esta notícia, retiraram-se de Jerusalém. (6) Então veio a Jeremias, o profeta, a palavra do SENHOR, dizendo: (7) Assim diz o SENHOR, Deus de Israel: Assim direis ao rei de Judá, que vos enviou a mim para me consultar: Eis que o exército de Faraó, que saiu em vosso socorro, voltará para a sua terra no Egito. (8) E voltarão os caldeus, e pelejarão contra esta cidade, e a tomarão, e a queimarão a fogo. (9) Assim diz o SENHOR: Não enganeis as vossas almas, dizendo: Sem dúvida se retirarão os caldeus de nós, pois não se retirarão. (10) Porque ainda que ferísseis a todo o exército dos caldeus, que peleja contra vós, e só ficassem deles homens feridos, cada um levantar-se-ia na sua tenda, e queimaria a fogo esta cidade. (11) E sucedeu que, subindo de Jerusalém o exército dos caldeus, por causa do exército de Faraó, (12) Saiu Jeremias de Jerusalém, a fim de ir à terra de Benjamim, para dali se separar no meio do povo. (13) Mas, estando ele à porta de Benjamim, achava-se ali um capitão da guarda, cujo nome era Jerias, filho de Selemias, filho de Hananias, o qual prendeu a Jeremias, o profeta, dizendo: Tu foges para os caldeus. (14) E Jeremias disse: Isso é falso, não fujo para os caldeus. Mas ele não lhe deu ouvidos; e assim Jerias prendeu a Jeremias, e o levou aos príncipes. (15) E os príncipes se iraram muito contra Jeremias, e o feriram; e puseram-no na prisão, na casa de Jônatas, o escrivão; porque a tinham transformado em cárcere. (16) Entrando, pois, Jeremias nas celas do calabouço, ali ficou muitos dias. (17) E mandou o rei Zedequias soltá-lo; e o rei lhe perguntou em sua casa, em segredo: Há porventura alguma palavra do SENHOR? E disse Jeremias: Há. E disse ainda: Na mão do rei de Babilônia serás entregue. (18) Disse mais Jeremias ao rei Zedequias: Em que tenho pecado contra ti, e contra os teus servos, e contra este povo, para que me pusésseis na prisão? (19) Onde estão agora os vossos profetas, que vos profetizavam, dizendo: O rei de Babilônia não virá contra vós nem contra esta terra? (20) Ora, pois, ouve agora, ó rei meu senhor: Seja aceita agora a minha súplica diante de ti, e não me deixes tornar à casa de Jônatas, o escriba, para que eu não venha a morrer ali. (21) Então ordenou o rei Zedequias que pusessem a Jeremias no átrio da guarda; e deram-lhe um pão cada dia, da rua dos padeiros, até que se acabou todo o pão da cidade; assim ficou Jeremias no átrio da guarda.

Jeremias 38

 (1) OUVIRAM, pois, Sefatias, filho de Matã, e Gedalias, filho de Pasur, e Jucal, filho de Selemias, e Pasur, filho de Malquias, as palavras que anunciava Jeremias a todo o povo, dizendo: (2) Assim diz o SENHOR: O que ficar nesta cidade morrerá à espada, de fome e de pestilência; mas o que sair aos caldeus viverá; porque a sua alma lhe será por despojo, e viverá. (3) Assim diz o SENHOR: Esta cidade infalivelmente será entregue na mão do exército do rei de Babilônia, e ele a tomará. (4) E disseram os príncipes ao rei: Morra este homem, visto que ele assim enfraquece as mãos dos homens de guerra que restam nesta cidade, e as mãos de todo o povo, dizendo-lhes tais palavras; porque este homem não busca a paz para este povo, porém o mal. (5) E disse o rei Zedequias: Eis que ele está na vossa mão; porque o rei nada pode fazer contra vós. (6) Então tomaram a Jeremias, e o lançaram na cisterna de Malquias, filho do rei, que estava no átrio da guarda; e desceram a Jeremias com cordas; mas na cisterna não havia água, senão lama; e atolou-se Jeremias na lama. (7) E, ouvindo Ebede-Meleque, o etíope, um eunuco que então estava na casa do rei, que tinham posto a Jeremias na cisterna (estava, porém, o rei assentado à porta de Benjamim), (8) Logo Ebede-Meleque saiu da casa do rei, e falou ao rei, dizendo: (9) Ó rei, senhor meu, estes homens agiram mal em tudo quanto fizeram a Jeremias, o profeta, lançando-o na cisterna; de certo morrerá de fome no lugar onde se acha, pois não há mais pão na cidade. (10) Então deu ordem o rei a Ebede-Meleque, o etíope, dizendo: Toma contigo daqui trinta homens, e tira a Jeremias, o profeta, da cisterna, antes que morra. (11) E tomou Ebede-Meleque os homens consigo, e foi à casa do rei, por debaixo da tesouraria, e tomou dali uns trapos velhos e rotos, e roupas velhas, e desceu-os a Jeremias na cisterna por meio de cordas. (12) E disse Ebede-Meleque, o etíope, a Jeremias: Põe agora estes trapos velhos e rotos, já apodrecidos, nas axilas, calçando as cordas. E Jeremias assim o fez. (13) E puxaram a Jeremias com as cordas, e o alçaram da cisterna; e ficou Jeremias no átrio da guarda. (14) Então o rei Zedequias mandou trazer à sua presença Jeremias, o profeta, à terceira entrada da casa do SENHOR; e disse o rei a Jeremias: Pergunto-te uma coisa, não me encubras nada. (15) E disse Jeremias a Zedequias: Se eu te declarar, porventura não me matarás? E se eu te aconselhar, não me ouvirás? (16) Então jurou o rei Zedequias a Jeremias, em segredo, dizendo: Vive o SENHOR, que nos fez esta alma, que não te matarei nem te entregarei na mão destes homens que procuram a tua morte. (17) Então Jeremias disse a Zedequias: Assim diz o SENHOR, Deus dos Exércitos, Deus de Israel: Se voluntariamente saíres aos príncipes do rei de Babilônia, então viverá a tua alma, e esta cidade não se queimará a fogo, e viverás tu e a tua casa. (18) Mas, se não saíres aos príncipes do rei de Babilônia, então será entregue esta cidade na mão dos caldeus, e queimá-la-ão a fogo, e tu não escaparás da mão deles. (19) E disse o rei Zedequias a Jeremias: Receio-me dos judeus, que se passaram para os caldeus; que estes me entreguem na mão deles, e escarneçam de mim. (20) E disse Jeremias: Não te entregarão; ouve, peço-te, a voz do SENHOR, conforme a qual eu te falo; e bem te irá, e viverá a tua alma. (21) Mas, se tu não quiseres sair, esta é a palavra que me mostrou o SENHOR: (22) Eis que todas as mulheres que ficaram na casa do rei de Judá serão levadas aos príncipes do rei de Babilônia, e elas mesmas dirão: Teus pacificadores te incitaram e prevaleceram contra ti, mas agora que se atolaram os teus pés na lama, voltaram atrás. (23) Assim que a todas as tuas mulheres e a teus filhos levarão aos caldeus, e nem tu escaparás da sua mão, antes pela mão do rei de Babilônia serás preso, e esta cidade será queimada a fogo. (24) Então disse Zedequias a Jeremias: Ninguém saiba estas palavras, e não morrerás. (25) E quando os príncipes, ouvindo que falei contigo, vierem a ti, e te disserem: Declara-nos agora o que disseste ao rei e o que ele te disse, não no-lo encubras, e não te mataremos; (26) Então lhes dirás: Eu lancei a minha súplica diante do rei, que não me fizesse tornar à casa de Jônatas, para morrer ali. (27) Vindo, pois, todos os príncipes a Jeremias, e interrogando-o, declarou-lhes todas as palavras que o rei lhe havia ordenado; e calados o deixaram, porque o assunto não foi revelado. (28) E ficou Jeremias no átrio da guarda, até o dia em que Jerusalém foi tomada, e ainda ali estava quando Jerusalém foi tomada.

Jeremias 39

 (1) NO ano nono de Zedequias, rei de Judá, no décimo mês, veio Nabucodonosor, rei de Babilônia, e todo o seu exército, contra Jerusalém, e a cercaram. (2) No ano undécimo de Zedequias, no quarto mês, aos nove do mês, fez-se uma brecha na cidade. (3) Entraram nela todos os príncipes do rei de Babilônia, e pararam na porta do meio, a saber: Nergal-Sarezer, Sangar-Nebo, Sarsequim, Rabe-Saris, Nergal-Sarezer, Rabe-Mague, e todos os outros príncipes do rei de Babilônia. (4) E sucedeu que, vendo-os Zedequias, rei de Judá, e todos os homens de guerra, fugiram, saindo de noite da cidade, pelo caminho do jardim do rei, pela porta que está entre os dois muros; e seguiram pelo caminho da campina. (5) Mas o exército dos caldeus os perseguiu, e alcançou a Zedequias nas campinas de Jericó; e eles o prenderam, e fizeram-no subir a Nabucodonosor, rei de Babilônia, a Ribla, na terra de Hamate, e o rei o sentenciou. (6) E o rei de Babilônia matou em Ribla os filhos de Zedequias, diante dos seus olhos; também matou o rei de Babilônia a todos os nobres de Judá. (7) E cegou os olhos de Zedequias, e o atou com duas cadeias de bronze, para levá-lo a Babilônia. (8) E os caldeus incendiaram a casa do rei e as casas do povo, e derrubaram os muros de Jerusalém. (9) E o restante do povo, que ficou na cidade, e os desertores que se tinham passado para ele, e o restante do povo que ficou, Nebuzaradã, capitão da guarda, levou cativo para a Babilônia. (10) Porém os pobres dentre o povo, que não tinham nada, Nebuzaradã, capitão da guarda, deixou na terra de Judá; e deu-lhes vinhas e campos naquele dia. (11) Mas Nabucodonosor, rei de Babilônia, havia ordenado acerca de Jeremias, a Nebuzaradã, capitão da guarda, dizendo: (12) Toma-o, e põe sobre ele os teus olhos, e não lhe faças nenhum mal; antes como ele te disser, assim procederás com ele. (13) Por isso mandou Nebuzaradã, capitão da guarda, e Nebusazbã, Rabe-Saris, Nergal-Sarezer, Rabe-Mague, e todos os príncipes do rei de Babilônia, (14) Mandaram retirar a Jeremias do átrio da guarda, e o entregaram a Gedalias, filho de Aicão, filho de Safã, para que o levassem à casa; e ele habitou entre o povo. (15) Ora, tinha vindo a Jeremias a palavra do SENHOR, estando ele ainda encarcerado no átrio da guarda, dizendo: (16) Vai, e fala a Ebede-Meleque, o etíope, dizendo: Assim diz o SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel: Eis que eu trarei as minhas palavras sobre esta cidade para mal e não para bem; e cumprir-se-ão diante de ti naquele dia. (17) A ti, porém, eu livrarei naquele dia, diz o SENHOR, e não serás entregue na mão dos homens, a quem temes. (18) Porque certamente te livrarei, e não cairás à espada; mas a tua alma terás por despojo, porquanto confiaste em mim, diz o SENHOR.

