VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER

"A Igreja deve atrair pela diferença e não pela igualdade" C.H. Spurgeon

VISITE A IGREJA BATISTA REGULAR EBENÉZER
R. José Severiano Câmara, 244 - Centro - João Câmara/RN

TERÇA:.........................Sociedade Masculina -.................19:30hs.
..........................................Sociedade Feminina -...................19:30hs.
QUARTA:.....................Culto de Oração -.........................19:30hs.
SÁBADO:......................Projeto Boas Novas -..................15:30hs.
..........................................Culto da Mocidade -....................19:30hs.
DOMINGO:..................Escola Bíblica Dominical -..........08:00hs.
..........................................Culto Oficial -..............................19:00 hs.

Culto de Ação de Graças

30 de jun de 2012

DEFINIÇÃO DE CARÁTER

Diz certo escritor: "Caráter não é aquilo que dizemos ser, isto é profissão. Caráter não é aquilo que fazemos, isto é conduta. Caráter não é aquilo que somos, isto é o âmago de nosso eu, o homem interior. Caráter é aquilo que somos no escuro" 

"O caráter se revela, não por boas obras ocasionais, nem por atos maus, praticados ocasionalmente, mas pela tendência das palavras e atos habituais."

Outro escritor diz assim: "Sua reputação é aquilo que as pessoas acham que você é; seu caráter é aquilo que Deus sabe que você é."
Fonte: Amigão do Pastor Nº 4

UM BOM CONSELHO

Confia em ti mesmo, tu és condenado ao desapontamento; confia nos teus amigos, e eles morrerão e ti deixarão; confia no teu dinheiro, e tu podes perder tudo; confia em teu bom nome, e algum caluniador pode estragá-lo; mas confia em DEUS, e tu jamais serás confundido, nem no tempo nem na eternidade. 
(Evangelista D:L: Moody)

29 de jun de 2012

Chamados a Orar!

INTRODUÇÃO

Sabemos que Deus nos fala através de sua palavra, que é a Bíblia, e nós falamos com Ele através da oração!

Mas, e agora, por que devemos Orar?

1) Por que Deus, o Pai, nos chama à oração: (Sl 50:15) “_______________________”.

2) Por que Deus, o Filho, nos unge à oração: (Lc. 18:1) “____________________”. (Mt 7:7) “_________________________”.

3) Por que Deus, o Espírito Santo, quer orar por meio de nós. (Rm 8:26) “_______________________________________________________________”.

Sabemos que temos uma coisa que nos separa de Deus nas nossas orações, que é o pecado! Para podermos ter uma comunhão com Deus em nossas orações, primeiro temos que vencer!
  • Os inimigos da oração
  • Os obstáculos à oração
Por causa de uma pequena coisa faz com que deixemos de receber as bênçãos de Deus através das nossas orações!

OS INIMIGOS DA ORAÇÃO

Há seis armas que o diabo utiliza para paralisar nossa oração!

1) Cansaço!

O cansaço paralisante, que te impede de orar sem cessar. Mas, justamente na oração podes dominar essa fadiga dês-natural, pois a Bíblia diz: (Is 40:31a; 29) “Mas os que _________ no Senhor __________ as suas forças. Faz forte ____________, e _________ as forças ao que não ________ vigor”..

2) Distração!

Não consegues concentrar-te. Outros pensamentos te assaltam. Durante a oração, percebes assustado que teus pensamentos estão longe. Essa arma do inimigo fica sem poder com a oração em voz alta.

3) Intranqüilidade interior!

Uma intranqüilidade inexplicável domina-te e ela só pode ser removida na oração. Seja qual for a origem — pecado, nervosismo ou incredulidade — a Bíblia diz: (Sl 55:22) “Confia os teus ___________ ao Senhor, e ele te ________: jamais permitirá que o justo seja _________” e continua: (Sl 42:11) “Porque estás _________, ó minha alma? Por que te perturbas dentro em mim? ________ em Deus, pois ainda o louvarei, a ele, meu __________ e Deus meu”.

4) Pressa!

A arma de Satanás usa com maior sucesso, contra muitos que querem orar, o que a Escritura diz em Eclesiastes 8:3? “Não te __________ em _________ a __________ Dele”.

5) Desânimo!

O desânimo é uma arma que paralisa muitas pessoas de oração. Desânimo significa: não olhar longe o suficiente. A Bíblia diz: “olhando firmemente para Jesus”. Isso significa: não olhar para o visível e sim olhar para Jesus! Está desanimado por causa da tua fraqueza, por causa das tuas derrotas, da dureza dos homens, das situações tristes. Paulo diz em II Coríntios 4:8 “Em tudo somos atribulados, porem, não angustiados; perplexos, porem não desanimados”. Por quê? Porque ele orava! Só há uma maneira de afastar o desânimo: através da oração sincera.

6) Indolência! (Insensível; negligente; sem atividade; preguiçoso).

A indolência é uma arma maliciosa, que Satanás usará contra aqueles que querem tornar-se pessoas de oração. É uma arma da carne, da impotência. Tu te ajoelhas, queres orar, mas não sai quase nenhuma palavra! Como podes ficar livre dessa terrível inércia e dessa impotência? A resposta é Orar com a Bíblia! Lê sempre de novo, em voz alta, as promessas que falam da oração. Jesus disse: (Mt 7:7) “Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achares; batei, e abrir-se-vos-á”. Diz ao Senhor: não consigo pedir, mas tu dizes na tua Palavra que devo fazê-lo, e isso perseverantemente!

OS OBSTÁCULOS À ORAÇÃO

Além de que temos de vencer os inimigos da oração temos que vencer também os obstáculos às orações!

Lemos em Isaías 59:1-3: “Eis que a mão do Senhor não está encolhida, para que não possa salvar; nem surdo o seu ouvido, para não ouvir. Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vosso Deus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça. Porque as vossas mãos estão contaminadas de sangue e os vossos dedos de iniqüidade; e os vossos lábios falam mentiras, a vossa língua profere maldade”.

Temos quatro obstáculos para vencer:

1) É aquele cujos dedos estão manchados de sangue, é assassino.

Teus dedos estão manchados de sangue? “Não”, respondes, mas não digas tão precipitadamente, a Bíblia diz: (1 João 3:15) “Todo aquele que odeia a seu irmão é assassino”. Se no teu coração há algum ódio contra qualquer pessoa, tuas mãos estão manchadas de sangue. Deus se afasta-se de ti, por isso vai e te reconcilia com teu irmão(a).

2) Obstáculo pelo qual Deus não pode ouvir nossas orações é encontrado em Isaías 59:3; “os vossos lábios falam mentiras, a vossa língua profere maldade”.

Você já falou coisas negativas sobre outros quando estás com algumas pessoas? Já não falaste coisas terríveis de um pregador do Evangelho a um irmão? Quantas vezes já prejudicastes o bom nome de alguém através de falatório, dizendo coisas que nem podes provar. Lembra-te que isso é abominável diante de Deus. O Senhor fecha o céu sobre ti, enquanto não te arrependeres da difamação e a reparares. Se sabes que alguém realmente está errado, então fale com o Senhor e com ele pessoalmente sobre isso, mas não o conta adiante. No Salmo 15:1-3 está escrito: “Quem, Senhor, habitará no teu tabernáculo? Quem há de morar no teu santo monte? O que vive com integridade, e pratica a justiça, e, de coração, fala a verdade; o que não difama com sua língua, não faz mal ao próximo, nem lança injúria contra o seu vizinho”. Arrepende-te dos pecados da tua língua, pois na Bíblia diz (Pv. 10:19 “No muito falar não falta transgressão”).

