VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

26 de dez de 2013

DÍZIMOS E OFERTAS

I. Introdução:
   A. o testemunho do próprio Apóstolo (Fp. 4:11-19)
   B. o testemunho de Filipos, igreja-modelo nas ofertas.
   C. evangélicos dão 1,5% da sua renda para a causa, enquanto comunistas o fazem com 38%.
   D. alguns argumentos que os crentes usam tentando justificar sua falta de colaboração nas ofertas e dízimos.
      1. Novo Testamento não manda dar o dízimo (Mt. 23:23 x Hb. 7:1-9).
      2. Dízimo pertence à lei de Moisés
         a. os 10 mandamentos também
         b. dízimo e ofertas são anteriores à lei de Moisés: 
            - Gn. 4 - Caim e Abel. 
            - Gn. 14:18-20 - Abraão. 
            - Gn. 28:20-22 - o voto de Jacó. 
            - obs.: Deus incorporou o dízimo à Lei para beneficiar à Tribo de Levi (entre outros propósitos) - Dt. 18:1-8.
         c. não dou dízimo e sim ofertas
            - há uma distinção bíblica entre ambas. 
            - normalmente a oferta é sempre menor que o dízimo.
         d. não dou o dízimo pois não sei quanto ganho. 
            - obs.: ninguém "lesa" o IRF (pelo menos não deveria). 
         e. não dou o dízimo pois ganho pouco. 
            - a questão da proporcionalidade; fé ; a prova de Deus (Ml. 3:10).
II. O dízimo em Malaquias 3:8-12
   A. trazei (todos - ninguém fica fora).
   B. motivo: haja mantimento (sustento da obra - igreja e obreiro).
   C. promessa (já mencionada).
III. Aplicações bíblicas.
   A. a viúva deu tudo Mc. 12:41-44.
   B. oferta das igrejas primitivas: Jerusalém (At.2:44-45; 4:32-37), Macedônia (2Co.8:15); Judéia (At. 11:29).
   C. três razões porque devo dar:
      1. Jesus concordou (Lc. 11:42)
      2. testemunho e promessas de Deus (Pv.3:9,10)
      3. reconhecimento que Deus é o dono de tudo (Gn. 14:19-22; I Cr. 29:14).
   D. como devemos dar?
      1. proporcional I Co. 16:2.
      2. sistemática I Co. 16:2.
      3. voluntária - alegria, sem constrangimento 2 Co. 9:7.
   E. envolvimento da igreja - a idéia da palavra "encaminhamento" Rm. 15:22-24
   F. o dízimo de Abraão (Gn. 14:18-24).
      1. foi voluntário: Melquisedeque não pediu, Abraão ofereceu.
      2. ele reconheceu Deus como o dono de tudo (v.22).
      3. foi um ato de gratidão; não foi entregue por desencargo de consciência.
      4. o resultado: Abraão foi abençoado.
IV. Dízimo no Novo Testamento
   A. Jesus e a lei moral (ela continua como princípios eternos).
   B. o dízimo era uma prática generalizada (como o domingo).
   C. lembrando Mt. 23:23, nosso padrão é superior aos fariseus não salvos.
   D. Hebreus menciona Abraão Melquisedeque (representando salvos e Cristo).
   E. sustento do ministério cf. 1 Co. 9:11 - reconhecimento do recebimento de bençãos espirituais mostradas através de bênçãos materiais.
      1 Co. 9:13 - referência aos levitas.
      1 Co. 9:14 - ordem de Deus que deve ser devidamente observada.
Pr. Eladio J. Santos

Nenhum comentário:

Postar um comentário