DEVOCIONAL PARA HOJE 27/11/2013

VERSÍCULO:
   Vivei, acima de tudo, por modo digno do evangelho de Cristo, para que, ou indo ver-vos ou estando ausente, ouça, no tocante a vós outros, que estais firmes em um só espírito, como uma só alma, lutando juntos pela fé evangélica; -- Filipenses 1:27-28

PENSAMENTO:
   Vamos viver como pessoas redimidas! Vamos mostrar nosso amor e caráter nas nossas vidas diárias.  Vamos trabalhar juntos, com uma voz e espírito, fazendo um esforço vigoroso para compartilhar o Evangelho com aqueles que nunca ouviram sobre a graça de Deus no ministério de Jesus.  Quando enfrentarmos oposição, que não desanimemos nem fiquemos divididos. Ao invés disso, vamos trabalhar de mãos dadas pela causa do Evangelho.

ORAÇÃO:
   Ó SENHOR dá-nos maior união de propósito e mais coragem quando enfrentamos oposição, para que possamos mostrar ao mundo que somos Seus filhos e discípulos de Jesus.  No nome do nosso Senhor e Cristo oramos.  Amém.

http://www.iluminalma.com/dph/4/1127.html



26 de nov de 2013

O ESPÍRITO

1. A posse do Espírito — Rom.8:11
2. A direção do Espírito — Rom.8:14
3. O Testemunho do Espírito — Rom.8:16
4. As primícias do Espírito — Rom.8:23
5. A ajuda do Espírito — Rom.8:26
6. A intercessão do Espírito — Rom.8:26
7. A intenção do Espírito — Rom.8:27

CONFIRA SUA CONFIABILIDADE

Se seu carro pára quatro vezes em cinco, você o consideraria digno de confiança? Se seu relógio anda 23 horas de cada 24 horas do dia, você o consideraria digno de confiança? Se seu farmacêutico avia sua receita corretamente nove vezes entre 10, você o consideraria de confiança? Agora, aplique isto à sua freqüência na Igreja, leitura da Bíblia, vida de oração e andar cristão. Deus o consideraria digno de confiança?

FAZER MAIS

Faça mais do que existir: Viva
Faça mais do que tocar: Sinta
Faça mais do que olhar: Observe
Faça mais do que ler: Concentre-se
Faça mais do que escutar: Ouça
Faça mais do que ouvir: Entenda
Faça mais do que pensar: Pondere
Faça mais do que planejar: Aja
Faça mais do que falar: Diga algo.

CRISTO E SEU POVO

Ele desceu para que nós pudéssemos subir — João 6:38 e 14:3.
Ele se fez pobre para que nós pudéssemos ser ricos — II Cor.8:9; Tia.2:5.
Ele nasceu para que nós pudéssemos nascer de novo — João 1:17; 3:2,7.
Ele se fez servo para que nós pudéssemos ser filhos — Fil.2:7; Gal.4:6-7. Ele não tinha casa para que nós
pudéssemos ter uma morada — Mt.8:20; Jo.14:2.
Ele passou fome para que nós pudéssemos ser alimentados — Mt.4:2; Jo.6:50.
Ele passou sede para que nós pudéssemos beber as boas novas de salvação — João 19:26; Is.12:3.
Ele se fatigou para que nós pudéssemos ter descanso — João 4:6; Mt.11:29.
Ele se despiu para que nós pudéssemos ser vestidos — Mt.27:28; Ap.3:5.
Ele foi desamparado para que nós pudéssemos ser amparados — Mt.27:46; Heb.13:5.
Ele se fez triste para que nós pudéssemos estar alegres — Is.3:3; Fil4:4.
Ele foi preso para que nós pudéssemos ser livres — Mt.27:2; João 8:32-36.
Ele foi feito pecado para que nós pudéssemos ser justificados — II Cor.5:21.
Ele morreu para que nós pudéssemos viver — João 19:33; 5:24-25.
Ele descerá para que nós possamos ser arrebatados — I Tes.4:16-18.

Leitura Cronológica Anual da Bíblia (Mês 8, dia 15)

Jeremias 33-36

Jeremias 33

 (1) E VEIO a palavra do SENHOR a Jeremias, segunda vez, estando ele ainda encarcerado no pátio da guarda, dizendo: (2) Assim diz o SENHOR que faz isto, o SENHOR que forma isto, para o estabelecer; o SENHOR é o seu nome. (3) Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes. (4) Porque assim diz o SENHOR, o Deus de Israel, acerca das casas desta cidade, e das casas dos reis de Judá, que foram derrubadas com os aríetes e à espada. (5) Eles entraram a pelejar contra os caldeus, mas isso é para os encher de cadáveres de homens, que feri na minha ira e no meu furor; porquanto escondi o meu rosto desta cidade, por causa de toda a sua maldade. (6) Eis que eu trarei a ela saúde e cura, e os sararei, e lhes manifestarei abundância de paz e de verdade. (7) E removerei o cativeiro de Judá e o cativeiro de Israel, e os edificarei como ao princípio. (8) E os purificarei de toda a sua maldade com que pecaram contra mim; e perdoarei todas as suas maldades, com que pecaram e transgrediram contra mim; (9) E este lugar me servirá de nome, de gozo, de louvor, e de glória, entre todas as nações da terra, que ouvirem todo o bem que eu lhe faço; e espantar-se-ão e perturbar-se-ão por causa de todo o bem, e por causa de toda a paz que eu lhe dou. (10) Assim diz o SENHOR: Neste lugar de que vós dizeis que está desolado, e sem homem, sem animal nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém, que estão assoladas, sem homem, sem morador, sem animal, ainda se ouvirá: (11) A voz de gozo, e a voz de alegria, a voz do esposo e a voz da esposa, e a voz dos que dizem: Louvai ao SENHOR dos Exércitos, porque bom é o SENHOR, porque a sua benignidade dura para sempre; dos que trazem ofertas de ação de graças à casa do SENHOR; pois farei voltar os cativos da terra como ao princípio, diz o SENHOR. (12) Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Ainda neste lugar, que está deserto, sem homem nem animal, e em todas as suas cidades, haverá uma morada de pastores, que façam repousar aos seus rebanhos. (13) Nas cidades das montanhas, nas cidades das planícies, e nas cidades do sul, e na terra de Benjamim, e nos contornos de Jerusalém, e nas cidades de Judá, ainda passarão os rebanhos pelas mãos dos contadores, diz o SENHOR. (14) Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que cumprirei a boa palavra que falei à casa de Israel e à casa de Judá; (15) Naqueles dias e naquele tempo farei brotar a Davi um Renovo de justiça, e ele fará juízo e justiça na terra. (16) Naqueles dias Judá será salvo e Jerusalém habitará seguramente; e este é o nome com o qual Deus a chamará: O SENHOR é a nossa justiça. (17) Porque assim diz o SENHOR: Nunca faltará a Davi homem que se assente sobre o trono da casa de Israel; (18) Nem aos sacerdotes levíticos faltará homem diante de mim, que ofereça holocausto, queime oferta de alimentos e faça sacrifício todos os dias. (19) E veio a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: (20) Assim diz o SENHOR: Se puderdes invalidar a minha aliança com o dia, e a minha aliança com a noite, de tal modo que não haja dia e noite a seu tempo, (21) Também se poderá invalidar a minha aliança com Davi, meu servo, para que não tenha filho que reine no seu trono; como também com os levitas, sacerdotes, meus ministros. (22) Como não se pode contar o exército dos céus, nem medir-se a areia do mar, assim multiplicarei a descendência de Davi, meu servo, e os levitas que ministram diante de mim. (23) E veio ainda a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: (24) Porventura não tens visto o que este povo está dizendo: As duas gerações, que o SENHOR escolheu, agora as rejeitou? Assim desprezam o meu povo, como se não fora mais uma nação diante deles. (25) Assim diz o SENHOR: Se a minha aliança com o dia e com a noite não permanecer, e eu não puser as ordenanças dos céus e da terra, (26) Também rejeitarei a descendência de Jacó, e de Davi, meu servo, para que não tome da sua descendência os que dominem sobre a descendência de Abraão, Isaque, e Jacó; porque removerei o seu cativeiro, e apiedar-me-ei deles.