3) Está escrito em I Pedro 3:6-7: “como fazia Sara, que obedeceu a Abraão, chamando-lhe senhor, da qual vós vos tornastes filhas, praticando o bem e não temendo perturbação alguma. Maridos, vós igualmente, vivei a vida comum do lar, com discernimento; e, tendo consideração para com a vossa mulher como parte mais frágil, tratai-a com dignidade, por isso que sois juntamente herdeiros da mesma graça de vida, para que não se interrompam as vossas orações”.

As orações dos casais são interrompidas se algo não estiver certo no casamento. Todas as tensões e problemas do casamento procedem do fato de Jesus Cristo, o crucificado, não estar entre os dois. Este é um casal feliz, para o qual Jesus é o centro!

4) Sério obstáculo é a desobediência. Em Provérbios 28:9: “o que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até a sua oração será abominável”.

A lei é a Palavra de Deus. O Senhor que dizer que: Aquele que fecha seus ouvidos, seu coração, à Palavra (o ouvir bíblico significa: concordar em obediência), a sua oração é abominável. Não penses que Deus tem interesse nas tuas considerações teológicas durante as tuas orações. A Deus interessa a tua obediência! (I Sm 15:22). “Eis que o obedecer é melhor do que sacrificar”.
Fonte: Chamado a Orar de .Wim Malgo

História do hino 398 – Sou feliz

Ira David Sankey, conhecido hinista americano, diz em seu livro My Life and the Story of the Gospel Hymns (Minha Vida e a História dos Hinos Evangélicos):

  Quando Moody e eu realizávamos reuniões em Edinburgo, em 1874, ouvimos as tristes notícias do naufrágio do vapor francês “Ville de Havre”, em seu retorno da América, com grande número de membros do Concílio Ecumênico que havia sido realizado em Filadélfia. A bordo do vapor estava a srª Spafford, com seus quatro filhos. A colisão fora em alto mar com um grande navio, fazendo com que o vapor afundasse em meia hora. Quase todos a bordo morreram. A srª Spafford tirou seus filhos dos beliches e os levou para o convés. Tendo sido avisada de que o vapor em breve afundaria, ela ajoelhou-se com seus filhos em oração, pedindo a Deus que fossem salvos se possível, ou que se conformassem em morrer, se essa fosse a Sua vontade. Em poucos minutos o vapor imergiu para as profundezas do mar, e as crianças se perderam. Um dos marinheiros, chamado Lockurn, – com quem me encontrei mais tarde na Escócia – ao remar sobre o local onde desaparecera o vapor, descobriu a srª Spafford flutuando. Dez dias mais tarde ela desembarcou em Cardiff, Wales. De lá telegrafou ao marido, advogado em Chicago, a mensagem: “Salva sozinha”. O sr. Spafford, que era cristão, mandou emoldurar a mensagem, e pendurá-la em seu escritório. Embarcou imediatamente para a Inglaterra a fim de trazer a esposa de volta a Chicago. Moody abandonou suas reuniões em Edinburg e dirigiu-se a Liverpool para tentar confortar os pais, e ficou muito alegre ao ver que eles estavam dispostos a dizer: “Está bem, seja feita a vontade de Deus”.

  Em 1876, quando voltamos a Chicago para trabalhar, passei algumas semanas no lar dos Spaffords. Neste tempo o sr. Spafford escreveu o cântico: “Sou Feliz Com Jesus”, em memória de seus filhos. P. P. Bliss compôs a música a apresentou o cântico pela primeira vez em Farwell Hal“. O fato confortador em relação a este incidente foi que pouco antes da viagem para a Europa, as crianças se haviam convertido em uma de nossas pequenas reuniões no Norte de Chicago.

  Enquanto ainda viviam aí, o casal Spafford tornou-se muito impressionado com a Segunda volta de Cristo. O sr. Spafford foi tão zeloso que decidiu ir a Jerusalém com a esposa e a filha que lhes restava, e lá aguardar a volta de Jesus, mas morreu pouco depois. A srª Spafford é diretora de uma Sociedade cuja a sede esta num edifício fora de Jerusalém, onde um grande número de pessoas vive, tendo tudo em comum. Quando visitei Jerusalém, há alguns anos, encontrei-a na “Rua de Davi”. No dia seguinte recebi a visita da srª Spaffordd, que é muito popular entre os nativos e professora de um grande número de crianças, instruindo-as em literatura inglesa e costumes americanos.

  Sankey relata ainda o seguinte: “Este cântico foi ouvido por um cavalheiro que havia sofrido grande perda financeira no terror de 1899, e que estava no mais profundo desânimo. Quando ouviu a estória do cântico, exclamou: ‘Se Spafford pode escrever um tão belo cântico de resignação, eu jamais me lamentarei outra vez’.”

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_230.htm, que cita Histórias de Hinos e Autores – CMA – Conservatório Musical Adventista

28 de jun de 2012

UNIVERSALISMO, UM PERIGOSO ENGANO


A doutrina que ensina que todos os homens indistintamente serão salvos é um perigoso engano. Na verdade a ideia de que toda religião é boa e todo caminho leva a Deus é uma falácia e uma mentira gritante. O evangelho é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê e apenas para aqueles que crêem. Deus salva a todos sem acepção, mas não a todos sem exceção. Fora de Jesus Cristo não há salvação. Os que se mantêm rebeldes contra Deus e não se arrependem de seus pecados nem confessam a Cristo como Senhor não entrarão no reino de Deus.
Hernandes Dias Lopes.

ECUMENISMO, UMA UNIÃO PERIGOSA

A doutrina que incentiva a união de todas as igrejas numa grande fraternidade, independente de sua teologia e ética é um grande erro. Não há unidade fora da verdade. Não é o homem que promove a unidade da igreja. Essa unidade já existe e é feita pelo Espírito Santo. Cabe-nos preservar a unidade do Espírito no vínculo da paz. A união de todas as crenças produz o Sincretismo pagão e não o Cristianismo. A luz não pode ter comunhão com as trevas. A ortodoxia não pode andar de braços dados com a heresia. O ecumenismo, portanto, é uma união perigosa e não uma expressão da unidade da igreja.
Hernandes Dias Lopes.

27 de jun de 2012

As Missões Morávias

Dois jovens morávios tinham ouvido falar de uma ilha das Índias Ocidentais onde um latifundiário, um inglês ateu, possuía entre dois e três mil escravos. E esse homem dissera: "Nessa ilha não pode entrar nenhum pregador ou sacerdote. Se algum deles chegar aqui, por naufrágio, que fique numa casa separada até que possa sair daqui. Mas não pode falar a nenhum de nós a respeito de Deus. Não quero nunca mais saber dessas tolices."

Imaginem, três mil escravos trazidos das selvas africanas para uma ilha do Atlântico, para ali viverem e morrerem, sem nunca ouvirem falar de Cristo! Os dois jovens morávios ouviram falar sobre isso. Então, eles se venderam àquele inglês e usaram o dinheiro (o mesmo valor que ele pagaria por qualquer outro escravo) para comprar a passagem e viajarem até à ilha. O inglês não oferecia sequer a condução.

Quando o navio estava para zarpar do porto de Hamburgo e adentrar o Mar do Norte, alguns morávios foram ao porto para despedir-se dos rapazes. Ambos tinham pouco mais de vinte anos de idade e nunca mais voltariam, visto que não estavam embarcando para um trabalho regular de quatro anos. Os rapazes haviam se vendido como escravos por toda a vida, para que, na condição de escravos, testemunhassem sobre Cristo aos outros escravos. Os familiares dos rapazes choravam, pois sabiam que nunca mais os veriam. Alguns crentes morávios tinham dúvidas a respeito daquela atitude dos rapazes, considerando-a insensata. E, quando o navio se afastava, e os jovens perceberam a distância que os separava, aumentando cada vez mais, um deles, passando o braço pelo do seu companheiro, ergueu a outra mão e gritou-lhes: "Que o Cordeiro receba a recompensa de seus sofrimentos." Essas foram as últimas palavras que ouviram deles. E tais palavras se tornaram o cerne e o lema das missões moravianas.

Extraído de "Fé para Hoje", no 10, ano 2001, p. 32.

PRIMEIRO DEUS

Enferma, uma senhora foi ao médico. Este, depois de examiná-la, passou-lhe a receita, fazendo a seguinte advertência:

MÉDICO: "Agora, por seis meses, repouso absoluto. Não saia de casa."

SENHORA: "Pois é doutor. Acontece que eu sou crente...E a igreja, como é que vai ficar?"

MÉDICO: "Ora, a igreja pode passar muito bem sem a senhora..."

SENHORA: "Sim, eu sei, mas eu é que não passo passar bem sem a minha igreja."

UM PENSAMENTO: Ninguém atira pedras em uma árvore a não ser que ele tenha frutos

História do hino 108 – Chamada final


O silêncio o perturbou. Tomava parte numa reunião da mocidade da Pine Street Church, uma modesta igreja metodista no Estado de Pensilvânia, EUA. No início do programa daquela noite foi feita a chamada, e cada pessoa, ao ouvir o seu nome, em vez de responder “presente”, recitava um versículo bíblico. Noventa e oito jovens já haviam respondido, mas o número 99 não se pronunciou. O professor James Milton Black levantou-se e, pela terceira vez chamou aquele nome. Conhecia bem a menina, pois ele mesmo algum tempo atrás a convidara a freqüentar a igreja. Pertencia a uma família muito pobre, cujo pai gastava tudo que ganhava em bebidas. O fato da menina não ter respondido à chamada impressionou grandemente o Prof. Black. Naquela noite, voltando para casa, ele pensou: “E se ela nunca mais responder, que acontecerá?” Sob a impressão desta dúvida, naquela mesma noite, ele escreveu:

“Quando Cristo a trombeta lá do céu mandar tocar
Quando o dia mui glorioso lá romper,
E aos remidos desta terra meu Jesus Se incorporar,
E fizer-se então chamada lá estarei.”

Mais quinze minutos e ele escreveu mais duas estrofes. Ao terminar a poesia, foi ao piano e escreveu a música nota por nota, exatamente como nós a conhecemos hoje.
Mais tarde, Black verificou que aquela menina não estivera presente à reunião porque se achava gravemente enferma, vindo a falecer depois.

Assim Bill Ichter nos conta a história deste hino no Volume 2 da série Se os hinos Falassem. O hino apareceu pela primeira vez em 1892, no hinário Songs of the Savior’s Love (Cânticos do Amor do Salvador), embora o copyright de Black tenha a data de 1893. O nome da melodia, ROLL CALL (Chamada) foi escolhido pela comissão do Baptist Hymnal (Hinário Batista) de 1956, lembrado a chamada para a qual todo crente tem certeza que vai responder: “Presente”! 

Fonte: http://www.musicaeadoracao.com.br/hinos/historias_hinos/ha_434.htm, que cita Mesquita, Antônio N, de. História dos Batistas do Brasil de 1907 até 1945, Rio de janeiro, Casa Publicadora Batista (JUERP), 1962, p. 247.

COMO É QUE VOCÊ VAI RESPONDER?

Se Deus chamar o irmão para o ministério no futuro como é que você vai atender a chamada?

Quando Deus chamou Moisés ele alegou INCAPACIDADE (Êx.4:10); "...eu nunca fui eloqüente...sou pesado de boca e pesado de língua".

Quando Gideão foi chamado pelo Senhor ele alegou INFERIORIDADE (Juízes 6:15); "...a minha família é a mais pobre...e eu o menor na casa de meu pai."

Ao receber sua chamada Isaías alegou IMPUREZA (Is.6:5); "sou homem de lábios impuros,..."

E quando Deus chamou Jeremias este alegou IMATURIDADE (Jer.1:6); "...não sei falar; ..não passo de uma criança."

Quando Saulo de Tarso descobriu quem era Jesus no caminho para Damasco, ele respondeu assim: "...Que farei, Senhor?..." (Atos 22:10).

É verdade que Moisés, Gideão, Isaías, Jeremias, e milhares de outros homens que Deus chamou, tinham problemas. Mas nenhum deles tinha um problema grande demais para Deus resolver! Quando Deus chama o homem Ele também capacita aquele homem para exercer o ministério!
Fonte: Amigão do Pasto! Nº 4

26 de jun de 2012

Domingo_24-06-12_(Cristina e Sandra - Hino_162)

Domingo_24-06-12_(Cristina e Sandra - Hino)

PARÁBOLA DA IGREJA MORTA


Uma pessoa ligou para um pastor dizendo que ela queria ser membro da igreja. Mas, ela explicou que não queria assistir os cultos todas as semanas, não queria estudar a Bíblia, não queria fazer visitas, não queria evangelizar os perdidos e não queria servir como líder na igreja.

O pastor elogiou a pessoa pelo desejo que ela tinha de ser membro de uma igreja mas explicou para ela que a igreja que ela procurava se encontrava num outro bairro da cidade. A pessoa anotou o endereço da igreja e decidiu fazer uma visita ao local.

Quando ela chegou no endereço da igreja ela se encontrou com o resultado natural da própria atitude dela. Lá estava um templo abandonado, vazio e pronto para a demolição.

CRISTO É O SENHOR

Por mais surpreendente que pareça, o Novo Testamento se refere a Jesus como Salvador apenas 16 vezes; Chama-O Mestre 64 vezes; mas proclama-O SENHOR umas 650 vezes!

A igreja do século XX inverteu a proporção neo-Testamentária. A proclamação da igreja mudou de ênfase e, por conseguinte, sua postura diante do mundo.

A igreja do primeiro século se apresentava em pé, proclamando Cristo como SENHOR, chamando todos os homens a se ajoelharem perante Sua autoridade absoluta e eterna.

Em contraste a igreja do século XX se ajoelha perante o mundo - que fica sempre em pé - implorando-lhe que aceite de graça Jesus como Salvador.

Os homens querem um Salvador, mas não um Senhor. Querem a coroa, mas não a cruz. Desejam o reino
de Deus sem o Rei que manda no Reino. Numa palavra querem todos os benefícios do evangelho, mas sem
nenhuma responsabilidade. Prezado leitor, qual é a sua posição?
Extraído do livro: Cristo é Senhor, Editora Luz e Vida.