Jeremias 34

 (1) A PALAVRA que do SENHOR veio a Jeremias, quando Nabucodonosor, rei de Babilônia, e todo o seu exército, e todos os reinos da terra, que estavam sob o domínio da sua mão, e todos os povos, pelejavam contra Jerusalém, e contra todas as suas cidades, dizendo: (2) Assim diz o SENHOR, o Deus de Israel: Vai, e fala a Zedequias, rei de Judá, e dize-lhe: Assim diz o SENHOR: Eis que eu entrego esta cidade na mão do rei de Babilônia, o qual queimá-la-á a fogo. (3) E tu não escaparás da sua mão, antes certamente serás preso e entregue na sua mão; e teus olhos verão os olhos do rei de Babilônia, e ele te falará boca a boca, e entrarás em Babilônia. (4) Todavia ouve a palavra do SENHOR, ó Zedequias, rei de Judá; assim diz o SENHOR acerca de ti: Não morrerás à espada. (5) Em paz morrerás, e conforme as queimas para teus pais, os reis precedentes, que foram antes de ti, assim queimarão para ti, e prantear-te-ão, dizendo: Ah, SENHOR! Pois eu disse a palavra, diz o SENHOR. (6) E falou Jeremias, o profeta, a Zedequias, rei de Judá, todas estas palavras, em Jerusalém, (7) Quando o exército do rei de Babilônia pelejava contra Jerusalém, e contra todas as cidades que restavam de Judá, contra Laquis e contra Azeca; porque estas fortes cidades foram as que ficaram dentre as cidades de Judá. (8) A palavra que do SENHOR veio a Jeremias, depois que o rei Zedequias fez aliança com todo o povo que havia em Jerusalém, para lhes apregoar a liberdade; (9) Que cada um despedisse livre o seu servo, e cada um a sua serva, hebreu ou hebréia; de maneira que ninguém se fizesse servir deles, sendo judeus, seus irmãos. (10) E obedeceram todos os príncipes, e todo o povo que havia entrado na aliança, que cada um despedisse livre o seu servo, e cada um a sua serva, de maneira que não se fizessem mais servir deles; obedeceram, pois, e os soltaram, (11) Mas depois se arrependeram, e fizeram voltar os servos e as servas que haviam libertado, e os sujeitaram por servos e por servas. (12) Veio, pois, a palavra do SENHOR a Jeremias, da parte do SENHOR, dizendo: (13) Assim diz o SENHOR, Deus de Israel: Eu fiz aliança com vossos pais, no dia em que os tirei da terra do Egito, da casa da servidão, dizendo: (14) Ao fim de sete anos libertareis cada um a seu irmão hebreu, que te for vendido, e te houver servido seis anos, e despedi-lo-ás livre de ti; mas vossos pais não me ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos. (15) E vos havíeis hoje arrependido, e fizestes o que é reto aos meus olhos, apregoando liberdade cada um ao seu próximo; e fizestes diante de mim uma aliança, na casa que se chama pelo meu nome; (16) Mudastes, porém, e profanastes o meu nome, e fizestes voltar cada um ao seu servo, e cada um à sua serva, os quais já tínheis despedido libertos conforme a vontade deles; e os sujeitastes, para que se vos fizessem servos e servas. (17) Portanto assim diz o SENHOR: Vós não me ouvistes a mim, para apregoardes a liberdade, cada um ao seu irmão, e cada um ao seu próximo; pois eis que eu vos apregôo a liberdade, diz o SENHOR, para a espada, para a pestilência, e para a fome; e farei que sejais espanto a todos os reinos da terra. (18) E entregarei os homens que transgrediram a minha aliança, que não cumpriram as palavras da aliança que fizeram diante de mim, com o bezerro, que dividiram em duas partes, e passaram pelo meio das suas porções; (19) A saber, os príncipes de Judá, e os príncipes de Jerusalém, os eunucos, e os sacerdotes, e todo o povo da terra que passou por meio das porções do bezerro; (20) Entregá-los-ei, digo, na mão de seus inimigos, e na mão dos que procuram a sua morte, e os cadáveres deles servirão de alimento para as aves dos céus e para os animais da terra. (21) E até o rei Zedequias, rei de Judá, e seus príncipes entregarei na mão de seus inimigos e na mão dos que procuram a sua morte, a saber, na mão do exército do rei de Babilônia, que já se retirou de vós. (22) Eis que eu darei ordem, diz o SENHOR, e os farei voltar a esta cidade, e pelejarão contra ela, e a tomarão, e a queimarão a fogo; e as cidades de Judá porei em assolação, de sorte que ninguém habite nelas.

Jeremias 35

 (1) A PALAVRA que do SENHOR veio a Jeremias, nos dias de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá, dizendo: (2) Vai à casa dos recabitas, e fala com eles, e leva-os à casa do SENHOR, a uma das câmaras e dá-lhes vinho a beber. (3) Então tomei a Jazanias, filho de Jeremias, filho de Habazinias, e a seus irmãos, e a todos os seus filhos, e a toda a casa dos recabitas; (4) E os levei à casa do SENHOR, à câmara dos filhos de Hanã, filho de Jigdalias, homem de Deus, que estava junto à câmara dos príncipes, que ficava sobre a câmara de Maaséias, filho de Salum, guarda do vestíbulo; (5) E pus diante dos filhos da casa dos recabitas taças cheias de vinho, e copos, e disse-lhes: Bebei vinho. (6) Porém eles disseram: Não beberemos vinho, porque Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, nos ordenou, dizendo: Nunca jamais bebereis vinho, nem vós nem vossos filhos; (7) Não edificareis casa, nem semeareis semente, nem plantareis vinha, nem a possuireis; mas habitareis em tendas todos os vossos dias, para que vivais muitos dias sobre a face da terra, em que vós andais peregrinando. (8) Obedecemos, pois, à voz de Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, em tudo quanto nos ordenou; de maneira que não bebemos vinho em todos os nossos dias, nem nós, nem nossas mulheres, nem nossos filhos, nem nossas filhas; (9) Nem edificamos casas para nossa habitação; nem temos vinha, nem campo, nem semente. (10) Mas habitamos em tendas, e assim obedecemos e fazemos conforme tudo quanto nos ordenou Jonadabe, nosso pai. (11) Sucedeu, porém, que, subindo Nabucodonosor, rei de Babilônia, a esta terra, dissemos: Vinde, e vamo-nos a Jerusalém, por causa do exército dos caldeus, e por causa do exército dos sírios; e assim ficamos em Jerusalém. (12) Então veio a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: (13) Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Vai, e dize aos homens de Judá e aos moradores de Jerusalém: Porventura nunca aceitareis instrução, para ouvirdes as minhas palavras? diz o SENHOR. (14) As palavras de Jonadabe, filho de Recabe, que ordenou a seus filhos que não bebessem vinho, foram guardadas; pois não beberam até este dia, antes obedeceram o mandamento de seu pai; a mim, porém, que vos tenho falado, madrugando e falando, não me ouvistes. (15) E vos tenho enviado todos os meus servos, os profetas, madrugando, e insistindo, e dizendo: Convertei-vos, agora, cada um do seu mau caminho, e fazei boas as vossas ações, e não sigais a outros deuses para servi-los; e assim ficareis na terra que vos dei a vós e a vossos pais; porém não inclinastes o vosso ouvido, nem me obedecestes a mim. (16) Visto que os filhos de Jonadabe, filho de Recabe, guardaram o mandamento de seu pai que ele lhes ordenou, mas este povo não me obedeceu, (17) Por isso assim diz o SENHOR Deus dos Exércitos, o Deus de Israel: Eis que trarei sobre Judá, e sobre todos os moradores de Jerusalém, todo o mal que falei contra eles; pois lhes tenho falado, e não ouviram; e clamei a eles, e não responderam. (18) E à casa dos recabitas disse Jeremias: Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Pois que obedecestes ao mandamento de Jonadabe, vosso pai, e guardastes todos os seus mandamentos, e fizestes conforme tudo quanto vos ordenou, (19) Portanto assim diz o SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel: Nunca faltará homem a Jonadabe, filho de Recabe, que esteja na minha presença todos os dias.

Jeremias 36

 (1) SUCEDEU, pois, no ano quarto de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá, que veio esta palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: (2) Toma o rolo de um livro, e escreve nele todas as palavras que te tenho falado de Israel, e de Judá, e de todas as nações, desde o dia em que eu te falei, desde os dias de Josias até ao dia de hoje. (3) Porventura ouvirão os da casa de Judá todo o mal que eu intento fazer-lhes; para que cada qual se converta do seu mau caminho, e eu perdoe a sua maldade e o seu pecado. (4) Então Jeremias chamou a Baruque, filho de Nerias; e escreveu Baruque da boca de Jeremias no rolo de um livro todas as palavras do SENHOR, que ele lhe tinha falado. (5) E Jeremias deu ordem a Baruque, dizendo: Eu estou encarcerado; não posso entrar na casa do SENHOR. (6) Entra, pois, tu, e pelo rolo que escreveste da minha boca, lê as palavras do SENHOR aos ouvidos do povo, na casa do SENHOR, no dia de jejum; e também, aos ouvidos de todos os de Judá, que vêm das suas cidades, as lerás. (7) Pode ser que caia a sua súplica diante do SENHOR, e se converta cada um do seu mau caminho; porque grande é a ira e o furor que o SENHOR tem expressado contra este povo. (8) E fez Baruque, filho de Nerias, conforme tudo quanto lhe havia ordenado Jeremias, o profeta, lendo naquele livro as palavras do SENHOR, na casa do SENHOR. (9) E aconteceu, no quinto ano de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá, no mês nono, que apregoaram jejum diante do SENHOR a todo o povo em Jerusalém, como também a todo o povo que vinha das cidades de Judá a Jerusalém. (10) Leu, pois, Baruque naquele livro as palavras de Jeremias, na casa do SENHOR, na câmara de Gemarias, filho de Safã, o escriba, no átrio superior, à entrada da porta nova da casa do SENHOR, aos ouvidos de todo o povo. (11) E, ouvindo Micaías, filho de Gemarias, filho de Safã, todas as palavras do SENHOR, daquele livro, (12) Desceu à casa do rei, à câmara do escriba. E eis que todos os príncipes estavam ali assentados, a saber: Elisama, o escriba, e Delaías, filho de Semaías, e Elnatã, filho de Acbor, e Gemarias, filho de Safã, e Zedequias, filho de Hananias, e todos os outros príncipes. (13) E Micaías anunciou-lhes todas as palavras que ouvira, quando Baruque leu o livro, aos ouvidos do povo. (14) Então todos os príncipes mandaram Jeudi, filho de Netanias, filho de Selemias, filho de Cusi, a Baruque, para lhe dizer: O rolo que leste aos ouvidos do povo, toma-o na tua mão, e vem. E Baruque, filho de Nerias, tomou o rolo na sua mão, e foi ter com eles. (15) E disseram-lhe: Assenta-te agora, e lê-o aos nossos ouvidos. E leu Baruque aos ouvidos deles. (16) E sucedeu que, ouvindo eles todas aquelas palavras, voltaram-se temerosos uns para os outros, e disseram a Baruque: Sem dúvida alguma anunciaremos ao rei todas estas palavras. (17) E perguntaram a Baruque, dizendo: Declara-nos agora como escreveste da sua boca todas estas palavras. (18) E disse-lhes Baruque: Da sua boca ele me ditava todas estas palavras, e eu com tinta as escrevia no livro. (19) Então disseram os príncipes a Baruque: Vai, esconde-te, tu e Jeremias, e ninguém saiba onde estais. (20) E foram ter com o rei ao átrio: mas depositaram o rolo na câmara de Elisama, o escriba, e anunciaram aos ouvidos do rei todas aquelas palavras. (21) Então enviou o rei a Jeudi, para que tomasse o rolo; e Jeudi tomou-o da câmara de Elisama, o escriba, e leu-o aos ouvidos do rei e aos ouvidos de todos os príncipes que estavam em torno do rei. (22) Ora, o rei estava assentado na casa de inverno, pelo nono mês; e diante dele estava um braseiro aceso. (23) E sucedeu que, tendo Jeudi lido três ou quatro folhas, cortou-as com um canivete de escrivão, e lançou-as no fogo que havia no braseiro, até que todo o rolo se consumiu no fogo que estava sobre o braseiro. (24) E não temeram, nem rasgaram as suas vestes, nem o rei, nem nenhum dos seus servos que ouviram todas aquelas palavras. (25) E, posto que Elnatã, e Delaías, e Gemarias tivessem rogado ao rei que não queimasse o rolo, ele não lhes deu ouvidos. (26) Antes deu ordem o rei a Jerameel, filho de Hamaleque, e a Seraías, filho de Azriel, e a Selemias, filho de Abdeel, que prendessem a Baruque, o escrivão, e a Jeremias, o profeta; mas o SENHOR os escondera. (27) Então veio a Jeremias a palavra do SENHOR, depois que o rei queimara o rolo, com as palavras que Baruque escrevera da boca de Jeremias, dizendo: (28) Toma ainda outro rolo, e escreve nele todas aquelas palavras que estavam no primeiro rolo, que queimou Jeoiaquim, rei de Judá. (29) E a Jeoiaquim, rei de Judá, dirás: Assim diz o SENHOR: Tu queimaste este rolo, dizendo: Por que escreveste nele, dizendo: Certamente virá o rei de Babilônia, e destruirá esta terra e fará cessar nela homens e animais? (30) Portanto assim diz o SENHOR, acerca de Jeoiaquim, rei de Judá: Não terá quem se assente sobre o trono de Davi, e será lançado o seu cadáver ao calor do dia, e à geada da noite. (31) E castigarei a sua iniqüidade nele, e na sua descendência, e nos seus servos; e trarei sobre ele e sobre os moradores de Jerusalém, e sobre os homens de Judá, todo aquele mal que lhes tenho falado, e não ouviram. (32) Tomou, pois, Jeremias outro rolo, e deu-o a Baruque, filho de Nerias, o escrivão, o qual escreveu nele, da boca de Jeremias, todas as palavras do livro que Jeoiaquim, rei de Judá, tinha queimado no fogo; e ainda se lhes acrescentaram muitas palavras semelhantes.

Leitura Cronológica Anual da Bíblia (Mês 8, dia 15)

Jeremias 33-36

Jeremias 33

 (1) E VEIO a palavra do SENHOR a Jeremias, segunda vez, estando ele ainda encarcerado no pátio da guarda, dizendo: (2) Assim diz o SENHOR que faz isto, o SENHOR que forma isto, para o estabelecer; o SENHOR é o seu nome. (3) Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes. (4) Porque assim diz o SENHOR, o Deus de Israel, acerca das casas desta cidade, e das casas dos reis de Judá, que foram derrubadas com os aríetes e à espada. (5) Eles entraram a pelejar contra os caldeus, mas isso é para os encher de cadáveres de homens, que feri na minha ira e no meu furor; porquanto escondi o meu rosto desta cidade, por causa de toda a sua maldade. (6) Eis que eu trarei a ela saúde e cura, e os sararei, e lhes manifestarei abundância de paz e de verdade. (7) E removerei o cativeiro de Judá e o cativeiro de Israel, e os edificarei como ao princípio. (8) E os purificarei de toda a sua maldade com que pecaram contra mim; e perdoarei todas as suas maldades, com que pecaram e transgrediram contra mim; (9) E este lugar me servirá de nome, de gozo, de louvor, e de glória, entre todas as nações da terra, que ouvirem todo o bem que eu lhe faço; e espantar-se-ão e perturbar-se-ão por causa de todo o bem, e por causa de toda a paz que eu lhe dou. (10) Assim diz o SENHOR: Neste lugar de que vós dizeis que está desolado, e sem homem, sem animal nas cidades de Judá, e nas ruas de Jerusalém, que estão assoladas, sem homem, sem morador, sem animal, ainda se ouvirá: (11) A voz de gozo, e a voz de alegria, a voz do esposo e a voz da esposa, e a voz dos que dizem: Louvai ao SENHOR dos Exércitos, porque bom é o SENHOR, porque a sua benignidade dura para sempre; dos que trazem ofertas de ação de graças à casa do SENHOR; pois farei voltar os cativos da terra como ao princípio, diz o SENHOR. (12) Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Ainda neste lugar, que está deserto, sem homem nem animal, e em todas as suas cidades, haverá uma morada de pastores, que façam repousar aos seus rebanhos. (13) Nas cidades das montanhas, nas cidades das planícies, e nas cidades do sul, e na terra de Benjamim, e nos contornos de Jerusalém, e nas cidades de Judá, ainda passarão os rebanhos pelas mãos dos contadores, diz o SENHOR. (14) Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que cumprirei a boa palavra que falei à casa de Israel e à casa de Judá; (15) Naqueles dias e naquele tempo farei brotar a Davi um Renovo de justiça, e ele fará juízo e justiça na terra. (16) Naqueles dias Judá será salvo e Jerusalém habitará seguramente; e este é o nome com o qual Deus a chamará: O SENHOR é a nossa justiça. (17) Porque assim diz o SENHOR: Nunca faltará a Davi homem que se assente sobre o trono da casa de Israel; (18) Nem aos sacerdotes levíticos faltará homem diante de mim, que ofereça holocausto, queime oferta de alimentos e faça sacrifício todos os dias. (19) E veio a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: (20) Assim diz o SENHOR: Se puderdes invalidar a minha aliança com o dia, e a minha aliança com a noite, de tal modo que não haja dia e noite a seu tempo, (21) Também se poderá invalidar a minha aliança com Davi, meu servo, para que não tenha filho que reine no seu trono; como também com os levitas, sacerdotes, meus ministros. (22) Como não se pode contar o exército dos céus, nem medir-se a areia do mar, assim multiplicarei a descendência de Davi, meu servo, e os levitas que ministram diante de mim. (23) E veio ainda a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: (24) Porventura não tens visto o que este povo está dizendo: As duas gerações, que o SENHOR escolheu, agora as rejeitou? Assim desprezam o meu povo, como se não fora mais uma nação diante deles. (25) Assim diz o SENHOR: Se a minha aliança com o dia e com a noite não permanecer, e eu não puser as ordenanças dos céus e da terra, (26) Também rejeitarei a descendência de Jacó, e de Davi, meu servo, para que não tome da sua descendência os que dominem sobre a descendência de Abraão, Isaque, e Jacó; porque removerei o seu cativeiro, e apiedar-me-ei deles.