25 de jun de 2012

QUE ESPÉCIE DE CRISTÃO VOCÊ É?

  • ALGUNS SÃO COMO O CARRINHO DE MÃO: precisam ser empurrados para trabalharem na igreja.
  • ALGUNS SÃO COMO A CANOA: só andam a remo ou rio abaixo.
  • ALGUNS SÃO COMO OS "TRAILERS": só avançam na vida cristã quando puxados.
  • ALGUNS SÃO COMO A BATERIA DESCARREGADA: vivem sem nenhuma energia ou força para funcionarem no Reino de Deus.
  • ALGUNS SÃO COMO A BOLA DE FUTEBOL: ninguém sabe que direção tomarão as suas vidas espirituais.
  • ALGUNS SÃO COMO O PAPAGAIO: precisam ter pé amarrado e asa cortada para manterem-se na linha.
  • ALGUNS SÃO COMO O GATINHO: só estão contentes e amados na igreja quando mimados.
  • ALGUNS SÃO COMO O CLIMA: instáveis e inconstantes em sua conduta.
  • ALGUNS SÃO COMO AS CRIANÇAS: sem senso de responsabilidade e sem maturidade em seu viver.
  • ALGUNS SÃO COMO O MICROSCÓPIO: sempre procuram mostrar as falhas dos outros, descobrindo até as que não são evidentes.
  • ALGUNS SÃO COMO O TELESCÓPIO: podem ver o trabalho do Senhor...à distância.
  • ALGUNS SÃO COMO A ROCHA DE GIBRALTAR: firmes, constantes, imutáveis, sempre abundantes na Obra do Senhor.
Fonte: Amigão do Pastor Maio/Junho 91


24 de jun de 2012

EBD 24/06/2012


AGEU
INTRODUÇÃO
AUTOR: Ageu
A QUEM: Israel, depois do exílio; particularmente os judeus que haviam retornado a Jerusalém.
PROPÓSITO: Inspirar Israel a um novo zelo por Deus e fazer os líderes conscientes de sua responsabilidade para reconstruir o templo de adoração.
VERSÍCULO-CHAVE: 1:5
PRINCÍPIO DE VIDA E MINISTÉRIO: Construir o Reino de Deus deve ser uma prioridade do verdadeiro crente.
PERSONAGEM PRINCIPAL: Ageu
ESBOÇO
I. Primeira Mensagem: Um chamado para reconstruir o templo (dada no primeiro dia do sexto mês) 1:1-15
       A. A data: 1:1
       B. A mensagem: 1:2-11
                1. O sossego das pessoas: 1:2-4
                2. Suas conseqüências: 1:5-11
        C. A resposta das pessoas: 1:12-15.204
                1. Obediência e temor do Senhor: 1:12
                2. A obra de estímulo: 1:13
                3. A obra começada: 1:14
                4. A data: 1:15
II. Segunda Mensagem: A Profecia do Templo Milenar que seria maior que o templo que eles construiriam agora (dada no 21º dia do sétimo mês) 2:1-9
        A. A data: 2:1
        B. A mensagem: 2:2-9
                1. Os templos comparados: 2:2-3
                2. A resposta ao desalento: 2:4-5
                3. O tremor universal e a glória posterior do templo: 2:6-9
III. Terceira Mensagem: Promessa de bênção do presente sobre a reconstrução do templo (dada no 24º dia do nono mês) 2:10-19
        A. A data: 2:10
        B. A mensagem: o pecado é contagioso: 2:11-19
                1. Os sacerdotes questionados: 2:11-13
                2. A aplicação: 2:14-19
IV. Quarta Mensagem: a profecia de destruição futura dos poderes do mundo Gentio (dada no 24º dia do nono mês) 2:20-23
        A. A data: 2:20
        B. A mensagem: 2:21-23
                1. Derrocada do poder terreno: 2:21-22
                2. Zorobabel, o selo: 2:23.205
TESTE O SEU CONHECIMENTO
1. Quem foi o autor do livro de Ageu? ________
2. Declare o propósito para o livro de Ageu.
__________________________________________________________________________________________________________________________
3. A quem o livro de Ageu foi escrito? ________
4. Declare o Princípio de Vida e Ministério do livro de Ageu.
___________________________________________________________________________________________________________
5. Escreva o Versículo-chave de Ageu.
___________________________________________________________________________________________________________
PARA ESTUDO ADICIONAL
1. Leia Ageu 1:9 para encontrar as razões porque Israel não estava sendo abençoado por Deus.
2. As verdades espirituais em Ageu:
        • A obra do Senhor tem prioridade sobre tudo.
        • A obra do Senhor demanda instrumentos limpos.
        • A obra do Senhor está vinculada ao plano de Deus para todas as nações.
        • O bem não é contagioso, porém o mal é.
3. Você é o templo do Espírito Santo. Aplique as verdades de Ageu a si mesmo. Você tem dado demasiada atenção e tempo aos seus assuntos pessoais e abandonado as coisas de Deus que são importantes para estender o Evangelho e o avanço de Sua obra?
4. Marque cada referência de “a palavra do Senhor veio por meio do profeta Ageu” ou “veio a palavra do Senhor por meio de Ageu o profeta”. Cada ocorrência destas frases começa com uma mensagem. Isso lhe ajudará a ver a estrutura de Ageu.
5. Para o cenário histórico de Ageu leia Esdras 4:24-6:22.
6. Deus disse a Israel, “farei de você um anel de selar” (Ageu 2:23). Um anel de selar era frequentemente um selo de compromisso. Também fui usado como uma marca de honra e uma insígnia de autoridade real. Cristo era o “selo” de Deus com o qual Ele imprimiu sobre todos os crentes Sua imagem e delegou-nos Sua autoridade.
7. Aplique os ensinamentos de Ageu sobre a obra para a tarefa inacabada da igreja de alcançar o mundo com o evangelho. Pense sobre estas coisas:
        • Esta obra deve ter a prioridade sobre todas as outras obrigações.
        • Esta missão exige instrumentos limpos.
        • A tarefa está vinculada ao plano de Deus para os homens e nações.
8. Se Ageu estivesse escrevendo pessoalmente a você com respeito a como você está cumprindo a Grande Comissão, o que você pensa que ele lhe diria?
__________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________