Jeremias 34

 (1) A PALAVRA que do SENHOR veio a Jeremias, quando Nabucodonosor, rei de Babilônia, e todo o seu exército, e todos os reinos da terra, que estavam sob o domínio da sua mão, e todos os povos, pelejavam contra Jerusalém, e contra todas as suas cidades, dizendo: (2) Assim diz o SENHOR, o Deus de Israel: Vai, e fala a Zedequias, rei de Judá, e dize-lhe: Assim diz o SENHOR: Eis que eu entrego esta cidade na mão do rei de Babilônia, o qual queimá-la-á a fogo. (3) E tu não escaparás da sua mão, antes certamente serás preso e entregue na sua mão; e teus olhos verão os olhos do rei de Babilônia, e ele te falará boca a boca, e entrarás em Babilônia. (4) Todavia ouve a palavra do SENHOR, ó Zedequias, rei de Judá; assim diz o SENHOR acerca de ti: Não morrerás à espada. (5) Em paz morrerás, e conforme as queimas para teus pais, os reis precedentes, que foram antes de ti, assim queimarão para ti, e prantear-te-ão, dizendo: Ah, SENHOR! Pois eu disse a palavra, diz o SENHOR. (6) E falou Jeremias, o profeta, a Zedequias, rei de Judá, todas estas palavras, em Jerusalém, (7) Quando o exército do rei de Babilônia pelejava contra Jerusalém, e contra todas as cidades que restavam de Judá, contra Laquis e contra Azeca; porque estas fortes cidades foram as que ficaram dentre as cidades de Judá. (8) A palavra que do SENHOR veio a Jeremias, depois que o rei Zedequias fez aliança com todo o povo que havia em Jerusalém, para lhes apregoar a liberdade; (9) Que cada um despedisse livre o seu servo, e cada um a sua serva, hebreu ou hebréia; de maneira que ninguém se fizesse servir deles, sendo judeus, seus irmãos. (10) E obedeceram todos os príncipes, e todo o povo que havia entrado na aliança, que cada um despedisse livre o seu servo, e cada um a sua serva, de maneira que não se fizessem mais servir deles; obedeceram, pois, e os soltaram, (11) Mas depois se arrependeram, e fizeram voltar os servos e as servas que haviam libertado, e os sujeitaram por servos e por servas. (12) Veio, pois, a palavra do SENHOR a Jeremias, da parte do SENHOR, dizendo: (13) Assim diz o SENHOR, Deus de Israel: Eu fiz aliança com vossos pais, no dia em que os tirei da terra do Egito, da casa da servidão, dizendo: (14) Ao fim de sete anos libertareis cada um a seu irmão hebreu, que te for vendido, e te houver servido seis anos, e despedi-lo-ás livre de ti; mas vossos pais não me ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos. (15) E vos havíeis hoje arrependido, e fizestes o que é reto aos meus olhos, apregoando liberdade cada um ao seu próximo; e fizestes diante de mim uma aliança, na casa que se chama pelo meu nome; (16) Mudastes, porém, e profanastes o meu nome, e fizestes voltar cada um ao seu servo, e cada um à sua serva, os quais já tínheis despedido libertos conforme a vontade deles; e os sujeitastes, para que se vos fizessem servos e servas. (17) Portanto assim diz o SENHOR: Vós não me ouvistes a mim, para apregoardes a liberdade, cada um ao seu irmão, e cada um ao seu próximo; pois eis que eu vos apregôo a liberdade, diz o SENHOR, para a espada, para a pestilência, e para a fome; e farei que sejais espanto a todos os reinos da terra. (18) E entregarei os homens que transgrediram a minha aliança, que não cumpriram as palavras da aliança que fizeram diante de mim, com o bezerro, que dividiram em duas partes, e passaram pelo meio das suas porções; (19) A saber, os príncipes de Judá, e os príncipes de Jerusalém, os eunucos, e os sacerdotes, e todo o povo da terra que passou por meio das porções do bezerro; (20) Entregá-los-ei, digo, na mão de seus inimigos, e na mão dos que procuram a sua morte, e os cadáveres deles servirão de alimento para as aves dos céus e para os animais da terra. (21) E até o rei Zedequias, rei de Judá, e seus príncipes entregarei na mão de seus inimigos e na mão dos que procuram a sua morte, a saber, na mão do exército do rei de Babilônia, que já se retirou de vós. (22) Eis que eu darei ordem, diz o SENHOR, e os farei voltar a esta cidade, e pelejarão contra ela, e a tomarão, e a queimarão a fogo; e as cidades de Judá porei em assolação, de sorte que ninguém habite nelas.

Jeremias 35

 (1) A PALAVRA que do SENHOR veio a Jeremias, nos dias de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá, dizendo: (2) Vai à casa dos recabitas, e fala com eles, e leva-os à casa do SENHOR, a uma das câmaras e dá-lhes vinho a beber. (3) Então tomei a Jazanias, filho de Jeremias, filho de Habazinias, e a seus irmãos, e a todos os seus filhos, e a toda a casa dos recabitas; (4) E os levei à casa do SENHOR, à câmara dos filhos de Hanã, filho de Jigdalias, homem de Deus, que estava junto à câmara dos príncipes, que ficava sobre a câmara de Maaséias, filho de Salum, guarda do vestíbulo; (5) E pus diante dos filhos da casa dos recabitas taças cheias de vinho, e copos, e disse-lhes: Bebei vinho. (6) Porém eles disseram: Não beberemos vinho, porque Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, nos ordenou, dizendo: Nunca jamais bebereis vinho, nem vós nem vossos filhos; (7) Não edificareis casa, nem semeareis semente, nem plantareis vinha, nem a possuireis; mas habitareis em tendas todos os vossos dias, para que vivais muitos dias sobre a face da terra, em que vós andais peregrinando. (8) Obedecemos, pois, à voz de Jonadabe, filho de Recabe, nosso pai, em tudo quanto nos ordenou; de maneira que não bebemos vinho em todos os nossos dias, nem nós, nem nossas mulheres, nem nossos filhos, nem nossas filhas; (9) Nem edificamos casas para nossa habitação; nem temos vinha, nem campo, nem semente. (10) Mas habitamos em tendas, e assim obedecemos e fazemos conforme tudo quanto nos ordenou Jonadabe, nosso pai. (11) Sucedeu, porém, que, subindo Nabucodonosor, rei de Babilônia, a esta terra, dissemos: Vinde, e vamo-nos a Jerusalém, por causa do exército dos caldeus, e por causa do exército dos sírios; e assim ficamos em Jerusalém. (12) Então veio a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: (13) Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Vai, e dize aos homens de Judá e aos moradores de Jerusalém: Porventura nunca aceitareis instrução, para ouvirdes as minhas palavras? diz o SENHOR. (14) As palavras de Jonadabe, filho de Recabe, que ordenou a seus filhos que não bebessem vinho, foram guardadas; pois não beberam até este dia, antes obedeceram o mandamento de seu pai; a mim, porém, que vos tenho falado, madrugando e falando, não me ouvistes. (15) E vos tenho enviado todos os meus servos, os profetas, madrugando, e insistindo, e dizendo: Convertei-vos, agora, cada um do seu mau caminho, e fazei boas as vossas ações, e não sigais a outros deuses para servi-los; e assim ficareis na terra que vos dei a vós e a vossos pais; porém não inclinastes o vosso ouvido, nem me obedecestes a mim. (16) Visto que os filhos de Jonadabe, filho de Recabe, guardaram o mandamento de seu pai que ele lhes ordenou, mas este povo não me obedeceu, (17) Por isso assim diz o SENHOR Deus dos Exércitos, o Deus de Israel: Eis que trarei sobre Judá, e sobre todos os moradores de Jerusalém, todo o mal que falei contra eles; pois lhes tenho falado, e não ouviram; e clamei a eles, e não responderam. (18) E à casa dos recabitas disse Jeremias: Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Pois que obedecestes ao mandamento de Jonadabe, vosso pai, e guardastes todos os seus mandamentos, e fizestes conforme tudo quanto vos ordenou, (19) Portanto assim diz o SENHOR dos Exércitos, Deus de Israel: Nunca faltará homem a Jonadabe, filho de Recabe, que esteja na minha presença todos os dias.

Jeremias 36

 (1) SUCEDEU, pois, no ano quarto de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá, que veio esta palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: (2) Toma o rolo de um livro, e escreve nele todas as palavras que te tenho falado de Israel, e de Judá, e de todas as nações, desde o dia em que eu te falei, desde os dias de Josias até ao dia de hoje. (3) Porventura ouvirão os da casa de Judá todo o mal que eu intento fazer-lhes; para que cada qual se converta do seu mau caminho, e eu perdoe a sua maldade e o seu pecado. (4) Então Jeremias chamou a Baruque, filho de Nerias; e escreveu Baruque da boca de Jeremias no rolo de um livro todas as palavras do SENHOR, que ele lhe tinha falado. (5) E Jeremias deu ordem a Baruque, dizendo: Eu estou encarcerado; não posso entrar na casa do SENHOR. (6) Entra, pois, tu, e pelo rolo que escreveste da minha boca, lê as palavras do SENHOR aos ouvidos do povo, na casa do SENHOR, no dia de jejum; e também, aos ouvidos de todos os de Judá, que vêm das suas cidades, as lerás. (7) Pode ser que caia a sua súplica diante do SENHOR, e se converta cada um do seu mau caminho; porque grande é a ira e o furor que o SENHOR tem expressado contra este povo. (8) E fez Baruque, filho de Nerias, conforme tudo quanto lhe havia ordenado Jeremias, o profeta, lendo naquele livro as palavras do SENHOR, na casa do SENHOR. (9) E aconteceu, no quinto ano de Jeoiaquim, filho de Josias, rei de Judá, no mês nono, que apregoaram jejum diante do SENHOR a todo o povo em Jerusalém, como também a todo o povo que vinha das cidades de Judá a Jerusalém. (10) Leu, pois, Baruque naquele livro as palavras de Jeremias, na casa do SENHOR, na câmara de Gemarias, filho de Safã, o escriba, no átrio superior, à entrada da porta nova da casa do SENHOR, aos ouvidos de todo o povo. (11) E, ouvindo Micaías, filho de Gemarias, filho de Safã, todas as palavras do SENHOR, daquele livro, (12) Desceu à casa do rei, à câmara do escriba. E eis que todos os príncipes estavam ali assentados, a saber: Elisama, o escriba, e Delaías, filho de Semaías, e Elnatã, filho de Acbor, e Gemarias, filho de Safã, e Zedequias, filho de Hananias, e todos os outros príncipes. (13) E Micaías anunciou-lhes todas as palavras que ouvira, quando Baruque leu o livro, aos ouvidos do povo. (14) Então todos os príncipes mandaram Jeudi, filho de Netanias, filho de Selemias, filho de Cusi, a Baruque, para lhe dizer: O rolo que leste aos ouvidos do povo, toma-o na tua mão, e vem. E Baruque, filho de Nerias, tomou o rolo na sua mão, e foi ter com eles. (15) E disseram-lhe: Assenta-te agora, e lê-o aos nossos ouvidos. E leu Baruque aos ouvidos deles. (16) E sucedeu que, ouvindo eles todas aquelas palavras, voltaram-se temerosos uns para os outros, e disseram a Baruque: Sem dúvida alguma anunciaremos ao rei todas estas palavras. (17) E perguntaram a Baruque, dizendo: Declara-nos agora como escreveste da sua boca todas estas palavras. (18) E disse-lhes Baruque: Da sua boca ele me ditava todas estas palavras, e eu com tinta as escrevia no livro. (19) Então disseram os príncipes a Baruque: Vai, esconde-te, tu e Jeremias, e ninguém saiba onde estais. (20) E foram ter com o rei ao átrio: mas depositaram o rolo na câmara de Elisama, o escriba, e anunciaram aos ouvidos do rei todas aquelas palavras. (21) Então enviou o rei a Jeudi, para que tomasse o rolo; e Jeudi tomou-o da câmara de Elisama, o escriba, e leu-o aos ouvidos do rei e aos ouvidos de todos os príncipes que estavam em torno do rei. (22) Ora, o rei estava assentado na casa de inverno, pelo nono mês; e diante dele estava um braseiro aceso. (23) E sucedeu que, tendo Jeudi lido três ou quatro folhas, cortou-as com um canivete de escrivão, e lançou-as no fogo que havia no braseiro, até que todo o rolo se consumiu no fogo que estava sobre o braseiro. (24) E não temeram, nem rasgaram as suas vestes, nem o rei, nem nenhum dos seus servos que ouviram todas aquelas palavras. (25) E, posto que Elnatã, e Delaías, e Gemarias tivessem rogado ao rei que não queimasse o rolo, ele não lhes deu ouvidos. (26) Antes deu ordem o rei a Jerameel, filho de Hamaleque, e a Seraías, filho de Azriel, e a Selemias, filho de Abdeel, que prendessem a Baruque, o escrivão, e a Jeremias, o profeta; mas o SENHOR os escondera. (27) Então veio a Jeremias a palavra do SENHOR, depois que o rei queimara o rolo, com as palavras que Baruque escrevera da boca de Jeremias, dizendo: (28) Toma ainda outro rolo, e escreve nele todas aquelas palavras que estavam no primeiro rolo, que queimou Jeoiaquim, rei de Judá. (29) E a Jeoiaquim, rei de Judá, dirás: Assim diz o SENHOR: Tu queimaste este rolo, dizendo: Por que escreveste nele, dizendo: Certamente virá o rei de Babilônia, e destruirá esta terra e fará cessar nela homens e animais? (30) Portanto assim diz o SENHOR, acerca de Jeoiaquim, rei de Judá: Não terá quem se assente sobre o trono de Davi, e será lançado o seu cadáver ao calor do dia, e à geada da noite. (31) E castigarei a sua iniqüidade nele, e na sua descendência, e nos seus servos; e trarei sobre ele e sobre os moradores de Jerusalém, e sobre os homens de Judá, todo aquele mal que lhes tenho falado, e não ouviram. (32) Tomou, pois, Jeremias outro rolo, e deu-o a Baruque, filho de Nerias, o escrivão, o qual escreveu nele, da boca de Jeremias, todas as palavras do livro que Jeoiaquim, rei de Judá, tinha queimado no fogo; e ainda se lhes acrescentaram muitas palavras semelhantes.

DEVOCIONAL PARA HOJE 26/11/2013

VERSÍCULO:
   Toda arma forjada contra ti não prosperará; toda língua que ousar contra ti em juízo, tu a condenarás; esta é a herança dos servos do SENHOR e o seu direito que de mim procede, diz o SENHOR.  -- Isaías 54:17

PENSAMENTO:
   Por causa da graça e poder do SENHOR Deus, seremos vitoriosos. Esta é a mensagem final de Apocalipse. É a canção de todas as Escrituras.  Esta é a segurança que temos do próprio Deus.  Nossas vidas não serão vividas em vão. Aqueles que repreendem, menosprezam e abusam do povo de Deus serão expostos e seus queridos filhos, seus santos de luz, receberão vingança e salvação do Pai que amam.

ORAÇÃO:
   Querido Deus, eu oro hoje especialmente pelos seus servos que estão compartilhando o Evangelho em lugares difíceis.  Alguns deles estão encarcerados.  Alguns estão sendo torturados. Outros estão sendo banidos.  Alguns estão sendo despedidos dos seus empregos. Por favor, fortaleça-os hoje. Livre-os das intenções do maligno. Proteja-os com sua mão poderosa e livre-os, como Daniel, da boca do leão para a Sua glória.  No nome de Jesus eu oro.  Amém.

http://www.iluminalma.com/dph/4/1126.html

24 de nov de 2013

TRISTES ESTATÍSTICAS DA IGREJA

5% das pessoas da igreja nunca existiram
10% não podem ser encontradas
20% nunca oram
25% nunca assistem aos cultos
30% nunca leem a Bíblia
40% nunca dizimam
50% nunca vão aos cultos de domingo à noite
60% nunca dão para missões
75% nunca aceitam qualquer responsabilidade
85% nunca vão aos cultos de oração
90% nunca oram em casa
95% nunca testemunham de Cristo para o perdido.

UMA LIÇÃO VINDA DA FORMIGA

As formigas são um tanto enfadonhas, mas interessantes de se olhar. O almoço do picnic estava agora terminado. Um pequeno pedaço de bolo com cobertura estava perto da beirada da mesa, esperando pela formiga. Não demorou muito até que ela aparecesse e visse o bolo. A pequena criatura rapidamente retirou-se pela perna da mesa à procura de alguma coisa. Não era uma coisa que ela procurava. Eram suas companheiras. Elas apareceram para ouvir as notícias. Logo “as companheiras” iam diretamente para o “prêmio”.
Vamos aprender uma lição com a formiga. Se nós já provamos e vimos que o Senhor é bom, vamos fazer o possível para levar outros a receber a mesma bênção.

ELES VÃO SENTIR SUA FALTA?

“Eles não vão sentir minha falta!” disse a mãe por deixar constantemente seus filhos para participar de chás e festas. O diabo não “sentiu falta” das crianças também.
“Eles não vão sentir minha falta!” disse o soldado quando ele foi (A.W.O.L.). Mas ele passou 30 dias na cadeia.
“Eles não vão sentir minha falta!” disse o homem na linha de montagem, quando ele escapuliu sem permissão. Mas aquele avião espatifou-se e matou seu irmão porque faltava uma simples peça.
“Eles não vão sentir minha falta!” disse a sentinela quando ele fugiu de seu dever. Mas o inimigo surpreendeu e massacrou seus companheiros naquela mesma noite.
“Eles não vão sentir minha falta!” disse o obreiro cristão quando não cumpriu sua responsabilidade num dia de crise, e aí ele se admirou porque seu País abriu caminho para a condescendência e desmoralização.
“Eles não vão sentir minha falta!” disse o membro da igreja quando ele perdeu os cultos; Um domingo, e de pois outro, com desculpas banais, e então ele se admirou porque há tanto tempo ele não usufruía de uma vida cristã vitoriosa.

É A SUA VEZ FILHA

Eu lhe dei vida, mas não posso vivê-la pra você.
Eu posso lhe ensinar algumas coisas, mas não posso forçá-la a aprender.
Eu posso lhe dar orientações mas não posso estar sempre lá para guiar você.
Eu posso conceder-lhe liberdade mas eu não posso me responsabilizar por ela.
Eu posso levá-a à Igreja mas não posso fazer você crer.
Eu posso lhe ensinar o certo e o errado mas não posso sempre decidir por você.
Eu posso comprar pra você roupas bonitas mas não posso torná-la atraente por dentro.
Eu posso lhe dar conselhos mas não posso aceitá-los por você.
Eu posso lhe dar amor mas não posso forçá-la a aceitar.
Eu posso lhe ensinar a ser amiga mas não posso fazer amigos pra você.
Eu posso lhe ensinar a repartir mas não posso torná-la generosa.
Eu posso lhe ensinar respeito mas não posso forçá-la a mostrar honra.
Eu posso me preocupar com seu boletim mas não posso duvidar de seus professores.
Eu posso advertí-la sobre certos amigos mas não posso escolhê-los pra você.
Eu posso ensiná-la sobre sexo mas não posso conservá-la pura.
Eu posso lhe contar sobre fatos da vida mas não posso construir sua reputação.
Eu posso lhe advertir sobre a bebida mas não posso dizer: NÃO por você.
Eu posso lhe prevenir sobre as drogas mas não posso impedi-la de usá-las.
Eu posso lhe dizer sobre sublimes metas mas não posso alcançá-las por você.
Eu posso lhe ensinar a se cuidar mas não posso ser responsável por suas ações.
Eu posso lhe ensinar bondade mas não posso forçá-la a ser graciosa.
Eu posso prevení-la sobre o pecado mas não posso construir seus princípios.
Eu posso amá-la como filha mas não posso incluí-la na família de Deus.
Eu posso orar por você mas não posso fazê-la andar com Deus.
Eu posso lhe ensinar sobre Jesus mas não posso torná-Lo seu Salvador.
Eu posso ensiná-la a obedecer mas não posso tornar Jesus seu Senhor.
Eu posso dizer a você como viver mas não posso lhe dar vida eterpna.
 
Obrigado por os ouvir,
“Papai e mamãe.”