23 de jun de 2012

DOZE EVIDÊNCIAS DA PERDA DO PRIMEIRO AMOR

I -  Quando a minha alegria e prazer no Senhor é menor do que a minha alegria e prazer em outra pessoa, tenho perdido o meu "primeiro amor". 
"Amarás o Senhor teu Deus de todo teu coração..." Mc.12:30
II -   Quando minha alma não anseia por um tempo de rica comunhão com Deus em Sua Palavra e em oração, tenho perdido o meu "primeiro amor". 
"Amarás o Senhor teu Deus de toda a tua alma..." Mc.12:30
"Como suspira a corça pelas correntes das águas..." Sl.42:1
III -   Quando os meus pensamentos em horas vagas não são sobre o Senhor, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"Amarás o Senhor teu Deus de todo teu entendimento..." Mc.12:30
"...Deus não está em todos os seus pensamentos." Sl.10:40
IV -   Quando reivindico ser apenas "humano" e me entrego facilmente às coisas que eu sei que entristecem ao Senhor, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"Amarás o Senhor teu Deus de toda a tua força..." Mc.12:30
V -   Quando não contribuo com prazer e alegria do Senhor, ou para os que precisam de ajuda, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"Ora, aquele que possuir recursos deste mundo e ver seu irmão padecer necessidade e fechar-lhe o coração, como pode permanecer nele o amor de Deus?" 1 Jo.3:17
VI.   Quando não trato aos meus irmãos e ao meu próximo como eu trataria o Senhor Jesus, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"Em verdade vos afirmo que sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes". Mat.25:40
VII -  Quando vejo os mandamentos de Cristo como empecilhos a minha felicidade ao invés de vê-los como expressão do Seu amor por mim, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama, e aquele que me ama, será amado por meu Pai e eu também o amarei, e me manifestarei a ele". Jo.14:21
VIII-  Quando eu me esforço para obter a aprovação do mundo ao invés de procurar a aprovação de Deus, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"Não ameis o mundo nem as coisas que há no mundo. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele". 1 Jo.2:15
IX -   Quando deixo de tornar Jesus conhecido com medo de ser rejeitado, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"Se vós fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu; como, todavia não sois do mundo, pelo contrário, dele vos escolhi, por isso o mundo vos odeia". Jo.15:19
X -   Quando eu recuso a deixar de fazer algo que sei que escandaliza um irmão mais fraco, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"Se por causa de comida o teu irmão se entristecer, já não andas segundo o amor fraternal". Rom.14:15
XI -   Quando me conformo com situações pecaminosas ao meu redor, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"E, por se multiplicar a iniqüidade, o amor se esfriará de quase todos". Mat.24:12
XII -  Quando não quero perdoar alguém por ter me ofendido, tenho perdido o meu "primeiro amor".
"Se alguém disser: Amo a Deus, e odiar a seu irmão, é mentiroso..." 1 Jo.4:20
"...ABANDONASTE O TEU PRIMEIRO AMOR. LEMBRA-TE, POIS, DE ONDE CAÍSTE, ARREPENDE-TE, E VOLTA À PRÁTICA DAS PRIMEIRAS OBRAS..." Apocalipse 2:4,5
Pr. Timóteo Bachmann

22 de jun de 2012

Reforma do Templo - Frente da Igreja

Pela graça de nosso Senhor, Ele nos permitiu dá inicio a primeira etapa para a conservação do nosso Templo. Nela consentia em ajeitar a fachada da igreja, estamos quase no fim, só nos falta abrir o letreiro.
Continuem orando por nós, pois ainda falta muita coisa para ser ajeitado, e isso requer recursos que nós ainda não possuímos, mas confiamos em nosso Deus que é o Senhor do ouro e da prata que irá suprir todas as nossas necessidades segundo a sua benevolência vontade.


ANTES

DEPOIS

COMO SER VERDADEIRAMENTE FELIZ SALMO 144:15

I. Quando o Senhor é a nossa salvação, nós estamos felizes na Sua salvação. Isa.12:2
II. Quando o Senhor é a nossa santificação, nós estamos felizes na Sua santidade 1 Cor.1:30
III. Quando o Senhor é a nossa força, nós estamos felizes no Seu poder. Salmo 84:5
IV. Quando o Senhor é o nosso suprimento, nós estamos felizes na Sua plenitude. Fil.4:19
V. Quando o Senhor é a nossa satisfação, nós estamos felizes no Seu amor. Salmo 65:4
O segredo da felicidade está no Senhor mesmo. Portanto, a adoração de Deus, o caminho de Deus e o trabalho de Deus nos fazem felizes.

AS SETE ÚLTIMAS PALAVRAS DE JESUS NA CRUZ LUCAS 23:33-49

A crucificação de Jesus Cristo é narrada nos quatro evangelhos, dando o quadro completo do sacrifício do Cordeiro de Deus pela salvação do mundo. (Lc.23:33-49; Mt.27:32-56; Mc.15:21-41; João 19:17-37)
I. Perdão. Lucas 23:34 (Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem)
1- Jesus se deixa crucificar pelos pecados do mundo.
2- Jesus se deixa crucificar pelo perdão da humanidade.
II. Abertura do Céu. Lucas 23:43 (Hoje estarás comigo no Paraiso)
1- Jesus se deixa crucificar pela salvação dos perdidos.
2- Jesus se deixa crucificar para nos abrir o caminho e as portas do Céu.
III. Amor e Proteção. João 19:26,27 (Mulher, eis aí teu filho...eis aí tua mãe)
1- Jesus se deixa crucificar por amor, para proteção do mundo.
2- Jesus recomenda sua mãe a João e João a sua mãe, proclamando grande fraternidade da família de Deus.
IV. Substituição. Mateus 27:46; Marcos 15:34 (Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?)
1- Jesus se deixa crucificar no lugar dos pecadores (II Cor.5:21).
2- Jesus se esvazia da Divindade, para dar aos perdidos a plenitude da vida eterna.
V. Sede de Redenção. João 19:28 (Tenho sede)
1- Jesus morre de sede, para dar a água da Vida ao mundo.
2- Jesus anseia pelo mundo remido da sequidão do mal e do pecado.
VI. Consumação e Redenção. João 19:30 (Está consumado)
1- Jesus fica satisfeito ao ver consumada Sua obra de redenção, a vitória sobre a morte.
2- Jesus contempla o mundo remido por sua morte, que traz a vida – missão cumprida.
VII. Entrega ao Pai. Lucas 23:46 (Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito)
1- Jesus expira nas mãos do Pai, para ensinar a viver e morrer.
2- Jesus reina no mundo espiritual, abrindo ao mundo o Reino da Vida Eterna. Sete palavras de completa salvação!!!
(Pr. Carlos A. Moraes)

21 de jun de 2012

Idolatria


Há muitas pessoas que não adoram nenhum deus (do mundo) e mesmo assim se tornam idólatras. A Bíblia diz que nos últimos dias os homens seriam “amantes de si mesmos” (2Tm 3.2). Num certo sentido, devemos amar a nós mesmos, pois devemos amar o próximo como a nós mesmos, no entanto, muita gente se transforma em seu próprio deus.
O nosso Senhor Jesus Cristo afirmou que se quisermos segui-lo, temos de negar a nós mesmos. Os macedônios deram a si mesmos primeiro (2Co 8.5). É possível renunciarmos a todos os outros falsos deuses, e continuarmos a adorar no altar do “eu”. Este é o deus mais difícil de ser renunciado.
Muitas atividades religiosas de hoje em dia nada mais são do que o velho Adão operando com o apoio da igreja. Normalmente, a ambição ministerial, o orgulho denominacional e a força da carne tentam realizar a obra do Espírito.
O egocêntrico se exibe e chama isto de testemunho. A língua fofoqueira está mais afiada do que nunca, só que agora não é fofoca, e sim “minha opinião honesta”.
Enfeite-a com a linguagem do Evangelho, perfume-a com a boa retórica e adicione algumas lágrimas para dar um toque de emoção, mas quando deixada às claras, a idolatria proclama:
Eu me amo, eu me amo, Morro de amor por mim.
(Vance Havner - Hearts Afire)