Leitura Cronológica Anual da Bíblia (Mês 8, dia 14)

Jeremias 30-32


Jeremias 30

 (1) A PALAVRA que do SENHOR veio a Jeremias, dizendo: (2) Assim diz o SENHOR Deus de Israel: Escreve num livro todas as palavras que te tenho falado. (3) Porque eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que farei voltar do cativeiro o meu povo Israel, e de Judá, diz o SENHOR; e tornarei a trazê-los à terra que dei a seus pais, e a possuirão. (4) E estas são as palavras que disse o SENHOR, acerca de Israel e de Judá. (5) Porque assim diz o SENHOR: Ouvimos uma voz de tremor, de temor mas não de paz. (6) Perguntai, pois, e vede, se um homem pode dar à luz. Por que, pois, vejo a cada homem com as mãos sobre os lombos como a que está dando à luz? e por que se tornaram pálidos todos os rostos? (7) Ah! porque aquele dia é tão grande, que não houve outro semelhante; e é tempo de angústia para Jacó; ele, porém, será salvo dela. (8) Porque será naquele dia, diz o SENHOR dos Exércitos, que eu quebrarei o seu jugo de sobre o teu pescoço, e quebrarei os teus grilhões; e nunca mais se servirão dele os estrangeiros. (9) Mas servirão ao SENHOR, seu Deus, como também a Davi, seu rei, que lhes levantarei. (10) Não temas, pois, tu, ó meu servo Jacó, diz o SENHOR, nem te espantes, ó Israel; porque eis que te livrarei de terras de longe, e à tua descendência da terra do seu cativeiro; e Jacó voltará, e descansará, e ficará em sossego, e não haverá quem o atemorize. (11) Porque eu sou contigo, diz o SENHOR, para te salvar; porquanto darei fim a todas as nações entre as quais te espalhei; a ti, porém, não darei fim, mas castigar-te-ei com medida, e de todo não te terei por inocente. (12) Porque assim diz o SENHOR: A tua ferida é incurável; a tua chaga é dolorosa. (13) Não há quem defenda a tua causa para te aplicar curativo; não tens remédios que possam curar. (14) Todos os teus amantes se esqueceram de ti, e não perguntam por ti; porque te feri com ferida de inimigo, e com castigo de quem é cruel, pela grandeza da tua maldade e multidão de teus pecados. (15) Por que gritas por causa da tua ferida? Tua dor é incurável. Pela grandeza de tua maldade, e multidão de teus pecados, eu fiz estas coisas. (16) Por isso todos os que te devoram serão devorados; e todos os teus adversários irão, todos eles, para o cativeiro; e os que te roubam serão roubados, e a todos os que te despojam entregarei ao saque. (17) Porque te restaurarei a saúde, e te curarei as tuas chagas, diz o SENHOR; porquanto te chamaram a repudiada, dizendo: É Sião, já ninguém pergunta por ela. (18) Assim diz o SENHOR: Eis que farei voltar do cativeiro as tendas de Jacó, e apiedar-me-ei das suas moradas; e a cidade será reedificada sobre o seu montão, e o palácio permanecerá como habitualmente. (19) E sairá deles o louvor e a voz de júbilo; e multiplicá-los-ei, e não serão diminuídos, e glorificá-los-ei, e não serão apoucados. (20) E seus filhos serão como na antiguidade, e a sua congregação será confirmada diante de mim; e castigarei todos os seus opressores. (21) E os seus nobres serão deles; e o seu governador sairá do meio deles, e o farei aproximar, e ele se chegará a mim; pois, quem de si mesmo se empenharia para chegar-se a mim? diz o SENHOR. (22) E ser-me-eis por povo, e eu vos serei por Deus. (23) Eis que a tempestade do SENHOR, a sua indignação, já saiu; uma tempestade varredora, cairá cruelmente sobre a cabeça dos ímpios. (24) Não voltará atrás o furor da ira do SENHOR, até que tenha executado e até que tenha cumprido os desígnios do seu coração; no fim dos dias entendereis isto.

Jeremias 31

 (1) NAQUELE tempo, diz o SENHOR, serei o Deus de todas as famílias de Israel, e elas serão o meu povo. (2) Assim diz o SENHOR: O povo dos que escaparam da espada achou graça no deserto. Israel mesmo, quando eu o fizer descansar. (3) Há muito que o SENHOR me apareceu, dizendo: Porquanto com amor eterno te amei, por isso com benignidade te atraí. (4) Ainda te edificarei, e serás edificada, ó virgem de Israel! Ainda serás adornada com os teus tamboris, e sairás nas danças dos que se alegram. (5) Ainda plantarás vinhas nos montes de Samaria; os plantadores as plantarão e comerão como coisas comuns. (6) Porque haverá um dia em que gritarão os vigias sobre o monte de Efraim: Levantai-vos, e subamos a Sião, ao SENHOR nosso Deus. (7) Porque assim diz o SENHOR: Cantai sobre Jacó com alegria, e exultai por causa do chefe das nações; proclamai, cantai louvores, e dizei: Salva, SENHOR, ao teu povo, o restante de Israel. (8) Eis que os trarei da terra do norte, e os congregarei das extremidades da terra; entre os quais haverá cegos e aleijados, grávidas e as de parto juntamente; em grande congregação voltarão para aqui. (9) Virão com choro, e com súplicas os levarei; guiá-los-ei aos ribeiros de águas, por caminho direito, no qual não tropeçarão, porque sou um pai para Israel, e Efraim é o meu primogênito. (10) Ouvi a palavra do SENHOR, ó nações, e anunciai-a nas ilhas longínquas, e dizei: Aquele que espalhou a Israel o congregará e o guardará, como o pastor ao seu rebanho. (11) Porque o SENHOR resgatou a Jacó, e o livrou da mão do que era mais forte do que ele. (12) Assim que virão, e exultarão no alto de Sião, e correrão aos bens do SENHOR, ao trigo, e ao mosto, e ao azeite, e aos cordeiros e bezerros; e a sua alma será como um jardim regado, e nunca mais andarão tristes. (13) Então a virgem se alegrará na dança, como também os jovens e os velhos juntamente; e tornarei o seu pranto em alegria, e os consolarei, e lhes darei alegria em lugar de tristeza. (14) E saciarei a alma dos sacerdotes com gordura, e o meu povo se fartará dos meus bens, diz o SENHOR. (15) Assim diz o SENHOR: Uma voz se ouviu em Ramá, lamentação, choro amargo; Raquel chora seus filhos; não quer ser consolada quanto a seus filhos, porque já não existem. (16) Assim diz o SENHOR: Reprime a tua voz de choro, e as lágrimas de teus olhos; porque há galardão para o teu trabalho, diz o SENHOR, pois eles voltarão da terra do inimigo. (17) E há esperança quanto ao teu futuro, diz o SENHOR, porque teus filhos voltarão para os seus termos. (18) Bem ouvi eu que Efraim se queixava, dizendo: Castigaste-me e fui castigado, como novilho ainda não domado; converte-me, e converter-me-ei, porque tu és o SENHOR meu Deus. (19) Na verdade que, depois que me converti, tive arrependimento; e depois que fui instruído, bati na minha coxa; fiquei confuso, e também me envergonhei; porque suportei o opróbrio da minha mocidade. (20) Não é Efraim para mim um filho precioso, criança das minhas delícias? Porque depois que falo contra ele, ainda me lembro dele solicitamente; por isso se comovem por ele as minhas entranhas; deveras me compadecerei dele, diz o SENHOR. (21) Levanta para ti sinais, faze para ti altos marcos, aplica o teu coração à vereda, ao caminho por onde andaste; volta, pois, ó virgem de Israel, regressa a estas tuas cidades. (22) Até quando andarás errante, ó filha rebelde? Porque o SENHOR criou uma coisa nova sobre a terra; uma mulher cercará a um homem. (23) Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Ainda dirão esta palavra na terra de Judá, e nas suas cidades, quando eu vos restaurar do seu cativeiro: O SENHOR te abençoe, ó morada de justiça, ó monte de santidade! (24) E nela habitarão Judá, e todas as suas cidades juntamente; como também os lavradores e os que pastoreiam o rebanho. (25) Porque satisfiz a alma cansada, e toda a alma entristecida saciei. (26) Nisto despertei, e olhei, e o meu sono foi doce para mim. (27) Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que semearei a casa de Israel, e a casa de Judá, com a semente de homens, e com a semente de animais. (28) E será que, como velei sobre eles, para arrancar, e para derrubar, e para transtornar, e para destruir, e para afligir, assim velarei sobre eles, para edificar e para plantar, diz o SENHOR. (29) Naqueles dias nunca mais dirão: Os pais comeram uvas verdes, e os dentes dos filhos se embotaram. (30) Mas cada um morrerá pela sua iniqüidade; de todo o homem que comer as uvas verdes os dentes se embotarão. (31) Eis que dias vêm, diz o SENHOR, em que farei uma aliança nova com a casa de Israel e com a casa de Judá. (32) Não conforme a aliança que fiz com seus pais, no dia em que os tomei pela mão, para os tirar da terra do Egito; porque eles invalidaram a minha aliança apesar de eu os haver desposado, diz o SENHOR. (33) Mas esta é a aliança que farei com a casa de Israel depois daqueles dias, diz o SENHOR: Porei a minha lei no seu interior, e a escreverei no seu coração; e eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo. (34) E não ensinará mais cada um a seu próximo, nem cada um a seu irmão, dizendo: Conhecei ao SENHOR; porque todos me conhecerão, desde o menor até ao maior deles, diz o SENHOR; porque lhes perdoarei a sua maldade, e nunca mais me lembrarei dos seus pecados. (35) Assim diz o SENHOR, que dá o sol para luz do dia, e as ordenanças da lua e das estrelas para luz da noite, que agita o mar, bramando as suas ondas; o SENHOR dos Exércitos é o seu nome. (36) Se falharem estas ordenanças de diante de mim, diz o SENHOR, deixará também a descendência de Israel de ser uma nação diante de mim para sempre. (37) Assim disse o SENHOR: Se puderem ser medidos os céus lá em cima, e sondados os fundamentos da terra cá em baixo, também eu rejeitarei toda a descendência de Israel, por tudo quanto fizeram, diz o SENHOR. (38) Eis que vêm dias, diz o SENHOR, em que esta cidade será reedificada para o SENHOR, desde a torre de Hananeel até à porta da esquina. (39) E a linha de medir estender-se-á para diante dela, até ao outeiro de Garebe, e virar-se-á para Goa. (40) E todo o vale dos cadáveres e da cinza, e todos os campos até ao ribeiro de Cedrom, até à esquina da porta dos cavalos para o oriente, serão consagrados ao SENHOR; não se arrancará nem se derrubará mais eternamente.