20 de jun de 2012

História do Hino Nº162 - VIGIAR E ORAR

Eram 4 horas da manhã na primavera de 1967. Depois de pregar e comungar com os irmãos num pequeno lugarejo chamado Volta, entre Urucuí e Ribeirão Gonçalves, no centro-sul do Piauí, o Pr João Alves Feitosa, então Secretário-Executivo da convenção Batista Piauí-Maranhão, estava na sua rede pendurada no galpão da casa de palha de um dos membros da congregação. Toda a família havia se abrigado no único quarto da casa . O Pr Feitosa acordou ao som de uma música suave, um pouco à distancia. "Bem de manhã, embora o céu sereno pareça um dia calmo anunciar", ele ouviu, Que maneira maravilhosa de acordar!
Percebeu que o pequeno grupo de irmãos estava num círculo, cantando este belo hino.
Embora estivesse muito cansado da sua longa viagem do dia anterior, num antigo ônibus sobre uma acidentada e empoeirada estrada, cheia de ondulações, o pastor apressou-se a se reunir a este corajoso grupo que começava cada dia num culto de louvor ao seu Salvador e Senhor e a orar para que Deus mandasse chuva àquele lugar. Desde então, o Pr. Feitosa não pode cantar este hino sem ver na sua mente e coração aquele pequeno grupo, no sul do Piauí, levantando sua voz nesta comovente oração.
O autor destas singelas palavras é desconhecido. O pastor Alfredo Henrique da Silva a traduziu, em 1913, do hinário francês Psaumes et Cantiques (Salmos e Cânticos), que, como muitos hinários da época, não registravam os autores. Sua versão está em quase todos os hinários evangélicos do Brasil, demonstrando seu valor.
A linda melodia VEILLE TOUJOURS (Vigie Sempre), escolhida para este hino, é de Sophia Zuberbühler (1833-1893). Não há outras informações biográficas disponíveis sobre esta compositora no momento.
Bibliografia: BRAGA, Henriqueta Rosa Fernandes. Música Sacra Evangélica no Brasil, Rio de janeiro, Livraria Kosmos Editora, 1961. p. 338
Fonte: http://ojubilo2.blogs.sapo.pt/4979.html

19 de jun de 2012

PERDOAR É LEMBRAR SEM SENTIR DOR

A Bíblia diz que Deus perdoa os nossos pecados e deles não mais se lembra. Diz ainda, que devemos perdoar assim como Deus em Cristo nos perdoou. Deus nunca mais cobra outra vez aquilo que ele perdoou. Deus nunca mais lança em nosso rosto aquilo que confessamos e abandonamos. Assim, também, quando a Bíblia diz que devemos perdoar como Deus e esquecer. O perdão é uma necessidade fundamental da vida. É impossível ter uma vida saudável emocional, física e espiritualmente sem o exercício do perdão. Quem não perdoa não pode orar. Quem não perdoa não pode trazer sua oferta ao altar. Quem não perdoa não pode ser perdoado. Quem não perdoa adoece fisicamente.
A nossa dívida com Deus é impagável. Por isso, o perdão de Deus é ilimitado. E Jesus foi enfático em afirmar que se não perdoarmos, não seremos perdoados: “Assim também meu Pai celeste vos fará, se do íntimo não perdoardes cada um a seu irmão” (Mt 18.35). O perdão é o caminho da cura das feridas. É a ponte de reconciliação das relações quebradas. O perdão é o remédio divino para os relacionamentos enfermos. O perdão é o bálsamo do céu para aqueles que andam machucados e feridos pela mágoa. Hoje é tempo de perdoar. Hoje é tempo de pedir perdão. Hoje é tempo de restaurar relacionamentos dentro da nossa casa e da igreja, a fim de vivermos uma vida plena, maiúscula e abundante.
(Hernandes Dias Lopes)

De quem se deve Falar?


Nunca julgue ninguem!

Um médico entrou no hospital com pressa depois de ser chamado ... à uma cirurgia de urgência. Ele respondeu à chamada o mais rápido possível, trocou de roupa e foi direto para centro cirúrgico.

Ele encontrou o pai do menino indo e vindo na sala de espera do médico. Depois de vê-lo, o pai gritou:

"Por que você levou todo esse tempo para vir? Você não sabe que a vida do meu filho está em perigo? Você não tem senso de responsabilidade? "

O médico sorriu e disse:
"Lamento, eu não estava no hospital e eu vim o mais rápido que pude depois de receber a ligação ...... E agora, eu gostaria que você se acalmasse para que eu possa fazer meu trabalho"

"Acalmasse? Se fosse seu filho que estivesse nesta sala agora, iria se acalmar? Se o seu próprio filho morresse agora oque você iria fazer? ", Disse o pai com raiva

O médico sorriu novamente e respondeu: "Eu vou dizer o que disse Jó na Bíblia Sagrada" Do pó viemos e ao pó voltaremos, bendito seja o nome de Deus ". Os médicos não podem prolongar a vida. Vá e interceda por seu filho, vamos fazer o nosso melhor pela graça de Deus "

"Dar conselhos é fácil", murmurou o pai.

A cirurgia levou algumas horas e depois que o médico saiu feliz, "Graças a Deus! Seu filho está salvo! "

E sem esperar a resposta do pai o medico saiu correndo. "Se você tem alguma dúvida, pergunte a enfermeira! Disse o medico."

"Por que ele é tão arrogante? Ele não podia esperar alguns minutos para que eu podesse perguntar sobre o estado do meu filho ", comentou o pai ao ver os enfermeiros minutos depois que o médico saiu.

A enfermeira respondeu, com lágrimas descendo seu rosto: "Seu filho morreu ontem num acidente de viação, ele estava no enterro, quando o hospital o chamou para a cirurgia de seu filho. E agora que ele salvou a vida de seu filho, ele saiu correndo para terminar o enterro de seu filho. "

Nunca julgue ninguém, porque você nunca sabe como sua vida é e ao que está acontecendo ou o que eles estão passando.

História do hino 344 – Deus cuidará de ti

Era um domingo pela manhã em 1904. O rev. Walter Stillman Martin, pregador apreciado, freqüentemente convidado para séries de conferências e pregações pelas igrejas, teve um convite na cidade de Lestershire, Estado de Nova Iorque. A sua esposa Civilla, enferma e semi-inválida, e seu filho, ainda menino, estavam com ele na cidade. De repente, piorou consideravelmente o estado de saúde de sua esposa. Que fazer? Seria prudente deixá-la sozinha somente com o menino? O pr. Martin pensou em comunicar à igreja que seria imperativo cancelar o compromisso. Quando estava pronto para fazer a ligação, ouviu a voz do filho: “Pai, se é a vontade de Deus que você vá pregar hoje na igreja, Ele não poderá tomar conta da mamãe enquanto você estiver ausente?”
O pr. Martin não fez a ligação. Aquela voz do seu filho afastou, de repente, todo o seu temor. Sim, Deus seria capaz de cuidar dela! A voz da sua esposa ajuntou-se à do menino: “Deus cuidará de mim.” O pr. Martin deixou a mulher e o filho aos cuidados de Deus e foi pregar. Houve muitas conversões! Sentia a mão de Deus abençoando-o poderosamente naquele dia.
Chegando ao lar, qual a sua felicidade! O seu filho trazia na mão um envelope com uma poesia escrita no dorso com o título “Deus Cuidará de Ti”. “A pergunta que nosso filho fez e a simplicidade de sua fé me inspirou essas estrofes”, explicou Civilla. O seu marido também compartilhou as bênçãos que havia recebido. O pr. Martin, apanhando o poema sentou-se ao órgão. Dentro em pouco estava composta a melodia. Este hino maravilhoso sobreviveu ao casal, e até hoje nos conforta em cada angústia e cada tribulação.
Salomão Luiz Ginsburg traduziu este hino em 1905, dedicando a tradução a Francis M. Edwards, missionário batista no Brasil de 1907 a 1924. Certamente com esta tradução Ginsburg procurava encorajar e fortificar a fé de Edwards, que passava por dias difíceis. Por alguma razão, ele publicou sua versão somente em 24 de outubro de 1912, em O Jornal Batista, na página 6.

18 de jun de 2012

Um Novo Coração

"E vos darei um coração novo e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei o coração de pedra da vossa carne e vos darei um coração de carne". (Ezequiel 36.26)
Você notará… Deus não tem prometido aperfeiçoar nossa natureza ou remendar nossos corações partidos. Não, sua promessa consiste em nos dar um novo coração e um espírito de retidão. A natureza humana está muito longe de ser apenas melhorada. Não é como uma casa que precisa de pequenos reparos, tais como substituir uma telha ou fazer um reboco no teto. Não, ela está completamente corrompida. Até seu alicerce está arruinado. Do teto ao alicerce, não há uma viga sequer que não tenha sido comida pelos cupins. Não existe mais solidez, está toda apodrecida e pronta para desabar. Deus não faz tentativas ou experimentos com o homem; Ele não escora as paredes com estacas ou pinta novamente as portas; não ornamenta e embeleza, mas determina que a velha casa seja completamente derrubada, e uma nova seja construída em seu lugar. Como já mencionei, isto é mais do que ser restaurada ou melhorada. Se apenas algumas peças estivessem em mau estado, poderiam ser consertadas. Se tão-somente uma ou duas engrenagens desta grande máquina chamada “humanidade” estivessem quebradas, o Criador colocaria tudo em ordem. Trocaria as peças quebradas, substituiria a roda danificada, e a máquina voltaria a trabalhar. Pelo contrário, os reparos são necessários por toda parte; não há sequer uma alavanca que não esteja quebrada ou eixo sem estragos; nenhuma das engrenagens funciona corretamente. A cabeça toda está doente e o coração completamente debilitado. Da sola dos pés à cabeça, a raça humana está toda infestada de chagas e feridas pútridas. Por isso, o Senhor, não pensa em apenas um simples reparo. Ele diz: “Dar-vos-ei coração novo e porei dentro de vós espírito novo; tirarei de vós o coração de pedra e vos darei coração de carne”.
Charles Haddon Spurgeon, “The New Heart”, New Park Street Pulpit, Vol. 4, 378

O Caminho humilhante da Cruz!


Neste ultimo sábado (16/06/12), tivemos o culto de ação de graça na casa da irmã Sônia por mais um ano de vida que o Senhor lhe proporcionou. Na oportunidade foi falado sobre o caminho humilhante da cruz, mostrando o percurso de humilhação que Cristo passou para que pudéssemos ser chamados de filhos de Deus.
Para isso ocorre-se Ele precisou passar pela humilhação de se tornar um Homem (Fp 2:6-9). Assumindo a forma de servo, passando pelo processo de auto-esvaziamento que certamente foi indizivelmente doloroso e implicou em muito sofrimento. O esvaziamento assemelha-se a uma descida de degraus, 1º Ele Renunciou as manifestações exteriores da Divindade, 2º Ele veio ao mundo na “forma de um servo.”, 3º Assumindo a “forma de homem.” 4º “Humilhou-se.” Ele não apenas apareceu como um homem, mas como tal, humilhou-se.  5º Tornou-se obediente.  Como homem Ele passou a sentir e sofrer como o homem: teve fome (Mt 4.2); Sede (Jo 19.28); sentiu Amor e Compaixão (Mt 9.36); Angustia (Lc 22.39-44); Chorou (Jo 11.35); Foi tentado (Hb 4.15) e sofreu a humilhação de ser rejeitado (Jo 1:11)

Jesus ainda teve que percorre pela a humilhação de ser Crucificado (Lc 22.63-65) para que pudéssemos ser chamados de filhos de Deus. Não se sabe ao certo a origem exata desse método de condenação, mas com certeza ele é um dos ou o mais cruel método de execução que foi criado pelo homem daquela época. Depois que os romanos aprenderam essa prática de extermínio, criaram um gosto por ela que se tornou uma prática freqüente. Acredita-se que a crucificação foi criada pelos Persas, e foi trazida para o Mediterrâneo nos tempos de Alexandre, conquistando uma grande importância e um lugar de destaque para o sistema de condenação romana. Jesus Cristo foi condenado e sentenciado a morrer por este método de condenação, que era destina a condenação de criminosos da pior espécie, os quais eram os de alta periculosidade. Tudo o que Jesus passou, sua humilhação e condenação nos mostra que é mais uma prova de que a Bíblia é infalível, pois, Cristo já tinha predito que isso iria acontecer, (Lc 22:37) e sendo confirmado em (Mc 15:28) confirmando que iria ser contado com os malfeitores.