Jeremias 32

 (1) A PALAVRA que veio a Jeremias da parte do SENHOR, no ano décimo de Zedequias, rei de Judá, o qual foi o décimo oitavo de Nabucodonosor. (2) Ora, nesse tempo o exército do rei de Babilônia cercava Jerusalém; e Jeremias, o profeta, estava encerrado no pátio da guarda que estava na casa do rei de Judá; (3) Porque Zedequias, rei de Judá, o tinha encerrado, dizendo: Por que profetizas tu, dizendo: Assim diz o SENHOR: Eis que entrego esta cidade na mão do rei de Babilônia, e ele a tomará; (4) E Zedequias, rei de Judá, não escapará das mãos dos caldeus; mas certamente será entregue na mão do rei de Babilônia, e com ele falará boca a boca, e os seus olhos verão os dele; (5) E ele levará Zedequias para Babilônia, e ali estará, até que eu o visite, diz o SENHOR e, ainda que pelejeis contra os caldeus, não ganhareis? (6) Disse, pois, Jeremias: Veio a mim a palavra do SENHOR, dizendo: (7) Eis que Hanameel, filho de Salum, teu tio, virá a ti dizendo: Compra para ti a minha herdade que está em Anatote, pois tens o direito de resgate para comprá-la. (8) Veio, pois, a mim Hanameel, filho de meu tio, segundo a palavra do SENHOR, ao pátio da guarda, e me disse: Compra agora a minha herdade que está em Anatote, na terra de Benjamim; porque teu é o direito de herança, e tens o resgate; compra-a para ti. Então entendi que isto era a palavra do SENHOR. (9) Comprei, pois, a herdade de Hanameel, filho de meu tio, a qual está em Anatote; e pesei-lhe o dinheiro, dezessete siclos de prata. (10) E assinei a escritura, e selei-a, e fiz confirmar por testemunhas; e pesei-lhe o dinheiro numa balança. (11) E tomei a escritura da compra, selada segundo a lei e os estatutos, e a cópia aberta. (12) E dei a escritura da compra a Baruque, filho de Nerias, filho de Maaséias, na presença de Hanameel, filho de meu tio e na presença das testemunhas, que subscreveram a escritura da compra, e na presença de todos os judeus que se assentavam no pátio da guarda. (13) E dei ordem a Baruque, na presença deles, dizendo: (14) Assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Toma estas escrituras, este auto de compra, tanto a selada, como a aberta, e coloca-as num vaso de barro, para que se possam conservar muitos dias. (15) Porque assim diz o SENHOR dos Exércitos, o Deus de Israel: Ainda se comprarão casas, e campos, e vinhas nesta terra. (16) E depois que dei a escritura da compra a Baruque, filho de Nerias, orei ao SENHOR, dizendo: (17) Ah Senhor DEUS! Eis que tu fizeste os céus e a terra com o teu grande poder, e com o teu braço estendido; nada há que te seja demasiado difícil; (18) Tu que usas de benignidade com milhares, e retribuis a maldade dos pais ao seio dos filhos depois deles; o grande, o poderoso Deus cujo nome é o SENHOR dos Exércitos; (19) Grande em conselho, e magnífico em obras; porque os teus olhos estão abertos sobre todos os caminhos dos filhos dos homens, para dar a cada um segundo os seus caminhos e segundo o fruto das suas obras; (20) Tu puseste sinais e maravilhas na terra do Egito até ao dia de hoje, tanto em Israel, como entre os outros homens, e te fizeste um nome, o qual tu tens neste dia. (21) E tiraste o teu povo Israel da terra do Egito, com sinais e com maravilhas, e com mão forte, e com braço estendido, e com grande espanto, (22) E lhes deste esta terra, que juraste a seus pais que lhes havias de dar, terra que mana leite e mel. (23) E entraram nela, e a possuíram, mas não obedeceram à tua voz, nem andaram na tua lei; tudo o que lhes mandaste que fizessem, eles não o fizeram; por isso ordenaste lhes sucedesse todo este mal. (24) Eis aqui os valados; já vieram contra a cidade para tomá-la, e a cidade está entregue na mão dos caldeus, que pelejam contra ela, pela espada, pela fome e pela pestilência; e o que disseste se cumpriu, e eis aqui o estás presenciando. (25) Contudo tu me disseste, ó Senhor DEUS: Compra para ti o campo por dinheiro, e faze que o confirmem testemunhas, embora a cidade já esteja entregue na mão dos caldeus. (26) Então veio a palavra do SENHOR a Jeremias, dizendo: (27) Eis que eu sou o SENHOR, o Deus de toda a carne; acaso haveria alguma coisa demasiado difícil para mim? (28) Portanto assim diz o SENHOR: Eis que eu entrego esta cidade na mão dos caldeus, e na mão de Nabucodonosor, rei de Babilônia, e ele a tomará. (29) E os caldeus, que pelejam contra esta cidade, entrarão nela, e pôr-lhe-ão fogo, e queimarão, as casas sobre cujos terraços queimaram incenso a Baal e ofereceram libações a outros deuses, para me provocarem à ira. (30) Porque os filhos de Israel e os filhos de Judá não fizeram senão mal aos meus olhos, desde a sua mocidade; porque os filhos de Israel nada fizeram senão provocar-me à ira com as obras das suas mãos, diz o SENHOR. (31) Porque para a minha ira e para o meu furor me tem sido esta cidade, desde o dia em que a edificaram, e até ao dia de hoje, para que a tirasse da minha presença; (32) Por causa de toda a maldade dos filhos de Israel, e dos filhos de Judá, que fizeram, para me provocarem à ira, eles e os seus reis, os seus príncipes, os seus sacerdotes, e os seus profetas, como também os homens de Judá e os moradores de Jerusalém. (33) E viraram-me as costas, e não o rosto; ainda que eu os ensinava, madrugando e ensinando-os, contudo eles não deram ouvidos, para receberem o ensino. (34) Antes puseram as suas abominações na casa que se chama pelo meu nome, para a profanarem. (35) E edificaram os altos de Baal, que estão no Vale do Filho de Hinom, para fazerem passar seus filhos e suas filhas pelo fogo a Moloque; o que nunca lhes ordenei, nem veio ao meu coração, que fizessem tal abominação, para fazerem pecar a Judá. (36) E por isso agora assim diz o SENHOR, o Deus de Israel, acerca desta cidade, da qual vós dizeis: Já está dada na mão do rei de Babilônia, pela espada, pela fome, e pela pestilência: (37) Eis que eu os congregarei de todas as terras, para onde os tenho lançado na minha ira, e no meu furor, e na minha grande indignação; e os tornarei a trazer a este lugar, e farei que habitem nele seguramente. (38) E eles serão o meu povo, e eu lhes serei o seu Deus; (39) E lhes darei um mesmo coração, e um só caminho, para que me temam todos os dias, para seu bem, e o bem de seus filhos, depois deles. (40) E farei com eles uma aliança eterna de não me desviar de fazer-lhes o bem; e porei o meu temor nos seus corações, para que nunca se apartem de mim. (41) E alegrar-me-ei deles, fazendo-lhes bem; e plantá-los-ei nesta terra firmemente, com todo o meu coração e com toda a minha alma. (42) Porque assim diz o SENHOR: Como eu trouxe sobre este povo todo este grande mal, assim eu trarei sobre ele todo o bem que lhes tenho declarado. (43) E comprar-se-ão campos nesta terra, da qual vós dizeis: Está desolada, sem homens, sem animais; está entregue na mão dos caldeus. (44) Comprarão campos por dinheiro, e assinarão as escrituras, e as selarão, e farão que confirmem testemunhas, na terra de Benjamim, e nos contornos de Jerusalém, e nas cidades de Judá, e nas cidades das montanhas, e nas cidades das planícies, e nas cidades do sul; porque os farei voltar do seu cativeiro, diz o SENHOR.

DEVOCIONAL PARA HOJE 24/11/2013

VERSÍCULO:
  O SENHOR firma os passos do homem bom e no seu caminho se compraz; se cair, não ficará prostrado, porque o SENHOR o segura pela mão. Salmos 37:23-24

PENSAMENTO:
   Não sei sobre você, mas tenho caído muito na minha vida. Tenho tropeçado em situações embaraçosas. Tenho tropeçado nos meus próprios pés, cadarços, sarjetas e no nada. No entanto, sou confiante que na minha vida espiritual, mesmo que tenha caído de vez em quando, Deus não me deixa cair totalmente. Quando penso que vou cair barranco a baixo, o amor, o cuidado, o carinho, as Escrituras, os servos e ajudantes do Pai me salvam da destruição. A mão de Deus me apóia. Ele está presente nas horas de tribulação. Ele é poderoso para salvar. Eu creio que Ele alegra-se na minha jornada. E você?

ORAÇÃO:
   Ó Pai, obrigado pela Sua influência que me dá equilíbrio na vida. Obrigado por me levantar quando caio, por me proteger quando estou vulnerável e me confortar quando estou quebrantado. Louvo-lhe por Sua graça, Sua glória e Sua proximidade. Através de Jesus, ofereço-lhe meu louvor e gratidão eterna. Amém.

http://www.iluminalma.com/dph/4/1124.html