Jesus teve que passar pelo o sofrimento da Crucificação, iniciado por uma cessão de chicoteada (Mt 27 26), pois o açoitamento era uma preliminar legal a toda execução romana. O condenado era amarrado e dava-se início do seu sofrimento, ele era posto em um poste no próprio local e eram tiradas suas roupas e com muita severidade recebiam chicoteadas. Nos chicotes os soldados eram conhecidos como “Flagrum”, neles havia um cabo inflexível ao qual eram atadas longas tiras de couro de vários comprimentos. Eram colocados em suas extremidades pedaços de ossos e chumbo agudos e denteados, pregos, eram trançados entre elas, tudo para que pudesse o sentenciado sofrer ainda mais. O condenado sofria de tal modo que alguns não chegavam a ser crucificados, pois não resistiam e morriam pela ocasião da tortura.
Jesus também foi Escarnecido (Mt 27.27-31), o governante entregava o prisioneiro às mãos dos soldados para que fizessem o que quisessem. Os soldados coroado Jesus com uma Coroa de Espinhos (Mt 27.29), depois de Cristo ter passado por uma seção de interrogatório, e outra de tortura onde foi sentenciado a morte de cruz, os romanos não se contentaram e acharam ainda pouco; os soldados romanos colocaram uma coroa feita de espinho na cabeça de Jesus, depois disseram: viva o Rei dos judeus, estes espinhos era provavelmente de uma planta que tinha espinhos compridos, uma espécie de planta chamada ‘Espinho de Cristo Sírio’, um arbusto de mais ou menos 30 cm de altura, com dois espinhos ponte agudos. uma planta típica da região do Gólgota, de fácil localização por ter em grande quantidade. E por fim os soldados ainda bateram na cabeça de Cristo com o caniço (Mt 27.29).
Jesus mesmo depois de todo este sofrimento teve que carregar sua cruz para ser crucificado, os soldados faziam com que os condenados carregassem sua cruz até ao local onde ocorreria sua crucificação. Mas como Cristo estava exausto pelo sofrimento, não consegui carrega-la ate o fim, então eles pegaram Simão o cireneu para carregar a cruz ate o local de sua condenação (Mt 27.32). Quando os prisioneiros chegavam no seu lugar de execução, (que no caso do nosso Senhor Jesus Cristo foi no Gólgota, que em latim era conhecida como Calvário, ou lugar da caveira (Mt 15.22), este local ficava em algum lugar fora do muro da cidade, em um monte que seu aspecto se assemelhava a uma caveira), Eles era pregados na cruz, os pregos que eram utilizados pelos soldados, não eram preguinhos que vemos hoje em dia em nossas casas, tinham 18 cm de comprimento por 1 cm de diâmetro; eles eram cravados em seus pulsos e não nas palmas da mão como muitos acreditam, se fossem colocados nas palmas das mãos, com o passar do tempo, o peso do seu corpo rasgaria a pele e quebraria os ossos dos seus dedos, por ser uma parte frágil, por isso colocavam em uma abertura entre os ossos que o pulso possui. Os soldados colocam azeite para facilitar a passagem dos pregos entre os ossos, também colocavam os pregos nas pernas.
Jesus precisou ainda de suportar a dor na Cruz. A morte na cruz não é uma morte qualquer. A morte de cruz é a mais demorada, massacrante, dolorosa, cruel, sádica e humilhante; Depois que os soldados colocavam os pregos nos pulsos, eles iam pregar os pés, só que eles deixavam o joelho dos criminosos levemente encurvados, e com isso possibilitaria que ele se sentasse em um assento que colocavam na cruz, o qual era conhecido como sedecula; Quando os condenados demoravam a morrer, os soldados quebravam suas pernas para que não conseguisse mais se apoiar no assento, abreviando assim sua morte por asfixia, pois, quando ele se inclinava para frente, o seu pulmão era comprimido impedindo assim sua respiração. Com o cansaço dos braços, ondas de câimbras correm pelos músculos, apertando-os numa profunda e implacável dor latejante. Com câimbras vem à incapacidade de levantar o corpo. Preso pelos braços, os músculos peitorais ficam paralisados [sic] e os músculos intercostais não podem se mover.  O ar pode ser aspirado pelos pulmões, mas, não podem ser espirado. Jesus deve ter lutado para levantar o corpo, tentando respirar um pouco. Finalmente, o fluxo de dióxido de carbono aumenta nos pulmões e na corrente sanguínea e as câimbras melhoram parcialmente. Espasmodicamente, Ele é capaz de se levantar um pouco para exalar e inalar o oxigênio vivificador.
Por este levantar e descer, eles conseguiam resistir um pouco mais e abreviar sua morte, os soldados não tinham tanta paciência de esperar a sua morte, eles quebravam a pernas dos criminosos para que não tivessem as condições de se levantarem e conseguirem respirar, com isso sua morte era certa, morrendo por não conseguir mais respirar. Mais em Cristo não foram quebrados nenhum osso (Jo 19:30; Lc 23: 46), Ele entregou sua vida, não precisou ninguém tirá-la; E não quebraram os ossos para se cumprir a profecia pré-dita (Jo 19:36)
CONCLUSÃO
Cristo morreu por nós para pagar o preço do pecado (Rm 6.23), Ele entrou, como homem e servo, no caminho da obediência, mesmo quando esta culminaria com a temida e infame morte. Ele se entregou consciente e voluntariamente, se colocou na condição de um servo de Deus entre os homens, para fazer a vontade do Pai, sem nunca dela se desviar, mesmo sabendo tudo que envolvia essa condição. Que possamos sempre nos lembrar de quem nós somos, e porque somos. Lembrarmos que Deus entregou seu filho para morre para que tenhamos a vida eterna (Jo 3.16)

17 de jun de 2012

EBD 17/06/12

SOFONIAS
INTRODUÇÃO
AUTOR:        Sofonias
A QUEM:      Israel
PROPÓSITO:           Advertir Israel e todas as nações do juízo de Deus.
VERSÍCULO-CHAVE:      3:17
PRINCÍPIO DE VIDA E MINISTÉRIO:    Deus é poderoso para salvar.
PERSONAGEM PRINCIPAL:     Sofonias
ESBOÇO
I.       Introdução: 1:1-3
A.     O mensageiro: 1:1
B.     O Resumo da mensagem: 1:2-3
II.      Uma Olhada para Dentro: 1:4-2:3
A.     O fato do juízo: 1:4-14
1.     O juízo em quatro tipos de adoradores: 1:4-7
2.     O juízo sobre os pecadores de cada grau: 1:8-13
B.      A natureza e resultados do juízo: 1:14-18
1.      Está perto: 1:14
2.      Inclusive o poderoso será derrubado: 1:14
3.      O dia escuro de dor, perda, desolação: 1:15-16
4.      Angústia, sangue, carne como excrementos: 1:17
5.      Nenhuma libertação: 1:18
6.      Dia da ira do Senhor: 1:2-3
C.     O nome do juízo: Dia do Senhor: 2:1-3
D.     Esperança no juízo: 2:3
III.    Uma Olhada Ao Redor: Juízo que vem sobre todas as nações: 2:4-3:7
A.     As Cidades Filistéias: 2:4-7
B.     Moabe e Amon: 2:8-11
C.     Etiópia: 2:12
D.     Assíria e sua cidade capital, Nínive: 2:13-15
E.     O Juízo sobre Jerusalém: 3:1-7
1.      Note a condição de Jerusalém:
(a)     Rebelde, manchada, opressora: 3:1
(b)     Desobediente: 3:2
(c)     Líderes seculares maus: 3:3
(d)     Líderes espirituais maus: 3:4
2.      Note as misericórdias de Deus: 3:5-7
 IV.   Uma Olha Além: Depois do juízo, a cura virá: 3:8-20
A.     O propósito de Deus alcançado: 3:8
B.     Dentre o pagão, o remanescente de Deus virá: 3:9-10, 12-13,
C.     O Juízo sobre aqueles que foram uma vez inimigos de Deus: 3:9-13
D.     O Messias de Israel manifestado como o Rei: 3:14-20.201
TESTE O SEU CONHECIMENTO
1.      Quem foi o autor do livro de Sofonias? ____________
2.      Declare o propósito para o livro de Sofonias.
______________________________________________________________________________________________________
3.      A quem o livro de Sofonias foi escrito? _________
4.      Declare o Princípio de Vida e Ministério do livro de Sofonias.
______________________________________________________________________________________________________
5.      Escreva o Versículo-chave de Sofonias.
______________________________________________________________________________________________________
 PARA ESTUDO ADICIONAL
1.       O título “o Rei de Israel” somente é usado duas vezes para Deus na Bíblia. Sofonias o usa no Antigo Testamento (3:15). Natanael, um discípulo de Jesus, o usou no Novo Testamento (João 1:49).
2.       Sofonias chama o juízo que ele descreve “o Dia do Senhor”. Ele usa este título sete vezes. (Veja 1:7,8,14,18; 2:2-3.).
Isto é o que nós aprendemos sobre o dia do Senhor:
·                Está próximo: 1:4,7,14
·                Até mesmo o poderoso será derrubado: 1:14
·                É um tempo de escuridão, terror, ira, desolação: 1:15
·                É um tempo de alarme: 1:16
·                O juízo virá sobre o pecado: 1:17
·                Será acompanhado por grandes sinais na natureza: 1:15
·                É o dia da ira do Senhor: 1:2-3
·                Cairá sobre toda a criação: 2:1-15; 3:8